26 julho 2010

Séries: Lark Rise to Candleford e Brothers and Sisters

Já falei aqui do blog Amo Séries do qual baixei Jane Eyre, tenho baixado os novos episódios de Drop Dead Diva e onde tenho descoberto outras coisas.


Bom, uma das séries é uma feita pela BBC, canal britânico. Já comentei, quando falei de Jane Eyre que tenho um grande encantamento com o interior da Grã-Bretanha - porque, além de gostar da Inglaterra, adoraria conhecer a Escócia e o País de Gales.

Lark Rise to Candleford, a série, é uma delícia de ser assistida. Ela se passa no final do século XIX, em uma região próxima à Oxford e é contada por Laura, moça de seus 17 anos, que vai trabalhar com uma prima da mãe na agência postal de Candleford, cidade pequenininha e mais rica que a quase miserável vila de Lark Rise, onde ela nasceu. A série é baseada em três livros auto-biográficos escritos por Flora Thompson.

As histórias são bem amarradas e é gostosinho como muitas têm um fundo moral - já usei um episódio em uma das aulas da minha turma de evangelização juvenil inclusive - valorizando coisas positivas, algo tantas vezes esquecido hoje em dia.


Outra que comecei a ver foi Brothers and Sisters, série estadunidense que já está na 4ª temporada mas que estou ainda no comecinho da 2ª.

A história é a da família Walker e começa com a volta de uma das filhas que esteve morando longe, brigada com a mãe por motivos que vamos descobrindo ao longo da série. No dia da volta de Kitty, a filha, o seu pai morre - dia do aniversário dela também. A família acaba descobrindo que ele tinha uma amante há 20 anos e, mais adiante, que teve uma filha com ela. Em meio à possibilidade de falência da empresa da família, eles têm que lidar com as novas descobertas e problemas comuns a quem tem filhos, ou ainda não casou, ou tem envolvimento com drogas...

São muitos temas mas a família é grande, são cinco filhos - além da mãe, do tio sempre presente, da amante recém-descoberta e da nova filha.

Eu rio, eu choro, eu fico com raiva... Me lembro muito da minha família e o que mais gosto é que são pessoas críveis, nem perfeitas, nem completamente vilãs. Tô adorando.

17 julho 2010

Vi: Jane Eyre


Atualmente tenho visto algumas séries que baixo do blog Amo Séries e que tem muita, mas muuuuita coisa bacana. Tem também algumas minisséries. E foi então que encontrei essa versão britânica de Jane Eyre, produzido pela BBC em 2006.

São 4 capítulos que condensam o livro de Charlotte Brontë, publicado em 1847 e no que não vou me delongar muito - em falar do livro - porque estou lendo ele desde ontem.

Deu pra perceber que tô apaixonada pela história - e pelo protagonista, como o post anterior demonstra, rsrs - ?

Jane Eyre é uma moça que, depois boa parte da infância sendo maltratada pelos primos e pela viúva de seu tio, é posta em uma espécie de colégio interno. Depois de moça e de um tempo lecionando na escola, ela encontra emprego como preceptora de uma menina protegida por um senhor quarentão - ou beirando - um tanto quanto esquisito e misterioso e que nunca está em casa, passando seu tempo viajando pelo mundo.

Até conhecer Jane. Os dois acabam se apaixonando, mas as coisas não poderiam ser já que estamos no século XIX e, quem não fugiu das aulas de Literatura, deve lembrar que era tempo do Romantismo, daquele sofrimento todo no amor e tals.

Então... mas eu, que nunca fui muito fã do Romantismo, me apaixonei pela história! E pela série! A história de Jane é tristemente linda, a história do amor dos dois é linda, O Sr. Rochester é apaixonante... E tudo isso em meio a paisagem que sempre me encantou - e eu acho que o carinho e admiração que tenho pelo interior inglês é coisa de encarnações passadas, só pode!

Já percebi que o livro fala bem mais da infância dela do que a série, mas não vejo demérito nisso. A série é impecável!

Suuuuper-recomendo! Principalmente pros mais românticos.

16 julho 2010

Ô, lá em casa!! (8)


Toby Stephens. Toby quem?

Pois é, até anteontem eu também não o conhecia. Ou não lembrava de tê-lo visto antes.

Tudo mudou quando resolvi baixar a versão em mini-série de Jane Eyre, livro de Charlotte Brontë escrito no século XIX. Stephens faz o Sr. Rochester.

Ator inglês, mais habituado aos palcos e a tevê britânica, Stephens é filho da incrível Maggie Smith, atriz que com certeza vocês já viram em algum lugar - joguem no Google! Casado, pai de família e lindo, deu vontade de ver outros trabalhos dele.

Em um próximo post falo de Jane Eyre, uma das histórias românticas mais lindas que já vi e que hoje comecei a ler.

Falando do Milo, da Preta, da maldade de alguns e do amor de muitos

O Milo não apareceu mesmo.

Não faço idéia de onde possa ter ido parar e, infelizmente, provavelmente é seu corpão que está em algum lugar.

O começo da semana foi bem dolorido e ainda me dá vontade de chorar quando falo dele e da Preta, no entanto, o que tem me consolado são algumas coisas:

1- A Kitty e a Flor, minhas outras gatinhas, talvez sentindo também falta deles, talvez sentindo o quanto mexeu comigo o fato, ou ainda assustadas, têm estado grudadas em mim o tempo inteiro. Ou talvez seja porque agora tenha espaço pra elas, já que são as únicas em casa;

2- Os amigos estão sendo muito, mas muito queridos. Obrigada a todos!

3- Enquanto vivos comigo, amei muito, muito mesmo o Milo e a Preta! Quem me conhece, quem convive comigo, quem os conheceu, pode dizer isso. O que estava ao meu alcance eu fiz para lhes dar, além de muito carinho, uma vida saudável e feliz. Não me arrependo de nenhum momento passado com eles e de nada feito por e para eles;

4- Por último, acredito que para Deus qualquer vida é preciosa e qualquer crime contra um ser vivo tem o mesmo peso em Seu julgamento. O infeliz que fez o que fez com meus gatos vai colher o que essas sementes de maldade e ignorância dele plantaram.

Ontem, conversando com a Vikki, falamos que nunca esquecemos os bichinhos que passam pela nossa vida e concluímos que somos felizes por sermos capazes de amar esses irmãozinhos menores.

Sinto muito por quem ainda não tem essa capacidade.

12 julho 2010

De coração partido, mais ainda


Se não bastasse a Preta morta, o Milo tá sumido desde a madrugada de sábado pra domingo.

Fico tentando ter esperança de que esteja só batendo perna e vá aparecer mas, depois do que aconteceu com a Preta, temo o pior :(

Essa é a última foto que tirei dele, quando tava se recuperando da pereba...

11 julho 2010

De coração partido


Hoje acordei de manhã e encontrei a Preta, a última gatinha que foi marar lá em casa, a mais apegada comigo e mais amorosa, morta na despensa.

Aparentemente foi envenenamento mas não entendo como já que ela sequer saía de dentro de casa! E entendo menos ainda alguém ser cruel a esse ponto!

Tô muito triste :'(

05 julho 2010

Copa 2010


Não sofri horrores com a derrota brasileira na Copa. Eu entendo que nem todas a gente ganha e que todo mundo tem direito a ganhar algum dia.

No entanto, era algo sobre o que eu queria falar. E não só da derrota do Brasil, mas de tudo que vinha acontecendo nos jogos. Procurava o que escrever aqui até ontem, quando, no final do Fantástico, este vídeo lindo, com um texto idem, passou e nele encontrei o que eu queria.

Como não aparece durante o mesmo o autor, vou dizer que é mesmo do Tadeu Schmidt, que o narrou.

02 julho 2010

Desapego Studio Fix Powder

Oi pessoal!

Este não é o intuito do blog, preferia estar comentando da ressaca moral que me acomete pela desclassificação do Brasil na Copa, mas isso fica pro próximo porque agora tô com um problemita.

Encomendei um Studio Fix pra minha amiga Angelice por outra amiga que estava indo de férias pra França - chique, bem!

A Ange é branquinha, branquíssima! A cor dela é N 5. O vendedor na Galeries Lafayette - e essa é a parte que mais me indigna! - convenceu minha amiga, que tem uma pele linda e não precisa entender nada de make mesmo, que não existia a cor. Eu acredito que ele não tinha lá e quis enfiar outra nela... Que me entregou hoje um Studio Fix NC 50!! Pra quem conhece a classificação de cores da MAC sacou que é escuríssimo, né?

A Ana Paula, minha amiga que trouxe, ficou arrasada mas tentei convencê-la de que não foi culpa dela, até porque me fez uma gentileza - e ainda me trouxe dois ímãs lindos, um de Roma e outro de Santorini!

Bom, mas agora preciso me livrar do dito-cujo. Por que eu e não a Angelice? Porque, por rolos nossos, eu que paguei :S

Então é o seguinte, ele me custou 29 Euros, o que no dia dava R$ 72,50. Tô vendendo por R$ 70 mais frete. Não quero ganhar em cima, quero passá-lo adiante e me livrar do preju. POR FAVOR, se souberem de alguém interessado, me avisem, ou avisem a pessoa. Mando com nota e tudo, pra comprovar que não tô ganhando nada.

Pra quem não conhece, o Studio Fix Powder é uma base em pó considerada por muitos perfeita, principalmente por quem tem pele oleosa. No Brasil, na loja da MAC, sai por R$ 120.