30 outubro 2010

"Para o melhor amigo, o melhor pedaço"




Eu pretendia apenas postar estas fotos tocantes que, infelizmente, não lembro de onde baixei. Mas elas me fizeram lembrar de uma história que ouvi pela primeira vez no Momento Espírita e quero dividir com vocês porque eu a acho muito, muito linda!

Espero que gostem também :)

"Serapião era um velho mendigo que perambulava pelas ruas da cidade. Ao seu lado, o fiel escudeiro, um vira-lata branco e preto que atendia pelo nome de Malhado.

Serapião não pedia dinheiro. Aceitava sempre um pão, uma banana, um pedaço de bolo ou outro alimento qualquer. Quando suas roupas estavam imprestáveis, logo era socorrido por alguma alma caridosa. Mudava a apresentação e era alvo de brincadeiras.

O mendigo era conhecido como um homem bom que perdera a razão, a família, os amigos e até a identidade. Não tomava bebida alcoólica e estava sempre tranquilo, mesmo quando não recebia comida alguma. Dizia sempre que Deus lhe daria um pouco na hora certa e, sempre na hora que precisava, alguém lhe estendia uma porção de alimentos. Serapião agradecia com reverência e rogava a Deus pela pessoa que o ajudava.

Tudo que ganhava, dava primeiro para o Malhado que, paciente, comia e ficava esperando por mais um pouco.

Não tinham onde passar as noites. Onde anoiteciam, lá dormiam. Quanto chovia, procuravam abrigo embaixo da ponte do ribeirão. Ali o mendigo ficava a meditar, com um olhar perdido no horizonte.

Aquela figura era intrigante porque levava uma vida vegetativa, sem progresso, sem esperança e sem um futuro promissor.

Certo dia, um homem, com a desculpa de lhe oferecer umas bananas, foi bater um papo com o velho mendigo. Iniciou a conversa falando de Malhado, perguntou pela idade dele mas Serapião não sabia.

Dizia não ter idéia, pois se encontraram um dia, quando ambos perambulavam pelas ruas. Nossa amizade começou com um pedaço de pão – disse o mendigo – Ele parecia estar faminto e eu lhe ofereci um pouco do meu almoço. Ele agradeceu abanando o rabo e daí não me largou mais. Ele me ajuda muito e eu retribuo essa ajuda sempre que posso.

Como vocês se ajudam? – perguntou.

Ele me vigia quando estou dormindo. Ninguém pode chegar perto que ele late e ataca. Quando ele dorme eu fico vigiando para que outro cachorro não o incomode.

Continuando a conversa, o homem lhe fez uma pergunta: Serapião, você tem algum desejo de vida?

Sim, respondeu ele. Tenho vontade de comer um cachorro-quente, daqueles que têm na lanchonete da esquina.

Só isso? Indagou.

É, no momento é só isso que eu desejo.

Pois bem, disse-lhe o homem, vou satisfazer agora esse grande desejo.

Saiu, comprou um cachorro-quente e o entregou ao velho.

Ele arregalou os olhos, deu um sorriso, agradeceu a dádiva e, em seguida, tirou a salsicha, deu para o Malhado, e comeu o pão com os temperos.

O homem não entendeu aquele gesto, pois imaginava que a salsicha era o melhor pedaço.

Por que você deu para o Malhado logo a salsicha? Interrogou, intrigado.

Ele, com a boca cheia, respondeu: Para o melhor amigo, o melhor pedaço.

E continuou comendo, alegre e satisfeito.”

28 outubro 2010

E a colega me irritou


Hoje perdi a paciência com uma colega.

Normalmente sou uma pessoa que releva a maioria das coisas, tenta entender as coisas ditas, faz de conta que não entendeu... Mas hoje não teve como!

Há anos uma colega minha me deprecia, até contei umas coisas aqui num post de julho do ano passado. Hoje, mais uma vez, ela foi indelicada comigo. Não vou contar a história toda porque é meio longuinha, mas me depreciou. Na frente de uma estagiária. Em tom de brincadeira eu falei que, como sempre, tava lá ela me depreciando. Que ainda bem que eu não tinha problema de auto-estima porque senão teria um problema sério por conta das coisas que ela sempre tá me dizendo. Ainda completei que felizmente eu tava muito feliz com minha vida financeira e sentimental - ok, um exagerosinho, mas ela não precisa saber! - e aí ela disse: "Nossa, mas eu não tô sabendo de novidade...". E aí eu completei que não tinha que ficar falando da minha vida pra todo mundo, que só quem era importante e próximo a mim sabia do que me acontece.

Claro que depois disso ela ficou sem-graça e eu não fiz questão de disfarçar que tinha me irritado.

O que mais me indigna é que é uma pessoa que tem uma vida medíocre, valorizando coisas toscas, com um marido que a ignora - e é um casal novo! - e ainda vem me desmerecer?!

Não acho que tenhamos que ser cruéis, nem vingativos, nem nada. Mas creio muito menos que tenhamos que ser capaxo de qualquer pessoa! Não vou aceitar mais que ela pise em mim!!

Na verdade, eu acho que, ou ela filtrará agora o que me fala, ou simplesmente ficará calada!

27 outubro 2010

Martha Medeiros


"sou uma mulher mais ou menos
abandonada
um pouco me dou o direito
um pouco aconteceu assim
às vezes cansa ser independente
hoje me sustente não me deixe me alimente
quero alguém para pentear meus cabelos

sou uma mulher mais ou menos maltratada
um pouco por descuido
um pouco por querer
gosto da impressão esfomeada
às vezes cansa ser milionária
quero sair das páginas dos jornais
hoje me adote me faça um carinho deboche
me ponha no colo e abotoe minha blusa
me faça dormir e sonhar com o mocinho

sou uma mulher mais ou menos alucinada
um pouco foi o acaso
um pouco é exagero
hoje me expulse se irrite me bata
diga abracadabra e me faça sumir
às vezes cansa ser louca demais
mas gosto do medo que sentem
de se envolver com uma mulher assim
hoje quero alguém mais ou menos
apaixonado por mim"

(do livro Poesia reunida, de 1999)

_____
Imagem: Woman by Silecia.

24 outubro 2010

MMMBop


A primeira vez que viu este clipe, meu irmão Taciano achou "a menininha loira" do teclado linda. Foi muuuito difícil convencê-lo de que não era uma menininha e sim um rapazinho...

Acho MMMBop bem nonsense, mas fofíssima, levíssima, gostosíssima! Me lembra uma época bem gostosa da minha vida - menos complicada.

21 outubro 2010

Sobre amar e desamar


Anteontem fiquei horas com uma amiga muito querida ouvindo ela me contar do término de uma relação que, todo mundo de fora via, fazia mal pra ela.

Entre lágrimas e arrependimentos, fiquei pensando por que insistimos em relacionamentos que mais nos fazem mal do que bem? Minha amiga é linda, é interessante, é inteligente... e tava ali, sofrendo por um tipo totalmente o oposto dela!!

Não tô dizendo que gente feia, desinteressante e sem muita inteligência não pode ser amada, mas, o que pode atrair em uma mulher tão especial alguém assim?

A resposta dela pra mim sempre foi "carência". Se sentir sozinha, querer alguém mais parecido com ela mas, entre ficar sozinha e ficar com uma pessoa "errada", ela encontrou qualidades em quem apareceu no seu caminho. Claro que encontrar coisa boa nas pessoas não tem nada demais mas, medo da solidão? Quem não quer encontrar sua cara-metade? Todo mundo quer! Mas... será que, pra não ficarmos sozinhos vale a pena estarmos com alguém que não é legal?

Não escolhemos quem amar. Ouvimos o tempo todo que coração é burrinho, ou que é teimoso e é verdade. Claro que muitas vezes ele colabora, nos faz amar quem tem que amar mas, e quando ele dá mancada conosco?

São várias perguntas que nem sempre consigo responder mas, de verdade, ainda acredito que nos recuperemos de dores de amor. Às vezes mais, às vezes menos rápido, mas não acredito na impossibilidade de voltarmos a ter o coração disparado por outro amor. Lembranças sempre ficam e vagamente voltarão ao nosso coração e à nossa mente e nem sempre com mágoa porque alguma coisa bacana acaba ficando de qualquer relação.

Mas no momento da separação de no processo de "desamar", o melhor mesmo é lembrar só das coisas ruins que sobraram e assim nos "desintoxicarmos" mais rapidamente! ;)

____
Imagem: Do site xiongdudu.com

16 outubro 2010

Gabriel's oboe


Gabriel's Oboe, composta por Ennio Morricone, da trilha sonora de A missão.

15 outubro 2010

Vi: A missão


"Com uma orquestra, os jesuítas dominaram todo o continente. Assim os índios Guarani foram finalmente submetidos à eterna misericórdia de Deus e à curta misericórdia dos homens". (Padre Altamirano, em A missão)

A colonização da América Latina inteira - do México ao sul da Argentina - foi absurdamente sangrenta, cruel, vergonhosa. A literatura latino-americana tem vários poemas e histórias que tratam do assunto. No Brasil, praticamente não conheço nada que trate disso, a não relatos como no Mato Grosso, numa cidade onde meu pai morou e que o Rio de Sangue corta a cidade e ganhou esse nome na época que o Mal. Rondon andou por aqueles lados e tornou o rio vermelho com o sangue de índios mortos. E nem faz tanto tempo isso, uns cento e poucos anos!

A região aqui de Foz faz parte atualmente da região onde foram construídas várias missões jesuíticas no século XVIII. Desde Santo Ângelo, no RS, cruzando a província de Misiones na Argentina e o Departamento do Alto Paraná, no Paraguai - que fazem ambos fronteira com Foz - os padres jesuítas construíram cidades extremamente bem organizadas e pacíficas em meio a briga de Portugal e da Espanha pelo território e pelo índios, povo perfeito para ser escravizado.

A história de A missão (The mission, Inglaterra, 1986) se passa na metade do século XVIII. Gabriel - Jeremy Irons - é o padre mandado pra região para catequizar os Guaranis da região e os quais, através da música primeiramente, acaba conquistando. Rodrigo - Robert De Niro - é um caçador de escravos que, depois de cometer um crime do qual não se perdoa, se junta aos jesuítas e aos Guaranis que antes escravizava. Pouco depois, chega na região um enviado do Papa, o ex-jesuíta Altamirano - Ray McAnally - para decidir o que fazer com o território e com as missões.

Para mim, tudo funciona no filme. A trilha sonora de Ennio Morricone é inesquecível, umas das minhas preferidas mesmo antes de ver o filme - vocês com certeza conhecem a canção "Gabriel's oboe", mesmo que não saibam o nome dela! -, a fotografia, com a imagem impactante das Cataratas é deslumbrante! Eu sempre fico pensando como foi pros primeiros brancos darem de cara com elas ainda no século XVI e, o modo como elas são fotografadas, lindas mas também assustadoras, dá uma idéia de como realmente estes homens a viam ao chegar aqui. Robert De Niro está simplesmente perfeito! Seus silêncios, seus olhares, seu pranto... Tudo, tudo, tudo é magistral! Jeremy Irons está ótimo também, mas por seu personagem ser dócil e comedido, a gente acaba notando mais De Niro. E ainda tem Liam Neeson, novinho...

Quem for ver, não desligue na hora dos créditos! Tem filme depois dele ainda!

Sobre os mineiros chilenos


Poucas vezes um evento distante de mim me emocionou tanto como o soterramento dos mineiros chilenos no deserto do Atacama e, muito menos vezes ainda, me emocionou tanto acompanhar o final de uma história!

Desde agosto eu assistia o desenvolver da história do salvamento daqueles homens e pedia pra Deus que tudo acabasse da melhor forma possível. Como muita gente, não esperava um final tão "breve"!

Vi o primeiro mineiro sair e chorei com milhares de pessoas ao redor do mundo, quando ele abraçou o filho e sua esposa. Vi outros tantos mineiros saindo e igualmente me emocionei.

Acho que o que nos comprova humanos é a capacidade de nos compadecermos com a dor do próximo. Vendo homens tão distintos saindo de debaixo da terra depois de 69 dias, depois de tanta expectativa, tantos receios, tanta espera, me fez pensar em como seria se fosse meu pai, um irmão ou o homem amado ali, naquele espaço mínimo, isolado. E não tinha como não sofrer com aqueles filhos, esposas, pais...

Como Deus é bom! E como nós seríamos melhores também se só usássemos a nossa inteligência, a nossa capacidade de criar, para o bem!

09 outubro 2010

Um aniversário... y otras cositas

Tanto tempo sem escrever! Nem vou dar desculpa de tempo corrido e blá, blá, blá porque é chato escrever isso e mais chato ainda ter que ler! Vou apenas contas unas cositas e pronto, okie? ;)

***

Ontem foi aniversário da Ellen, uma das pessoas que mais comentam os posts e que faz parte da minoria que  lê o blog e que conheço pessoalmente. O pai dela já foi meu evangelizador, ela foi evangelizanda da minha mãe... Mas ela é pelo menos uns 5, 6 anos mais nova do que eu, o que não nos fez amigas quando morávamos as duas na mesma cidade - sim, porque a moça é "rodada" e, novinha, já tá no pós-doutorado, tendo morado, entre outros lugares, um tempo na Espanha e tá chegando agora do Canadá.

Este post aqui é pra me redimir também porque ontem vi no Orkut que ontem era níver dela logo cedo mas depois "passou", não voltei lá e só hoje cedinho me lembrei. Então quero aqui desejar tudo de melhor do Universo pra Ellen, que Deus continue abençoando-a, acompanhando-a e que ela continue fiel ao blog! Obrigada pelos comentários aqui, pelas conversas no Twitter :)

***

E eu, não tô no pós-doutorado que nem a Ellen, mas tô na pós-graduação. Acho que comentei que tinha me inscrito em uma e tava esperando o processo de seleção e tals.

A pós é em "Linguagem, cultura e ensino" e essa semana que passou foi a terceira de aula - nas quartas, quintas e sextas à noite - e estamos no segundo módulo. Tô gostando muito! Agora a gente tá vendo "Fundamentos da lírica", lendo poesia, estudando poesia e tá legal. Em dezembro já tem férias e só volto em março do ano que vem e logo, lá por outubro, já tô terminando a dita-cuja.

Algumas pessoas, quando souberam que eu tava estudando perguntaram espantadas: "mas você não vai parar nunca de estudar?!". Quando comecei a fac de Letras eu parei de pensar na questão de idade e estudo - apesar de que, sim, é verdade, é duro ensinar papagaio velho a falar e não é fácil pra mim apreender - com dois "e" mesmo - os assuntos, como era aos 20. Talvez eu resolva ser mesmo professora. Talvez. Eu tô estudando porque não podia perder a oportunidade e acredito que conhecimento nunca é demais e porque gosto mesmo. O que não signifique que eu seja uma aluna de resultados nota 10, certo?

***

No dia 4 de dezembro, cedinho, meus sobrinhos e minha cunhada chegarão aqui em Foz! Quem acompanha o blog sabe da paixão que tenho por esses piás que há tanto tempo moram longinho daqui! Eles ficarão até janeiro conosco e estão empolgados com a primeira viagem de avião, com o Natal aqui, com os passeios que rolarão... E eu também tô superempolgada com tudo isso!

***

Aliás, falando em Natal, onde vocês passarão o de vocês? Muita gente indo pra praia no final do ano? Invejinha "branca" de quem vai mas tô feliz porque pretendo ir com o resto da família daqui no Natal pra Lins, onde meu irmão Taciano mora. Se é viagem, se é pra lugar gostoso, se é com gente querida ou pra ver gente querida, eu tô bem, tô feliz!

***

E acho que é isso. Quero escrever com mais frequência e pretendo tentar. E espero que todos vocês estejam bem, mesmo os caladinhos que não andam comentando aqui ou escrevendo em seus blogs.

Delicioso feriadão pra todos, até pros que, como eu, estarão no tronco esses dias todos! :S