26 junho 2009

Farrah e Michael

Ela era linda. E sabia.

No começo dos anos 80, eu tinha 5, 6 anos, e As panteras foram as primeiras mulheres que eu "quis ser". Nas brincadeiras - que mulher por volta dos 35 nunca brincou de As panteras? - eu era sempre a Kelly - Jaclyn Smith - mas a Jill, interpretada por Farrah Fawcett era a mais linda e desejada.

A foto que ilustra este post provavelmente é conhecida de todos. Ela, no auge da beleza, foi símbolo sexual, tinha o cabelo mais desejado, era a mais desejada.

Depois que deixou de ser uma das Charlie's Angels não andou fazendo muito sucesso, apareceu na mídia mais por baixarias que pela carreira e, tristemente, morreu de câncer ontem pela manhã.



Ele era lindo. Mas não sabia.

Começou muito novinho a fazer sucesso com irmãos, depois se aventurou sozinho e foi um sucesso. Também, cantar, dançar, compor... Não é pra todos.

Mas, a impressão que a gente tem é que nunca se aceitou e ultimamente só era citado por escândalos, pela aparência cada vez mais esquisita, pelos filhos que jamais mostravam os rostos, pelas dívidas de centenas de milhões de dólares...

Nunca fui uma fã ardorosa de Michael Jackson, mas gostava dele, cantarolei muitas de suas canções e Bad foi a primeira música que uma professora de inglês deu em uma sala de aula minha. Auge de sua carreira esses tempos de Bad...


Acho as duas perdas muito tristes! Não porque eram famosos, mas porque eu sempre sinto mais pelas pessoas que, pelo menos aparentemente, tiveram vidas infelizes. Quem é feliz e parte, aproveitou de verdade sua passagem pela Terra, deixará saudade pelos motivos certos nos que ficam. Mas quem foi infeliz, quem tantos equívocos cometeu, quem era mais citado por envolvimento com drogas, ou possíveis casos de pedofilia, esses são lembrados causando pena, ou alívio, nos mais cruéis.

Que Deus abençoe os dois; que os ampare. E que console seus familiares que por aqui ficaram.

4 comentários:

  1. Oi, Sheila! Feliz que deu tudo certo com a gatinha (espiei os posts anteriores... rs rs rs)... e sobre este post, concordo em tudo. As Panteras também foram um elemento da minha infância. E você tem razão. Todas que estão na casa dos 30 (cheguei agora) têm essa lembrança forte. E com Michael Jackson também. Muitos vão criticar, eu sei. Vão dizer que tanto faz. Mas eu não ligo. Cada um tem suas esperiências particulares de vida. Por hora penso exatamente como você.
    Um cheiro grande.

    ResponderExcluir
  2. Com todo o respeito, já tou cansada de ler qualquer coisa sobre o MJ, mas o seu post veio diferente, curti :)
    E fiquei mais chocada com a notícia da morte da Farrah, do que do Michael. Mesmo ela estando doente, me pegou mais de surpresa.
    Deus achou melhor assim.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Dora,

    Que alívio a Kitty serelepe e bem... aqui no chão!

    D'As Panteras... como era bom, né?

    E do MJ, é isso que você falou: cada um com suas experiências particulares.

    _____

    Amorinha,

    Eu lhe entendo; agora vai ser massificado isso, né? Porque, infelizmente, "desgraças" são audiência. Mas fiquei feliz que você achou meu post diferente, obrigada :)

    ____

    Beijocas e bom fds pras duas!

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito de ler esse post delicado sobre os dois...bacana! um beijão

    ResponderExcluir