29 junho 2009

Níver da Ange!

Sabe aquela história de que os verdadeiros amigos são pra vida toda, que mesmo depois de anos de separação, no retorno, se continua muito amigo?

Pois bem, minha história com a Angelice confirma isso! A gente se conheceu quando, por alguns meses, fui secretária em uma escola de informática onde ela trabalhava como programadora.

Eu troquei de emprego, ela trocou de cidade... Sobraram os contatos, não muito frequentes, pelo MSN, pelo orkut. De longe ela soube do final do meu casamento. De longe eu soube da morte do seu pai.

No final do ano passado ela me contou que provavelmente voltaria pra Foz porque recebera uma boa proposta de emprego. Tudo deu certo, ela voltou embora pra cá, tá morando e trabalhando em uma cidade que fica a 15 km daqui. Rapidinho fomos nos inteirando uma do que acontecia na vida da outra, voltamos a trocar confidências... e é assim que estamos hoje!

Hoje minha amiga querida completa 32 anos. Esse é um momento de mudanças e tomada de decisões na vida dela, mas sei que tudo será feito de forma muito acertada e racional, porque assim é a Ange.

Ela é também uma das pessoas que mais sabe de mim e que mais adoro! É uma irmã que se mostra prestativa sempre que preciso, que nunca diz "não" pra nenhum convite que faço, que me escuta, que palpita, que me pagou um capuccino delicioso ontem...

É bacana também porque falamos muito sério, mas sempre tem espaço pra boas risadas; como no dia em que ela me contava algo muito triste e, quando tirei o lenço de papel do pacotinho para enxugarmos nossas lágrimas, descobrimos que ele mais parecia um paninho rendado, de tantos furos causados pelas unhas do Milo!

A Angelice ter voltado pra Foz foi, provavelmente, uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida este ano. Em um momento de amigos afastados e de família distante, ter alguém tão especial como ela pertinho, é muito bom!

Que Deus lhe abençoe imensamente, minha amiga! Que tudo de mais maravilhoso no Universo possa te alcançar, especialmente aquelas coisinhas que em alguns momentos possam parecer distantes! Eu te amo muito!!

___
Foto: Happy Birthday Zakiah by BahiQ8

"Perdi meu amor no paraíííííso..."

Fui no show da Blitz sábado!

Bom, eu acho que todo mundo sabe que banda é essa, né? Aquela, dos anos 80, comandada pelo Evandro Mesquita... Pergunto porque tive que explicar algumas vezes semana passada que banda era essa, cantarolar Você não soube me amar, Geme geme, A dois passos do paraíso...

Como era de se esperar, o público era composto, em sua maioria, de maiores de 35 anos - me senti quase uma adolescente no meio dos quarentões e cinquentões! rsrs - e provavelmente por isso, foi muito tranquilo, sem maiores atropelos, empurrões ou coisas parecidas. Tava tão tranquilo que consegui assistir o show todo pertinho do palco!

O Evandro Mesquita é um showman! O tempo inteiro conversando com o público,fazendo uso do seu talento de ator cômico, interagindo com o povo, simpático... A Blitz, na verdade, é ele! Mas as gurias que o acompanham são lindas e até cantam e, se não me engano, uma delas, a morena, é esposa dele.

Os maiores sucessos foram cantados, alguns, duas vezes, como foi o caso de Geme geme, a minha preferida! Até pensei em postar aqui o vídeo com ela no show... mas desisti quando, ao ver o que filmei, descobri que, como aconteceu no show do A-ha, a primeira voz acabou sendo a minha - e ainda tem a Angelice pedindo pra tirar foto dela e dizendo: "Ah, cê tá gravando?".

Logo no começo do show, começamos - as duas amigas com quem eu estava, e eu - a gritar o nome do personagem dele em A grande família: "Paulão! Paulão! Paulão!"; ele olhou sorrindo e disse: "Valeu... a Marilsa tá lá... cuidando da oficina...". Imagina a gritaria do público!

Anyways, o show foi uma delícia! O triste foi acordar depois de menos de 4h na cama pra um compromisso às 8h do domingo...

28 junho 2009

Torcida

video
Recebi esse vídeo por email do meu irmão e do meu pai - acho que eles se esquecem que sou parente de ambos e sempre recebo os emails duplicados... rsrs. É tão lindo que quis dividir com vocês! Provavelmente alguns já conhecem, se não por vídeo, por email escritinho mesmo - eu o conheci assim, ano passado, se não me engano.

Espero que gostem tanto quanto eu gostei :)

27 junho 2009

Nota de esclarecimento: para o Luís

Caro Luís,

Eu sei que o Maniche não é a Catita. Quando citei "vira-lata português" me referi a ele mesmo - até porque, se estivesse falando da Catita, seria, "vira-lata portuguesA"!.

Espero que este post sirva como desculpa e que você, por favor, não me prive dos seus comentários. Mesmo dos mais bélicos!

P.S. - Eu acho que nunca vi foto do Maniche mas já tenho muito, muito medo dele!

___
Foto: Basement Cat by thrumyeye (imagem, obviamente, meramente ilustrativa)

26 junho 2009

Momento Espírita:Ode à alegria

Hoje comentei em uma postagem do Henryhh - www.henryhh2008.blogspot.com - que já não sabia o que pensar do mundo, diante de tanta iniquidade. Mas, no final da tarde, recebi essa mensagem linda que me pareceu uma resposta à minha desilusão.

Pretendia postar um vídeo junto mas, quase uma hora depois dele aqui carregando - e olha que a net não é lerda aqui! - desisti, mas eis o link: http://www.youtube.com/watch?v=Lt7dVadJRzs

As imagens são da abertura dos Jogos Olímpicos de Nagano, em 1998, quando o maestro Seiji Ozawa regeu cinco corais espalhados pelo mundo - em Berlim, na Cidade do Cabo, em Nova York, em Beijing e em Sydney. Sei que música clássica não é algo que agrada a todos e a parte mais conhecida - e linda - só acontece a partir dos 7:20 minutos. Mas ouçam com o coração. Não tem como não se emocionar com a mensagem e com as imagens - e a música lindíssima!

Os versos citados na mensagem:

"Abracem-se milhões!
Enviem este beijo para todo o mundo!

Irmãos, além do céu estrelado.

Mora um Pai Amado.
Milhões se deprimem diante Dele?
Mundo, você percebe seu Criador?

Procure-o mais acima do céu estrelado!
Sobre as estrelas onde Ele mora."

(Friedrich von Schiller)

Ode à alegria

Era o dia 7 de maio de 1824.

Os privilegiados espectadores sentados na platéia do Teatro em Viena, então capital do Império Austro-Húngaro, mal sabiam que estavam para presenciar a primeira audição mundial da maior obra-prima da História da música.

Ainda que o autor já fosse uma celebridade, recebido naquele mesmo dia com uma ovação digna das platéias de música pop de hoje, a reação foi surpreendente.

O comissário de polícia precisou intervir, para silenciar a explosão de aplausos na chegada do alemão: Ludwig Van Beethoven.

Era o dia da primeira apresentação de sua Nona Sinfonia.

Após as palmas, um grande estranhamento.

Até então, a sinfonia – forma musical para orquestra consagrada durante o classicismo – excluía por definição as vozes humanas.

No entanto, no palco sentavam-se quatro solistas e um coral em quatro partes.

Para aumentar a perplexidade, enquanto todos os outros instrumentos desenrolavam movimentos que superavam a racionalidade clássica, permaneciam em silêncio o coral e os solistas.

Eles entrariam apenas no quarto e último movimento.

Beethoven, três anos antes de sua morte, ali realizava uma vontade que alimentava desde os 22 anos de idade: musicar o poema alemão Ode à alegria, de Schiller.

E era o que fazia no derradeiro movimento da obra, quebrando a última barreira do modelo sinfônico.

Oh amigos, não chega desses sons? Entoemos algo mais prazeroso e alegre! – vibrou o barítono em recitativo.

Os baixos do coro responderam-lhe forte: Alegria, alegria – para que, com a orquestra silenciada, começassem a solar um dos temas mais conhecidos da música ocidental.

O tema proclamava: Todos os homens serão irmãos.

Era o poema da fraternidade universal, musicado pela genialidade e sensibilidade irretocáveis de Ludwig.

Abracem-se milhões! Enviem este beijo para todo mundo!

* * *

A arte é o belo expressando o bom.

É a expressão da beleza eterna, uma manifestação da poderosa harmonia que rege o Universo.

Convidar a arte para nossa vida diária é ter à disposição excelente instrumento de civilização e aperfeiçoamento.

A influência da música sobre a alma, sobre o seu progresso moral, é reconhecida por todo o mundo. Mas a razão dessa influência é geralmente ignorada.

Sua razão está inteiramente neste fato: a harmonia coloca a alma sob a força de um sentimento que a desmaterializa.

Redação do Momento Espírita, com citações do cap.

A música espírita, do livro Obras póstumas,

de Allan Kardec, ed. Feb.

Em 26.06.2009.



___
Foto: Rosy Butterfly by secondclaw

Quero minha casa!! - UPDATED

Ah, gente! Tá punk dividir a casa, viu?

Eu preciso contar que... ******

Tudo que eu escrevi é mentira: aqui é uma delícia, tudo muito bom. O problema sou eu mesma que sou esquisita, preguiçosa, porca, relaxada e, dentre outras coisas, não faço almoço antes de ir trabalhar.

******

____

Foto: Angry Little Girl by SubterfugeMalaises

Amado - Vanessa da Mata

video

Amado

Vanessa Da Mata

Composição: Vanessa da Mata


Como pode ser gostar de alguém
E esse tal alguém não ser seu
Fico desejando nós gastando o mar
Pôr-do-sol, postal, mais ninguém

Peço tanto a Deus
Para lhe esquecer
Mas só de pedir me lembro
Minha linda flor
Meu jasmim será
Meus melhores beijos serão seus

Sinto que você é ligado a mim
Sempre que estou indo, volto atrás
Estou entregue a ponto de estar sempre só
Esperando um sim ou nunca mais

É tanta graça lá fora passa
O tempo sem você
Mas pode sim
Ser sim amado e tudo acontecer

Sinto absoluto o dom de existir,
Não há solidão, nem pena
Nessa doação, milagres do amor
Sinto uma extensão divina

É tanta graça lá fora passa
O tempo sem você
Mas pode sim
Ser sim amado e tudo acontecer
Quero dançar com você
Dançar com você
Quero dançar com você
Dançar com você

(linda, linda, linda!)

Farrah e Michael

Ela era linda. E sabia.

No começo dos anos 80, eu tinha 5, 6 anos, e As panteras foram as primeiras mulheres que eu "quis ser". Nas brincadeiras - que mulher por volta dos 35 nunca brincou de As panteras? - eu era sempre a Kelly - Jaclyn Smith - mas a Jill, interpretada por Farrah Fawcett era a mais linda e desejada.

A foto que ilustra este post provavelmente é conhecida de todos. Ela, no auge da beleza, foi símbolo sexual, tinha o cabelo mais desejado, era a mais desejada.

Depois que deixou de ser uma das Charlie's Angels não andou fazendo muito sucesso, apareceu na mídia mais por baixarias que pela carreira e, tristemente, morreu de câncer ontem pela manhã.



Ele era lindo. Mas não sabia.

Começou muito novinho a fazer sucesso com irmãos, depois se aventurou sozinho e foi um sucesso. Também, cantar, dançar, compor... Não é pra todos.

Mas, a impressão que a gente tem é que nunca se aceitou e ultimamente só era citado por escândalos, pela aparência cada vez mais esquisita, pelos filhos que jamais mostravam os rostos, pelas dívidas de centenas de milhões de dólares...

Nunca fui uma fã ardorosa de Michael Jackson, mas gostava dele, cantarolei muitas de suas canções e Bad foi a primeira música que uma professora de inglês deu em uma sala de aula minha. Auge de sua carreira esses tempos de Bad...


Acho as duas perdas muito tristes! Não porque eram famosos, mas porque eu sempre sinto mais pelas pessoas que, pelo menos aparentemente, tiveram vidas infelizes. Quem é feliz e parte, aproveitou de verdade sua passagem pela Terra, deixará saudade pelos motivos certos nos que ficam. Mas quem foi infeliz, quem tantos equívocos cometeu, quem era mais citado por envolvimento com drogas, ou possíveis casos de pedofilia, esses são lembrados causando pena, ou alívio, nos mais cruéis.

Que Deus abençoe os dois; que os ampare. E que console seus familiares que por aqui ficaram.

25 junho 2009

Quindins na portaria

"Estava lendo o novo livro do Paulo Hecker Filho, Fidelidades, onde, numa de suas prosas poéticas, ele conta que, antigamente, deixava bilhetes, livros e quindins na portaria do prédio do Mario Quintana: 'Para estar ao lado sem pesar com a presença'.
Para a maioria das pessoas, isso que chamo de um raro estalo de sensibilidade tem outro nome: frescura. Afinal, todo mundo gosta de carinho, todo mundo quer ser visitado, ninguém pesa com sua presença num mundo já tão individualista e solitário.

Ah, pesa.

Até mesmo uma relação íntima exige certos cuidados. Eu bato na porta antes de entrar no quarto das minhas filhas e na de meu próprio quarto, se sei que está ocupado.

Eu pergunto para minha mãe se ela está livre antes de prosseguir com uma conversa por telefone. Eu não faço visitas inesperadas a ninguém, a não ser em caso de urgência, mas até minhas urgências tive a sorte de que fossem delicadas.
Pessoas não ficam sentadas em seus sofás aguardando a chegada do Messias, o que dirá a do vizinho. Pessoas estão jantando. Pessoas estão preocupadas. Pessoas estão com o seu blusão preferido, aquele meio sujo e rasgado, que elas só usam quando ninguém está vendo. Pessoas estão chorando. Pessoas estão assistindo a seu programa de tevê favorito.

Pessoas estão se amando. Avise que está a caminho. Frescura, jura? Então tá, frescura, que seja.

Adoro e-mails justamente porque são sempre bem-vindos, e posso retribuí-los sabendo que nada interromperei do lado de lá. Sem falar que encurtam o caminho para a intimidade. Dizemos pelo computador coisas que face a face seriam mais trabalhosas.

Por não ser ao vivo, perde o caráter afetivo? Nem se discute que o encontro é sagrado. Mas é possível estar ao lado de quem a gente gosta por outros meios. Quando leio um livro indicado por uma amiga, fico mais próxima dela. Quando mando flores, vou junto com o cartão. Já visitei um pequeno lugarejo só para sentir o impacto que uma pessoa querida havia sentido, anos antes. Também é estar junto.

Sendo assim, bilhetes, e-mails, livros e quindins na portaria não é distância: é só um outro tipo de abraço."

(Martha Medeiros)

24 junho 2009

:)

Acabou, graças a Deus!

Bom, passei ontem o dia angustiada e mal dormi à noite porque ela miava sem parar, pertinho da minha janela! Não sei dizer se rezei mais ou chorei mais, sinceramente - mas acho que rezei mais.

Bom, hoje eu tinha me decidido a arranjar uma escada e dar um jeito de pegar a Kitty. Logo cedo, antes das 8h, ela começou a miar. Me levantei, o vizinho dono da casa estava saindo e aí resolvi tentar todas as possibilidades: liguei pro senhor que limpava a calha do apartamento onde eu morava - ele estava trabalhando. Aí pedi pro meu cunhado, que trabalha com metalurgia e ele disse que ia trabalhar e trazia uma escada que tinham. Liguei de novo no 193 - ah, sim, ontem depois que postei, liguei pra eles e me disseram que era uma coisa meio complicada de resolver, que eles não faziam esse tipo de serviço - bom, hoje eles disseram que o Comandante "Não sei quem" não liberaria uma escada pra isso - e eu quase chorando no telefone!

Bom, passei parte da manhã na calçada, falando com a Kitty. Quando meu vizinho chegou, preocupado com ela pelo tempo que estava lá, me chamou pra ir em outro vizinho que tinha uma escada grande. Fomos, mas o outro vizinho, muito querido também, não tinha mais a escada e foi conosco em outro vizinho - estão contando? é o terceiro vizinho! Aí esses vizinhos tinham emprestado a escada pra outra pessoa que não morava perto e que não devolvera a escada ainda. Eles foram super-queridos, até tentar com o povo da Copel - empresa de energia elétrica do PR - tentaram. E nisso, eu ainda esperando meu cunhado com a escada; era quase meio-dia... e eu deveria ter ido trabalhar já a essa hora!

No meio da tarde, ainda esperando a escada que o irmão do meu cunhado não trazia, liguei pra Vanessa quase chorando e ela me sugeriu tentar com o pessoal de uma ONG, a Vida Animal, ver quem poderia me ajudar com uma escadona - os vizinhos calcularam em 10 metros a altura onde a Kitty estava. Liguei pra queridíssima Giane que atualmente está afastada da ONG mas que me disse que quando a Vida Animal acionava os bombeiros atendiam. Aí pegou meu telefone, ligou pra Noeli, que é da ONG e um tempo depois eu comecei a falar com a Silmara, filha da Noeli que ligou até pro comandante, ou sei lá quem, e conseguiu que eles viessem aqui!

Bom, quando chegou o carro dos bombeiros vocês podem imaginar a festa que foi na rua pra molecada, todos em casa em dia de feriado municipal. Um dos bombeiros estudou quase 2 anos comigo na faculdade e não precisou disfarçar a bronca de estarem aqui, com essa ocorrência. Colocaram a escada no abacateiro onde a Kitty estava - na casa tem um abacateiro e uma mangueira, lado a lado - e na hora ela pulou pra mangueira. Pronto, aí a coisa ficou feia já que eram mais de 17h e a mangueira é densíssima, o que dificultava muuuuuito a visualização! Insisti pra me deixarem subir pelo menos na escada e chamar por ela, mas ela não vinha... e nem eu conseguia vê-la! Daí ficaram os dois bombeiros em cima da árvore e um deles encontrou a Kitty e tentou fazer com que ela caísse de lá chacoalhando os galhos. Obviamente não era uma boa idéia e ela ia de um lado pro outro, conosco só ouvindo ela, mas ninguém, nem mesmo os bombeiros, conseguindo vê-la! Nisso a Silmara chegou pra filmar o resgate. Aí tinha um público razoável no quintal da Emanoela e do Douglas, meus vizinhos fofos: nós três, a Silmara, as duas filhas, o marido, outro bombeiro, vizinho também que ajudou os colegas com uma lanterna, um monte de criança, minha irmã, outras vizinhas - e a bull terrier deles presa na calçada, histérica, e o lhasa apso assistindo tudo, na camionete.

Lá pelas tantas tentaram pegar ela com uma enforcadeira e, sem que ninguém visse, só os bombeiros lá de cima, ela pulou pro telhado do outro vizinho - telhado que fica muuuito pertinho do muro entre esta casa e a minha. Não a vi entrar em casa mas meus sobrinhos a viram e já a assustaram - aliás, esporte preferido dos dois: assombrarem os gatos e a cachorrinha da casa. Agradeci um monte aos bombeiros, à Silmara e aí chegou um oficial bombeiro e me deu um pito, dizendo que enquanto eles atendiam a nossa chamada o posto deles aqui no meu bairro estava descoberto, que inclusive um deles era socorrista do SIATE... Eu pedi desculpas e, com o sorriso mais terno que já dei, agradeci delicadíssima!

Fiquei ainda um tempo com a Silmara, tentei encontrar a Kitty porque elas queriam tirar uma foto nossa pra ONG, mas nada da mocinha. Agradeci emocionada pra ela, que disse que elas estão sempre disponíveis quando necessário - o que é verdade já que saíram daqui pra atender uma outra "ocorrência".

Bom, só voltei a ver a Kitty quase 1h depois, assustadíssima e famélica, claro! Agora ela tá lá no quarto, toda dengosinha, as always, aliás.

Gente, OBRIGADÍSSIMA pelos comentários, pelo pensamento positivo, pelas preces, pelo carinho! Me ajudaram muito! Luís, Dora, Talita, Henryhh, Tainá, Sandra, Cíntia, Servo, Mel, Laéli - alguns mais de uma vez e até por outros meios - vocês não sabem o quanto foi importante ler o que escreviam! Me deu coragem e ânimo! Agradeço também ao Roberto, pelo carinho nos emails ontem, tentando me tranquilizar, a minha querida Ange que não postou nada mas lê o blog e com quem troquei trocentos sms's durante o dia, com ela super-preocupada. E também a Vane, que teve o insight de ligar pra Giane!

E agora, duvido que a Kitty encare até mesmo um arbustinho tão cedo - assim espero, pelo menos!!

23 junho 2009

:S

Tô na fac e dei uma fugidinha da sala pra contar da Kitty.

Ontem quando cheguei em casa e ia tomar banho ouvi a Kitty miando abafado. Descobri que ela estava na mangueira na casa do vizinho. Fui até lá, os vizinhos - mesmo já sendo umas 22h - foram super-gentis, fiquei com a dona da casa chamando ela por mais ou menos meia hora, ouvíamos ela miar, mas nada dela descer.

Passei a noite na esperança que ela aparecesse e nada.

Continuo esperançosa de que ela, usando do seu instinto de sobrevivência, descubra como descer porque a árvore é bem alta e cheia de ramos, ou seja, não tem como eu subir atrás dela!

Ah, pessoal, cruzem os dedos e façam suas preces, se assim crerem! Ao mesmo tempo que espero que ela desça, tenho medo dela não conseguir e, fraquinha, acabar se machucando ou sendo atacada pelos cachorros da casa - apesar de que eles são bonzinhos, mas são... cachorros!

Qualquer novidade, posto aqui!

22 junho 2009

:(

Tô super-chateada e angustiada: a Kitty, minha gatinha de quem postei uma foto no final da semana passada tá desaparecida desde ontem à noite.

Um pouquinho ela sumida eu não me preocupo porque ela dá umas voltas. Mas, quando acordei no meio da madrugada e só o Milo dormia lá comigo, me bateu um medo e uma preocupação enorme do que pode ter acontecido com ela!

Hoje amanheceu chovendo, esfriou, e ainda nada dela! Eu quero pensar que foi bater perna e tá bom por lá, ou que entrou em um cio precoce... Só não quero não saber nada dela porque é muito pior do que ver morrer ou encontrar morto!

Tô pedindo pra Francisco de Assis guardá-la e levá-la pra casa viva. Não queria que nada de mal acontecesse à minha bebezinha!

20 junho 2009

Sobre medo e renovação

"Tu tens um medo:
Acabar.
Não vês que acabas todo o dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo o dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.

E então serás eterno."

(Cecilia Meireles)

17 junho 2009

Vale a pena ser romântico?

Sheila:Henryhh, que delícia, você é um romântico! (rsrs)Esse filme é muito fofo. Acho que todo mundo o adora!
Henryhh: Oi Sheila! Pois é... um romântico? será que vale a pena? Ei, isso dá um belo post não acha??? beijão, boa semana pra vc tbm!!
Sheila: Eu espero que valha a pena, porque não consigo mudar! (rsrs) Dá sim, escreva e eu venho comentar! :)Beijocas.

A pequena conversa acima aconteceu domingo no Blog do Henryhh quando comentei um post dele sobre o filme Diário de uma paixão (http://henryhh2008.blogspot.com/2009/06/diario-de-uma-paixao-notebook-2.html).

Fiquei tentada então a escrever sobre isso de ainda valer a pena ou não ser romântico.

Eu tenho dois lados bem paradoxais em relação ao tema. O lado mais sensível e "coração" se derrete com declarações de gostar, com gestos carinhosos. Já o lado mais prático e "cerebral" acha que, depois de umas desilusões, é melhor deixar essa história de se apaixonar pra lá e ter envolvimentos racionais até pelo resto da vida.

A Jennifer Aniston disse em uma entrevista recentemente que "é irreal achar que todo mundo vai ter um amor pra vida toda. É enganar a si mesmo."

Ao ler isso, pensei com o meu lado prático, que ela está certíssima e que a gente não precisa fazer disso um drama. E ainda pensei que, se pra ela, linda, loira, magra e milionária a coisa tá nesse pé, o que uma simples mortal como eu pode esperar?

Já o meu lado romântico prefere crer que ela deu a entrevista em um momento - ah, acontece! - de negativismo, quando tava meio pra baixo, mas que não pensa mesmo assim e que todo pé torto tem um sapato que lhe sirva.

Bom, mas esse lado de sentimento é o mesmo que me fez viver apaixonada até a adolescência por piás que nem sabiam desse amor! E olha que eu mandava até cartinhas perfumadas secretas pras "vítimas". Hoje em dia não me apaixono tão facilmente - felizmente! - mas quando acontece... já viu! O pior é que sei que isso pode confundir e assustar os moços!

Quando "cerebral" penso que podemos estar com alguém muito bacana, querido e serem só momentos de carinho. Não tô falando de sexo casual - não é e nunca será a minha - mas de não esperar comprometimento, casamento, filhos...

Mas eu preciso confessar: eu ainda sou muito mais romântica do que prática! Meus relacionamentos - TODOS! - têm trilha sonora - algumas gravadas e tudo! Mesmo quando não deveria, eu pensei em casamento com todos os namorados e affairs! Eu insisto em lingerie, velas, perfumes, óleos... Adoro ainda escrever cartinhas, bilhetinhos, emails amorosos! Eu choro com romances escritos, filmados e vividos. Eu - nem tão no fundo assim - acredito no amor da minha vida!

É dolorido? Siiiiiiimmmm!

Muitas vezes é incompreendido? Siiiiiiimmmm!

Mas, querem saber? Quer saber, Henryhh? Acho que ainda vale a pena ser romântico sim. Porque a gente fica feliz. E porque os que amamos, ou por quem estamos apaixonados, quando realmente envolvidos na história também ficam felizes... E principalmente porque deve ser muito triste não se emocionar vendo filmes como Diário de uma paixão, ou O paciente inglês... ou simplesmente lendo o sms apaixonado que a amiga recebeu!

Não quero sofrer de amor sempre ou para sempre, mas quero ser romântica até bem velhinha. E se isso acontecer ao lado de um homem amado, a história teve um final feliz!


______
Foto: Romantic by kati_kokalj



Um pouquinho da beleza de Mario Quintana

"Amar: Fechei os olhos para não te ver
e a minha boca para não dizer...
E dos meus olhos fechados desceram lágrimas que não enxuguei,
e da minha boca fechada nasceram sussurros
e palavras mudas que te dediquei...

O amor é quando a gente mora um no outro."

(Do delicioso blog www.marioquintana.blogspot.com)

____
Foto: Love by evangeliine

15 junho 2009

Curitiba em outubro?

Moro há 18 anos em Foz e aprendi a amar a cidade, mesmo com seus inúmeros problemas - bom, e que cidade não os tem?

Mas, minha paixão, meu sonho de consumo de moradia é Curitiba!

Adoro o clima da cidade, adoro o ar da cidade, me dou bem até com o povo que tem fama de antipático e frio!

Sábado me avisaram que tem encontro de coordenadores de juventude espírita lá na capital e meu coração deu um pequeno disparo. Por mais que eu adore a cidade, umas situações recentes me deixaram com medo dela -coisa mais boba! - mas, quando me perguntaram se eu queria ir, não consegui escapar de dizer que "à princípio sim".

Até lá tem muito chão, como diz minha mãe, mas esses encontros são tão gostosos que espero que dê tudo certo e que eu consiga ir sim! Tudo bem que é sempre super-corrido, um monte de coisas em um final de semana só, mas... em Curitiba? Arrisco pra perder o medo. Arrisco para aprender mais. E arrisco para ver gente sempre muito querida do estado inteiro!


_____
Foto: Fábio Barros

13 junho 2009

Festas juninas

Adoro festas juninas! Tive a enorme felicidade de viver dos 8 aos 14 anos no sertão pernambucano, onde passei festas inesquecíveis! Não perdia nenhuma quadrilha da escola e ia em todas as tardes de festa do clube da cidadezinha onde morava! Muito bolo de mandioca, de milho, pipoca, correio-elegante e cadeia do amor.

Mas aqui em Foz também cheguei a participar de festas gostosas. O mais legal daqui é que o clima propicia fogueira e afins juninos.

Seguem algumas festas marcantes:

A mais dolorida: Meados dos anos 80. Fomos nas férias pra casa da minha avó mineira que, na época, morava ainda no Bonito - São João do Bonito, uma vila no norte de Minas Gerais. Fogueira na frente da casa dela, muita conversa com as amiguinhas de lá, passeios em volta do fogo... No dia seguinte eu descobri porque dizem que brasa encoberta é tão perigosa: andando descalça ao redor da fogueira já apagada, pisei no que me pareceu um pedacinho de madeira seco mas que, na verdade, era uma brasa ainda quente. Apareceu uma bolha enorme bem no meio do meu pé esquerdo que durou as férias inteiras e que me fez, até hoje, ser muito cuidadosa com fogueiras e brasas, acesas ou não!

A melhor e mais longa quadrilha:
Foi em Itaparica, em Pernambuco. Acho que em 1988; eu tinha 13 anos. Meus pais e seus amigos fizeram a festa junina em uma chácara! O local foi todo decorado, todos estavam à caráter... e dançamos uma quadrilha onde a única certeza que tínhamos era dos nossos pares já que não ensaiamos nenhuma vez! Teve casamento e tudo. E a quadrilha foi longuérrima, só terminando a pedido dos dançarinos, depois de uma meia hora rodando na grama, felizes... mas cansados da diversão!

A mais rentável: Novamente em Itaparica. 1989. O João Manuel gostava de mim e eu gostava do Guilherme. Eu queria mandar correios-elegantes pro Guilherme e o João Manuel pra mim. Como sei que era ele? A "carteira" saia direto dele e vinha me entregar os recadinhos dele. Eu não queria gastar dinheiro com ele! Ela levou o recado e ele disse que pagava os correios que eu mandasse. Eu não queria escrever pra ele também. Ele insistia. Resultado: ele pagou pelo menos uns dois correios-elegantes meus pro Guilherme! Poxa, quem mandou ser insistente?!

O maior mico: 1992. Fazia 1 ano que eu morava em Foz e fui na festa mais legal da cidade, que acontecia dentro do batalhão do exército. Um frio típico de junho. Fui toda bonequinha: meia-calça escura, saia plissada, casaquinho... Lá pelas tantas fui no banheiro com a minha irmã. Atravessamos boa parte do batalhão, já que estávamos em um canto e o banheiro era dentro do prédio administrativo. Saímos do banheiro, caminho todo de volta até nossos amigos. Logo depois chega um amigo de um primo meu por trás de mim. Fica rindo olhando pra mim e tentando chamar meu primo que estava ocupado demais tentando impressionar uma amiga nossa. A insistência do piá me fez passar a mão na minha saia... e descobrir que tinha a mesma TODA enrolada na minha cintura nas costas! Sim, sim... eu atravessei o batalhão com as nádegas apenas cobertas pela calcinha e meia-calça! Puxei a saia rápido, antes do sem-graça falar com meu primo. Desde então, não consigo usar uma saia ou vestido sem, de vez em quando, dar uma passadinha de mão pra ver se não estou, novamente, fazendo exposição da minha figura.

E este ano... Bom, quando a sua mãe - Espírita! - lhe pede ao telefone pra fazer promessa pra Santo Antônio no dia do dito santo, para "arranjar um noivo" - pra que namorado se o santo pode adiantar as coisas? - a coisa tá ficando feia. hahaha

12 junho 2009

Pathos - Feliz (?) Dia dos Namorados


Retrato Pintado

Febre Escarlate

Desejo Rendido

Coração Refém

Vontade Apertada

Falta Falta Falta

Buraco no Peito

Doente de Amor


(Branca - www. scriptmanent.blogspot.com)


Pathos é uma palavra grega que significa paixão, excesso, catástrofe, passagem, passividade, sofrimento e assujeitamento. (Fonte: Wikipedia)

______

Foto: pathos by tenma-mouko

11 junho 2009

Vi: Quem me amar me siga

O segundo filme visto ontem, no evento promovido pela Associação de Cultura Franco-Brasileira foi Quem me amar, me siga - Qui m'aime me suive - de 2006.

Sinceramente achei que não fosse bom, mas me surpreendi positivamente! Max Marèchal é um jovem médico, recentemente promovido e tido como exemplo de sucesso por todos, que depois de um pequeno incidente no hospital que trabalha, decide largar a medicina quando vê Chine, uma charmosa cantora em um barzinho.

Sem contar pra esposa ou os pais, ele convida os antigos amigos com quem teve uma banda no passado - e Chine - para voltarem a fazer música.

Uma das melhores coisas do filme são as músicas que o grupo toca, TODAS muito legais e, pelo menos pra mim, que conheço muito pouco de música francesa, todas originais. Por serem muito boas as músicas, não dá pra dizer que os momentos de ensaio da banda são maçantes.

Claro que a família de Max vai uma hora descobrir que ele está escondendo deles os encontros com os velhos e a nova amiga que vem acontecendo no porão do apartamento de Praline, sua melhor amiga - que é apaixonada por ele desde sempre. Disso vai rolar um xabu básico - que se não acontecesse não contaria como a parte dramática do filme. E claro que ele se apaixona por Chine, a outra vocalista da banda.

Uma delícia de filme, mas filme pra gente grande por conter algumas cenas não recomendadas para crianças.

Adorei!

Vi: Palavras riscadas

A Associação de Cultura Franco-Brasileira daqui de Foz está exibindo, de ontem até domingo, filmes franceses como parte das comemorações do Ano da França no Brasil.

Palavras riscadas - Gratte-papier - foi o primeiro filme exibido. Ele é um curta-metragem de 2005 muito fofo!

Dentro de um vagão de metrô, um rapaz e uma moça se comunicam riscando palavras nos livros que estão lendo. A coisa começa de forma inusitada - bom, a forma de comunicação também é bastante inusitada! - e o final é bonitinho também.

Acho que não tem muito o que se fala de um filme de 8 minutos. Aliás, digo que o adorei!

09 junho 2009

Cuide do seu coração - Oprah Winfrey

Tem coisas nos relacionamentos que a gente sabe como fazer e tem outras que não. Muitas vezes eu me pego cometendo os mesmos erros, quando já sei que as atitudes que repito não são legais.

Hoje, dando uma volta pelos blogs que sigo, encontrei este texto super bacana no www.ciliosposticos.blogspot.com e achei que seria uma boa dividir principalmente com as gurias que de vez em quando me visitam.

Concordo com a maioria delas, mas não com todas. De qualquer forma, espero que gostem tanto quanto eu gostei. E que consigam por em prática algumas das sábias lições! rsrs

"As pessoas não vão querer pisar em você, a menos que você se deite".

- Se ele não te quer, nada pode fazê-lo ficar.

- Pare de dar desculpas (de arranjar justificativas) para um homem e seu comportamento.

- Permita que sua intuição (ou espírito) te proteja das mágoas.

- Pare de tentar se modificar para uma relação que não tem que acontecer.

- Mais devagar é melhor. Nunca dedique sua vida a um homem antes que você encontre o que realmente te faz feliz.

- Se uma relação terminar porque o homem não te tratou como você merecia, " mande pro inferno, esquece!", vocês não podem "ser amigos". Um amigo não destrataria outro amigo.

- Não conserte nada.

-Se você sente que ele está te enrolando, provavelmente é porque ele está mesmo. Não continue (a relação) porque você acha que "ela vai melhorar". Você vai se chatear daqui um ano por continuar a relação quando as coisas ainda não estiverem melhores.

- A única pessoa que você pode controlar em uma relação é você mesma.

- Evite homens que têm um monte de filhos, e de um monte de mulheres diferentes. Ele não casou com elas quando elas ficaram grávidas, então, porque ele te trataria diferente?

- Sempre tenha seu próprio círculo de amizade, separadamente do dele.

- Coloque limites no modo como um homem te trata. Se algo te irritar, faça um escândalo.

- Nunca deixe um homem saber de tudo. Mais tarde ele usará isso contra você.

- Você não pode mudar o comportamento de um homem. A mudança vem de dentro.

- Nunca o deixe sentir que ele é mais importante que você. Mesmo se ele tiver um maior grau de escolaridade ou um emprego melhor.

- Não o torne um semi-deus. Ele é um homem, nada além ou aquém disso.

- Nunca deixe um homem definir quem você é.

- Nunca pegue o homem de alguém emprestado. Se ele traiu alguém com você, ele te trairá.

- Um homem vai te tratar do jeito que você permita que ele te trate.

- Todos os homens NÃO são cachorros.

- Você não deve ser a única a fazer tudo... Compromisso é uma via de mão dupla.

- Você precisa de tempo para se cuidar entre as relações. Não há nada tão precioso quanto viajar.

- Veja as suas questões antes de um novo relacionamento.

- Você nunca deve olhar para alguém sentindo que a pessoa irá te completar... Uma relação consiste de dois indivíduos completos. Procure alguém que irá te complementar, não suplementar.

- Namorar é bacana mesmo se ele não for o esperado Príncipe Encantado.

- Faça-o sentir falta de você algumas vezes... Quando um homem sempre sabe que você está lá, e que você está sempre disponível para ele - ele se acha...

- Nunca se mude para a casa da mãe dele. Nunca seja cúmplice de um homem.

- Não se comprometa completamente com um homem que não te dá tudo o que você precisa.

- Se um homem quer você nada pode fazê-lo manter-se longe

Compartilhe isso com outras mulheres e homens (de modo que eles saibam). Você fará alguém sorrir, outros repensarem sobre as escolhas, e outras mulheres se prepararem.

Dizem que se gasta um minuto para encontrar alguém especial, uma hora para apreciar esse alguém, um dia para amá-lo e uma vida inteira para esquecê-lo. O medo de ficar sozinha faz com que várias mulheres permaneçam em relações que são abusivas e lesivas.

Você deve saber que você é a melhor coisa que pode acontecer para alguém e se um homem te destrata, é ele quem vai perder uma coisa boa. Se ele ficou atraído por você à primeira vista, saiba que ele não foi o único.Todos eles estão te olhando, então você tem várias opções. Faça a escolha certa.

Ladies, cuidem bem de seus corações...

Oprah Winfrey

______
Foto: Loving Couple by Highball.

Momento Espírita: Você sentirá saudades?

Recebi agora por email e achei tão lindo que quis dividir com vocês:

Você sentirá saudades?

Um famoso pensador, ao ser entrevistado, afirmou que uma das perguntas de maior teor filosófico que mais o fez pensar nos últimos tempos, tinha vindo de sua filha, uma menina de poucos anos de idade.

Afirmava o entrevistado que, certa feita, ao dar o beijo de boa noite para sua pequena, ela o surpreendeu com a seguinte pergunta: Pai, quando você morrer, irá sentir saudades de mim?

A pergunta da menina, longe da ingenuidade infantil, traz no seu bojo profundos questionamentos filosóficos. Você mesmo já se surpreendeu pensando naqueles que lhe antecederam na viagem de retorno ao mundo espiritual?

Já se perguntou onde estarão eles? Sentirão saudades de mim?

Ou já pensou em algum momento: Como pode o manto da morte ser capaz de destruir sonhos, romper laços fraternos, separar aqueles que se amam?

E já se questionou se aqueles a quem queremos bem, que nos são caros ao coração, que convivemos anos a fio, compartilhando anseios, dúvidas, desafios, medos, com a morte ficam irremediavelmente afastados de nós?

É comum dizermos: Perdi meu pai, ou Perdi meu filho, quando esses se vão com o fenômeno da morte. Será verdade que os perdemos?

A razão nos diz que não. Como pode a morte vencer os laços construídos ao longo dos dias, dos anos, feitos no olhar, na dedicação, na cumplicidade, no compartilhar de dores e felicidades?

Como pode o fenômeno biológico vencer os sentimentos verdadeiros, que nascem nos refolhos da alma e são guardados no coração?

Pensar dessa forma é imaginar que Deus pouca importância daria para o amor. Afinal, de que valeria amar alguém, se isso tudo nos levaria ao nada?

Já que a morte do corpo é inevitável, inevitável seria então perder nossos amores.

A lógica nos conduz ao entendimento das Leis de Deus, a nos explicar que os laços de amor vencem as distâncias provocadas pelo tempo e pelo espaço.

Aqueles que se amam, onde estiverem, continuarão se amando, mesmo que momentaneamente apartados.

E é isso que a morte do nosso corpo físico nos provoca. Temporariamente, ficamos apartados daqueles a quem amamos.

No entanto, logo mais, em um tempo que a vida nos dirá, nos reencontraremos, com as saudades daqueles que, após longa viagem, se reencontram para reviver o carinho, afeto e sentimentos que sempre existiram.

Quem parte de retorno ao mundo espiritual, pelo fenômeno da morte do corpo físico, é alguém que nos antecede na viagem de volta.

Como nos ama, de lá fica nos aguardando, para um reencontro inevitável. Naturalmente sente saudades como nós, sente nossa falta, como sentimos nós a dele.

* * *

Quando a saudade dos amados apertar nosso peito, que nossos pensamentos sejam de carinho, com a certeza de que nos encontraremos.

Aguardemos sem revolta pois afinal, dia desses lá estaremos nós, a revê-los, no retorno que também faremos ao mundo espiritual.

Redação do Momento Espírita.
Em 09.06.2009

_________
Foto: Butterfly... by light from Emirates

08 junho 2009

Leitura cênica (dramática)

Amo Literatura e leitura!

Há algumas semanas, a Cláudia, colega da fac de quem já falei - a que foi discriminada pela diretora da Globo - me convidou pra participar de um grupo de leitura dramática no SESC daqui de Foz. Perguntei se teria que encenar alguma coisa e, depois que ela disse que não, topei entrar no grupo. Acontece que com o horário de trabalho do mês passado e com a mudança da semana passada, só hoje fui efetivamente no SESC!

Pouco antes do meu aniversário eu decidi por algumas mudanças em mim; umas internas e outras externas - não, nada radical tipo botox ou plástica! Decidi me vestir mais como uma mulher e menos como menina, por exemplo, ser mais elegante, trocar boa parte das bijuterias... Ah, umas coisas que até podem parecer fúteis, mas que me parecem importantes aos 34 anos.

E entre as mudanças internas, eu decidi que queria participar de atividades que me enriquecessem como ser-humano... e que me permitissem conhecer gente! Como não sou baladeira nem nada do tipo, o grupo de leitura me pareceu uma ótima opção.

E foi! Acabo de chegar de lá! A Clau coordena o pequeno grupo de 13 pessoas. O curioso é que, olhando todos juntos, as diferenças são várias... Mas me identifiquei um pouquinho com cada uma delas: tem a que adora dramaturgia, a que se sente frustrada em várias áreas, a que está ali pra conhecer pessoas... Gostei muito do grupo!

Mas, o que é exatamente um grupo de leitura cênica - e vou usar cênica porque, segundo a Cláudia, quando fala-se em dramática tem gente que pensa só em drama -? É um grupo que se reúne para ler peças de teatro e discutir, além da peça, o próprio autor. Por exemplo: hoje começamos com Ariano Suassuna. A peça escolhida é O Santo e a porca. O pessoal que já tem acompanhado o grupo levou textos falando do Ariano e umas duas levaram resenhas sobre a peça. Lemos isso, conversamos sobre a questão de identidade cultural de Foz - que não tem uma só identidade, já que é uma miscigenação gigante de diversos povos -. sobre cultura brasileira no geral... e tudo em meio a risadas e comentários bem bacanas.

O grupo tem gente de 15 anos e tem gente com mais de 55. Semana que vem começaremos a ler a peça mesmo e eu, mesmo na correria que é, passar em casa rapidinho e ir pro SESC - 15 minutinhos de caminhada tranquila -, sei que estarei lá de novo!

__________
Foto: Keep On Reading by almen

07 junho 2009

Selo 3/3: Literatura é arte!

Regras:
1- Dizer oito características suas;
2- Convidar oito amigas (os) e avisá-las (os);
3- Mencionar as regras.

Eu sou:
1- Carinhosa;
2- Espirituosa;
3- Azeda na TPM;
4- Chorona;
5- Inteligente;
6- Apaixonada;
7- Conversadeira;
8- Questionadora.

Convido:
1- Sandra;
2- Talita;
3- Mel;
4- Cíntia;
5- Luís;
6- Day;
7- Tainá;
8- Ana.






Regras:
1 - Dizer 8 características suas;
2 - Convidar 8 amigas(os), e avisá-las(os);
3 - Mencionar as regas.

Selo 2/3: J'adore tien blog

Regras:
1. Colocar o selo no blog;
2. Indicar 10 blogs que a gente adore;
3. Informar aos "premiados";
4. Dizer 5 coisas na vida que a gente adore e porquê.

Os 10 blogs que eu adoro:
1- Mel's
2- Casa da Zica
3- Script Manent
4- Pensadora incubada
5- Dona Perfeitinha
6- Blog Animal
7- Mulher 7x7
8- Um tripeiro na Cidade-Luz
9- Borboletas sempre voltam
10- Pensamentos mirabolantes

(Um pouco do que) eu adoro:
1- Minha família: Meus pais porque ajudaram a formar minha personalidade e são as melhores pessoas que conheço! Meus sobrinhos: porque tornam minha vida mais colorida. Meus irmãos: porque brigamos mas nos amamos.
2- Viajar: Porque me dá a certeza de como sempre há muito ainda o que conhecer.
3- Escrever: Porque o papel - e agora o pc - aceita e entende muito do que nem eu mesma consigo aceitar ou entender.
4- Estar com um homem especial: Porque é muito bom trocar carinhos e cumplicidade com quem nos adore também.

Selo 1/3: Sonhei com esse blog

Ganhei uns selos da Branca, do Script Manent. Vamos a eles.

Regras:
1- Escrever 4 sonhos, impossíveis ou não, que você tenha;
2- Indicar 4 blogs que você quiser;
3- Linkar quem te mandou o selo.

Sonhos:
1- Fazer mestrado e doutorado em Literatura;
2- Ter uma família minha;
3- Ver meus sobrinhos se tornarem homens de bem;
4- Ter minha casa e meu carro próprios.

Indico para receberem o selo:
1- A Cíntia, do www.cantinhodabarbiegirl.blogspot.com
2- A Mel, do www.meunomeemel.blogspot.com
3- A Talita, do www.donaperfeitinha.com
4- A Sandra, do www.bonnina.blogspot.com

O link do blog da Branca: www.scriptmanent.blogspot.com

04 junho 2009

Luxúria - Isabella Taviani

"Dobro os joelhos
Quando você, me pega
Me amassa, me quebra
Me usa demais...

Perco as rédeas
Quando você
Demora, devora, implora
E sempre por mais...

Eu sou navalha
Cortando na carne
Eu sou a boca
Que a língua invade
Sou o desejo
Maldito e bendito
Profano e covarde...

Desfaça assim de mim
Que eu gosto e desgosto
Me dobro, nem lhe cobro
Rapaz!
Ordene, não peça
Muito me interessa
A sua potência
Seu calibre, seu gás...

Sou o encaixe
O lacre violado
E tantas pernas
Por todos os lados
Eu sou o preço
Cobrado e bem pago
Eu sou
Um pecado capital...

Eu quero é derrapar
Nas curvas do seu corpo
Surpreender seus movimentos
Virar o jogo
Quero beber, o que dele
Escorre pela pele
E nunca mais esfriar
Minha febre..."


**Para você, meu querido R.**

____
Foto: passion by Utzu

Outro meme...

Peguei esse meme com a Pri, do Shampoo de Laranja (www.shampoodelaranja.com.br)

1) Onde está seu celular? Dentro da minha bolsa.
2) E o namorado? Também tô procurando :'(
3) Cor do cabelo? Castanho escuro.
4) O que mais gosta de fazer? São várias coisas: ir ao cinema, namorar, ficar com meus sobrinhos, fuçar na net, ler...
5) O que você sonhou na noite passada? Que eu conversava com a minha mãe sobre um problema familiar.
6) Onde você está? No trabalho.
7) Onde você gostaria de estar agora? No mesmo lugar que estava na sexta-feira passada a essa hora (16h10).
8) Onde você gostaria de estar em seis anos? Em qualquer lugar, bem acompanhada - marido? filhos? - e feliz!
9) Onde você estava há seis anos? Caramba! Não sei! Se era meio de semana, ou trabalhando, ou em casa.
10) Onde você estava na noite passada? Na cama, bem quentinha, com meus gatos - dormi no meio da novela das 9.
11) O que você não é? Insensível.
12) O que você é? Espirituosa, carinhosa, inteligente.
13) Objeto do desejo? Minha casa própria.
14) O que vai comprar hoje? Talvez créditos pro meu celular.
15) Qual sua última compra? Sexta-feira, no Paraguai, algumas bugigangas: pincéis de maquiagem, um mp3, elásticos de cabelo e meias.
16) A última coisa que você fez? Conversei com a Janaína, a estagiária que está comigo, sobre o programa Toma lá dá cá.
17) O que você está usando? Calça jeans escura, bota marrom, cacharrel preta, japona bordô e pashmina colorida.
18) Seu cachorro? Tenho uma por "empréstimo", a Azeitona.
19) Seu computador? Tá desligado, esperando que a net seja instalada ou religada na casa nova.
20) Seu humor? Última semana de TPM não é a melhor pra perguntar isso! (rsrs). Normalmente sou bem-humorada, fazendo uso frequente de ironia e cinismo. Atualmente estou tão à flor da pele, como cantou o Zeca Baleiro.
21) Com saudades de alguém? Ah, sempre! Hoje mais de uma pessoa que de outras.
22) Seu carro? Excuse me?! What car?! rsrs
23) Perfume que está usando? Hoje passei só uma colônia de alfazema, bem fraquinha.
24) Última coisa que comeu? Um pão de batata de manhã, na fac.
25) Fome de quê? Comida da minha mãe.
26) Preguiça de… ? Hoje, de estar trabalhando.
27) Próxima coisa que pretende comprar? Pilhas-palito recarregáveis pro meu mp3.
28) Se é verão? Se é verão, eu não gosto do calor, da suadeira e dos 40ºC básicos de Foz nessa época!
29) Ama alguém? Nossa, eu amo muita gente!
30) Quando foi a última vez que deu uma gargalhada? Gargalhada, gargalhada? Não lembro (que horror!).
31) Quando chorou pela última vez? Hoje no meio da manhã, assistindo a uma palestra muito bacana sobre violência contra crianças aqui em Foz.

Deixo em aberto pra todo mundo que quiser responder. Adorarei ler as respostas :)

_________
Foto: To Question by todo-el mundo

03 junho 2009

Das dores

Há pouco mais de um ano meu ex-namorado passou pelo drama de uma grave doença com sua filhinha. Graças a Deus tudo ficou bem e ela se curou!

Em uma conversa que tive com ele, logo no começo da doença, comentei como era triste a sensação de que, em meio de uma dor tão particular, parecia que, ao nosso redor - ao redor dele principalmente, que sofria infinitamente mais do que eu! - todos pareciam levar sua vida tão normalmente. Que quase me incomodava ver os sorrisos nos rostos, as pessoas saindo pra pagar contas, pra ir ao cinema, ao shopping... enquanto ele e sua família passavam por um sofrimento tão grande! Ele disse então que já tinha pensara nisso também.

Eu sei que o que senti ano passado era quase irracional porque não posso cobrar que o Universo sofra com as minhas dores ou a dos meus amados.

Isso passou pela minha cabeça hoje, pensando no acidente com o avião da Air France, na noite de domingo. A verdade é que não tem como ser diferente! Não tem um noticiário que eu veja e que não me comova. Não tem uma notícia na net sobre os familiares contando dos seus entes queridos que partiram que não me faça derramar alguma lágrima...

A vida da gente segue, mas não podemos, e nem devemos, nos tornar frios à dor alheia! Não tô falando de passar o dia em frente a tevê chorando ou angustiado, mas nos condoermos com essas famílias que passam por uma dor que poucos de nós pode dizer que sabe como é.

Então, fica aqui a sugestão: ao vermos ou ouvirmos alguma coisa sobre o acidente, que tal pedirmos a Deus que console os corações aflitos dos que ficaram e guarde os que partiram? Eu falo dentro da religião que sigo, mas Deus é o mesmo pra todos e, independente da nossa crença, preces nunca são demais ou ruins!

Ah, pros ateus - sem citar nomes... rsrs - simplesmente pensem em algo positivo direcionado a essas pessoas :)

Tão fácil pra qualquer um de nós fazer isso, não acham?

_____
Foto: paper plane by *quelquechose

02 junho 2009

Mudando de casa...

Como eu disse em outro post, me mudei domingo. Aliás, comecei a me mudar e, pelo jeito, só vou terminar lá pelo começo de julho!

Resumindo a história, é o seguinte: minha mãe foi embora e, à princípio, minha irmã, casada e com filhos, ficaria lá na casa; mas houve divergências "contratuais" e sobrou pra mim. Não tava muito a fim de sair do meu apartamentinho gostoso, mas, tudo bem.

Só que acontece que minha irmã tinha vendido a casa dela e estava na minha mãe esperando a reforma da casa nova! Ou seja, me mudei pra uma casa onde já tem outra mudança! rsrs

A entrevista publicada hoje no Dona Perfeitinha me animou muito porque desde domingo eu tô chateada com isso de casa nova. Na verdade, eu tô chateada por estar de visita na casa que, tecnicamente, é minha, sem lugar pras minhas coisas, com minhas caixas empilhadas, sem guarda-roupa desocupado pra minha roupa, cuidando o tempo inteiro se meus gatos não entram nos quartos "proibidos", ou sujando onde não deveriam...

Aliás, eu sei que eles estão mais perdidos do que eu! A Kitty ainda é mais desbravadora - o que me assusta um pouco! - mas o Milo é assustado, medroso... E, ao contrário de na outra casa deles, agora eles não podem andar por onde querem e ainda têm duas crianças pequenas loucas pra agarrá-los - e quem tem gato sabe que pros bichanos as coisas são no tempo DELES, não no nosso!

E também tô sem net! Gente do céu! É muito, mas muito, mas muito ruim! Quero resolver isso logo porque só posso fazer coisas da faculdade, por exemplo, no trabalho! Tá punk.

Bom, mas fico reclamando e tem gente que no friozão que tá fazendo por aqui nem tem teto!

Ah, essa TPM...

Selo de presente

A Branca, do Script Manent - www.scriptmanent.blogspot.com - me deu o selo BLOG DE OURO de presente.

Obrigada, Branca :)

Agora, seguindo com a brincadeira, indicarei quatro blogs para presentear com o selo.

Olha, foi difícil, porque, obviamente, adoro todos os blogs que sigo e aviso que o critério foi meramente aleatório!

São esses:

As flores do jardim de AA - www.bonnina.blogspot.com, da querida Sandra.
Pensadora incubada - www.pensadoraincubada.blogspot.com, da Tainazinha que tá dodói.
Mel's - www.meunomeemel.blogspot.com, da Mel, que anda sumida!
Dona Perfeitinha - www.donaperfeitinha.com, da doce Talita.

As regras são as seguintes:

1- Exiba a imagem do selo "Blog de Ouro".
2- Poste o link do blog que te indicou.
3- Indique 4 blogs de sua preferência.
4- Avise seus indicados.
5- Publique as regras.
6- Confira se os blogs indicados repassaram o selo e as regras.

Claaaaaaro que não vou ficar cuidando de quem publicou ou se repassou as regras. Mas é isso aí :)

Ah, não deixem de ler o post anterior com a minha entrevista no Dona Perfeitinha!

Entrevista no Dona Perfeitinha

Gente, gente, gente (meio histérica! rsrs), saiu hoje minha entrevista no Dona Perfeitinha!

Ficou tudo de bom, graças à Talita, que é uma queridíssima e bolou perguntas bem bacanas! Aliás, vai parecer puxação de saco - mas quem me conhece sabe que não sou disso - mas vale a pena conhecer o site que é cheio de coisas muito legais!

Obrigada de novo, Talita :)

Terça-feira, 2 de Junho de 2009

ENTREVISTADA - Sheila: turismóloga e quase bacharel em letras

Hoje, estreiando as entrevistas de junho - cuja ordem foi decidida por votação, temos a participante Sheila que ganhou mais votos na brincadeira que realizamos aqui no dona perfeitinha. Tenho muito que agradecer às 8 participantes que me concederam entrevistas muito interessantes, vezes divertidas, vezes comoventes, vezes instrutivas, mas sempre, em todas elas, muito transparentes permitindo-nos a conhecer um pouco mais sobre elas.

A entrevistada de hoje: Sheila - participante número 5


Sheila é turismóloga e quase bacharel em Letras. Ela é separada e não tem filhos. Tem 34 anos e um dos seus programas preferidos é viajar. Morando em Foz do Iguaçu, tem uma família grande, unida, mas hoje dividida: os pais e dois irmãos moram no Maranhão, outro irmão mora no interior de São Paulo, sendo apenas ela e sua única irmã morando em Foz. Sua sinceridade e carisma são pontos que a ajudam a conquistar facilmente belas amizades que cultiva com carinho. Super transparente, entrega-se à escrita em seu blog Pensamentos "y otras cositas".


1) Oi, Sheila! Sei que é bacharel em Turismo e trabalha na área, na Secretaria Municipal de Turismo de Foz do Iguaçu - PR. Apesar disso, está terminando a faculdade de Letras (português - espanhol). O mercado de trabalho para o profissional de turismo foi uma decepção pra você?



De certa forma foi sim. Na verdade... quando decidi prestar vestibular pra Turismo, no final de 1992, não existia ainda “aquela” procura pelo curso e eu queria mesmo era fazer Jornalismo, curso que não tinha por aqui então. Mas me apaixonei por Turismo e desde o começo trabalhei na área. O que acontece é que não é um curso valorizado; acredito que nem aqui e nem em parte nenhuma! Você vê gente que se forma em qualquer coisa trabalhando em agências, em hotéis, com eventos... vendo por esse lado, me decepcionei sim.



2) Como é seu trabalho na Secretaria de Turismo?



Eu sou auxiliar de turismo bilíngüe e trabalho nos postos de informações turísticas que a Secretaria tem na cidade: no aeroporto, na rodoviária, no terminal urbano e na própria Secretaria. Basicamente o que faço é atender turistas que chegam ou já estão na cidade e têm dúvidas quanto aos atrativos ou, em algumas vezes, acredite, chegam em Foz sem saber o que visitar – além das Cataratas, claro! De vez em quando atendo um ou outro turista mal-humorado e chato, mas na maioria das vezes, o pessoal é simpático. É uma delícia atender alguém que chega aqui e você percebe ansioso, feliz por estar na cidade! Como a maioria dos que nos procuram são estrangeiros, saber outros idiomas é primordial. No meu caso, além do português, falo espanhol, inglês e francês.



3) Quais seus planos para o futuro?



Não comecei a faculdade de Letras muito interessada mas fui, durante o curso, me apaixonando pela possibilidade de ser professora de Espanhol e/ou Literatura. Meu plano mais imediato é conseguir apresentar meu TC, fazer os estágios de regência e concluir o curso! (rsrs). Tenho vontade de mudar de emprego também, talvez de cidade... Concluindo a faculdade, será menos complicado sair de Foz.


4) Viajar parece ser algo que adora. Que diferenças culturais te impressionaram nas viagens que fez?



AMO viajar! Felizmente! Porque até chegar a Foz, em 1991, morei em 7 cidades diferentes! Acho que poder viajar tanto, já que meus pais sempre gostaram, principalmente porque vivíamos longe das famílias deles, me “ensinou” a adorar conhecer culturas diferentes. Mas, de verdade, eu encontro mais diferenças culturais dentro do Brasil do que fora! Como vivo na região Sul, percebo diferenças grandes quando viajo para lugares acima de São Paulo. Meu pai, que é mineiro, costuma dizer que o Sul é outro país, e não é, definitivamente, por preconceito, que ele diz isso, mas porque realmente a gente vê muitas diferenças! Além da culinária – felizmente come-se bem em qualquer lugar do Brasil! – nos próprios costumes cotidianos. Curiosamente, quando viajei pra Europa, o que me impressionou foi não encontrar tantas diferenças! Sim, claro, as pessoas não são tão expansivas, mas, de resto, tudo é muito parecido.


5) Qual sua religião e o que ela representa na sua vida?



Eu nasci em lar Espírita mas só há cerca de 10 anos comecei a levar realmente a sério. Hoje minha religião pra mim é muito importante: dou aulas de evangelização para jovens de 13 a 15 anos, sou uma das palestrantes da Casa e participo também de grupos de estudo. Por ter uma religião muitas vezes incompreendida, sempre fui de aceitar convites de ir em outras igrejas e até estudei em colégio de freira (!), mas é no Espiritismo que encontro respostas para minhas maiores inquietações. Algumas coisas ainda não consigo entender ou aceitar como são, mas é a religião que me dá, principalmente, a certeza do amor de Deus quando me ensina que não temos só uma chance de acertarmos ou errarmos, já que cremos na reencarnação, que é a oportunidade de corrigirmos erros passados.


6) Você já foi casada, mas se separou. Que aprendizado trouxe-lhe essa experiência? Dá pra seguir a vida totalmente alheio ao outro?



Olha... quando eu digo, mesmo separada, que acho casamento uma coisa maravilhosa, muita gente se espanta como posso gostar de algo que não deu certo. Mas deu certo! Por 6 anos, deu muito certo! A vida à dois me ensinou muito a dividir tudo – mesmo que eu tenha convivido com 4 irmãos, quando casados dividimos muito mais que brinquedos e espaço! Eu acho que todo mundo precisa de alguém do seu lado pra dividir alegrias e tristezas e, talvez, seja disso que mais sinta falta do casamento. No meu caso não dá pra seguir a vida totalmente alheia ao meu ex porque ele, mesmo sendo paulistano, continua morando em Foz e minha mãe meio que o adotou. Um pouco depois da separação eu decidi me afastar porque comecei a namorar e meu então namorado tinha ciúmes do meu ex-marido, porque sabia da proximidade dele com minha família e porque eu achava que não tinha porque haver ainda esse contato. Hoje, depois do término do namoro, com quase 2 anos de separação, até converso com meu ex e sei algumas coisas da vida dele. Como fui eu quem decidiu pela separação, e convicta de que era o que eu queria, não sofro com isso. Eu quero muito que ele seja imensamente feliz porque é um homem maravilhoso!


7) Você tem dois gatos. Como você define a personalidade dos dois?



Ah, eles são tão diferentes! Eu os vejo muito marcados pelos seus sexos: ele é bruto nas brincadeiras, nada delicado, morde doído, arranha doído... A Kitty é espoletíssima, já chegou aqui em casa, toquinho, e pulando janela, mas é uma mimosinha! É delicadinha pra comer, pra pedir atenção... Tenta sempre estar encostada em mim ou deitada no meu colo. Mas os dois são bem carinhosos, ao seu modo. O Milo eu percebo mais temperamental, de fazer xixi onde não deve se fica muito tempo sozinho ou se está incomodado com algo – como quando, recentemente, resolvi colocar uma coleirinha nele. Já a Kitty é uma mocinha mesmo, um doce!


8) Numa das fotos que me mandou para a brincadeira das entrevistas, há uma de sua bolsa com tudo muitíssimo organizado. Você é assim em tudo?


Infelizmente não! Minha bolsa provavelmente é um caso à parte porque normalmente saio lá pelas 7h30 de casa e volto no final do dia, daí tentar organizar a “mudança” que me acompanha o tempo inteiro. No trabalho sempre tento manter as coisas organizadas e limpas também... mas em casa, especialmente no meu quarto, aí o caos quase sempre domina! rsrs


9) Você fez duas faculdades, ambas
em uma Universidade Estadual. O que acha sobre os sistemas de cotas nos vestibulares que vem sendo adotados por algumas universidades públicas?



Eu sou extremamente contra, Talita! Em um post no meu blog em abril comentei a coluna do Paulo Moreira Leite, no site da Época com o título “Cota de 100% para doidos” onde ele diz que, se todas as cotas forem aprovadas, quem é branco e estudou em escola particular terá direito apenas a 40% das vagas nas faculdades públicas! Acho injusto porque acredito que a maioria dos alunos de escolas particulares estão ali por esforço que os pais fazem para pagar mensalidades e para não pagarem uma faculdade particular. Assim foi com meus pais... assim foi com muita gente que conheço e com quem estudo. Na minha opinião as cotas “punem” os esforços dessas pessoas e, ainda por cima, marcam como incapazes, principalmente os negros, de conseguirem algo por esforço próprio. Cotizar vagas em universidades é que é o verdadeiro preconceito!


10) Como você se define, Sheila?


Hmmm... eu acho complicado me definir, aliás, definir qualquer pessoa porque acho que a gente muda tanto o tempo inteiro! Mas eu sou uma mulher curiosa pela vida, pelas pessoas, que tem muita vontade de aprender sobre tudo e que ainda acredita muito nas pessoas.


Deixe seu recado para a Sheila...


http://www.donaperfeitinha.com