28 novembro 2011

A beleza dos cães adotados (antes e depois)

Sempre que vejo um animal ser resgatado, o que mais corta meu coração é o medo, a desconfiança no olhar que eles sempre, sempre trazem.

Nestas fotos a seguir o que mais impressiona, além de ver como estão mais bonitos, é ver como o olhar dos animaizinhos se tornou mais feliz, mais tranquilo, mais confiante.






















































































Não é impressionante a diferença?

Calcula-se que 85% dos animais abandonados morrem nas primeiras três semanas nas ruas, principalmente por conta de atropelamentos.

Se neste Natal você achar que um animal é um bom presente pra dar, certifique-se de que o presenteado sabe que aquele cãozinho ou gatinho pode viver até 15 anos e precisará sempre de atenção, cuidados e carinho.

E se chegar a conclusão de que vale a pena dar um animalzinho, ou se quiser um bichinho na sua casa, ADOTE! De verdade: adotar é tudo de bom!!

Vi: Amor a toda prova


Alguns filmes a gente vai ver sem saber ao certo se vai curtir ou não. Outros a gente já sabe que vai gostar.

Amor a toda prova (Crazy stupid love, EUA, 2011) está entre os segundos. Porque tem um monte de ator que eu gosto, porque o trailer era fofo, porque a história eu já sabia ser bonitinha...

Eu reluto em chamar o filme de comédia romântica porque tem praticamente nada de comédia - mais drama até - e muito romance. Dando uma resumida na história, sem entregar muito: Cal - Steve Carell - é o marido que recebe, surpreso, a notícia dada pela própria esposa, Emily - Julianne Moore - que dormiu com um colega de trabalho e que quer se separar. Cal, desiludido, acaba conhecendo em um bar o bonitão pegador Jacob - Ryan Gosling - que dá uma ajeitada no visual e na auto-confiança de Cal, ao mesmo tempo que conhece Hanna - Emma Stone - e começa a repensar sua vida de garanhão. E ainda tem o filho de 13 anos de Cal e Emily apaixonado pela babá de 17...

O filme poderia ser mais curto - são quase 2h - e em alguns momentos é meio lento, mas, no geral, as histórias todas são tão bonitinhas, os diálogos divertidos e mesmo os clichês são perdoados.

Filme simples, simpático, bonitinho. Gostei mesmo.

19 novembro 2011

Séries: The Big Bang Theory


Quando todo mundo adora uma série e você demora um século para começar a assisti-la...

Na lista de cinema da qual participo no Yahoo!, The Big Bang Theory - que vou chamar de agora em diante de TBBT - tem vários fãs e eu já tinha pego um ou outro episódio na tevê e em uma viagem, mas nunca tinha parado pra acompanhar.

Mas aí, há umas duas semanas, baixei uns episódios da 1ª temporada e me apaixoxei!

A série é focada em quatro nerds e a vizinha linda de dois deles. Diálogos engraçados e surreais e situações idem me conquistaram, mesmo que a quarta temporada e esta atual, a quinta, não sejam tão divertidas como foram as primeiras - que foram, as duas primeiras, simplesmente perfeitas!

Jim Parsons é o hilário Sheldon incrivelmente inteligente mesmo que muitas vezes pareça tapado demais. Ainda dou risada quando dizem que ele é louco e ele responde sério que não é, que sua mãe "o testou" e o resultado foi negativo para loucura.

Leonard - John Galecki - mora com Sheldon e hoje em dia é o mais pegador dos três, tendo inclusive namorado a "mocinha" da história. Muita gente diz que ele é o mais sem-graça e o "escada" da série, que dá a deixa para os outros brilharem. Independente disso ser verdade ou não, gosto dele.

Howard - Simon Helberg - é hilário e um dos responsáveis pelas minhas maiores gargalhadas! Até arranjou uma noiva e deixou de lado suas cantadas podrérrimas, mas ainda diverte muito, principalmente com os diálogos com sua mãe super-protetora - e de quem só conhecemos a voz.

O lindinho do Raj - Kunal Nayyar - é o meu queridinho! Incapaz de falar com qualquer mulher fora de sua família se não beber, são dele os meus momentos preferidos, seja quando paquera toscamente, seja sofrendo por ser sozinho, ou quando brinca com sua própria sexualidade.

E a Penny, a linda Kaley Cuoco, é a garçonete que quer ser atriz e já namorou com o Leonard. O timing dela pra comédia é incrível e suas melhores cenas são com o Jim Parsons.

As participações especiais são ótimas, principalmente das mães de Sheldon e Leonard, mesmo que completamente politicamente incorretas.

Mesmo que a temporada não esteja lá grandes coisas, seguirei vendo porque ainda me arranca risadas e termino de ver cada episódio, levinha, feliz.

12 novembro 2011

Pour toi, mon amour (Jacques Prévert)


Engraçado como as coisas vêm na nossa cabeça, de repente. Tava aqui pensando e este poema, o primeiro que li na aula de Francês, veio à minha lembrança.

Pour toi, mon amour - "Para você, meu amor" - fala de amor mas fala, principalmente, da impossibilidade de prendermos quem realmente amamos.

Je suis allé au marché aux oiseaux
Et j'ai acheté des oiseaux
Pour toi, mon amour


Je suis allé au marché aux fleurs
Et j'ai acheté des fleurs
Pour toi, mon amour


Je suis allé au marché à la ferraille
Et j'ai acheté des chaînes
De lourdes chaînes
Pour toi, mon amour


Et je suis allé au marché aux esclaves
Et je t'ai cherchée
Mais je ne t'ai pas trouvée
Mon amour


**

Fui ao mercado de pássaros
E comprei pássaros
Para você, meu amor

Fui ao mercado de flores
E comprei flores
Para você, meu amor
Fui ao mercado de sucata
E comprei correntes
Pesadas correntes
Para você, meu amor

E eu fui ao mercado de escravos
E te procurei
Mas eu não te encontrei
Meu amor.