28 setembro 2009

Subliminar (?)


A gente tem certeza que precisa emagrecer quando tem um diálogo destes no MSN:

Luís diz (19:34):
e o casorio???
Luís diz (19:34):
apanhaste o ramo?
Sheila diz (19:35):
Fugi dessa humilhação: eram poucos convidados e eu só concorreria com uma pessoa ao buquê!
rsrs
Sheila diz (19:35):
Deixei ela ficar com ele.
Luís diz (19:36):
és grande!!!
Sheila diz (19:36):
Mesmo assim.
Sheila diz (19:36):
Além do mais, já fui casada.
Luís diz (19:36):
eu queria dizer grande em generosidade
Luís diz (19:37):
magna!!!



A pessoa elogia a sua generosidade e você acha que ela tá falando do seu peso... hahaha

Nota: Imagem meramente ilustrativa, óbvio. Minha lingerie, meu cabelo e meu rosto são mais "simpáticos" que os da moça da tela.

Ilustração: Woman in front of a window, de Fernando Botero (\o/)

Selo: para Sandra, Cris, Branca, Mel, Luís e Talita.


A Lanny, do Põe um batonzinho, me deu um selo de presente :D

Eu ia postar de qualquer jeito, porque acho tão delicadinho quando alguém lembra de mim e me presenteia que não gosto de declinar a brincadeira. Não pretendia, no entanto, postar hoje, mas vamos lá!

Minhas respostas refletirão essa hora que tô postando, não o que exatamente vive na minha cabeça diretão...

Mas chega de papo e vamos ao selito!

Sete coisas que não saem da minha cabeça (sem ordem de preferência, no meu caso):

1) Os amados que deixei ontem no Maranhão;
2) As poucas horas que faltam pra entregar minha monografia;
3) As indecisões quanto ao meu futuro próximo - e, por conseguinte, o distante também;
4) Mi Dios y mi cruz, música linda de viver, de Donato y Estefano - se não me engano peruanos - que ouvi hoje na rádio paraguaia que a secretária da minha irmã gosta de sintonizar;
5) Na minha unha descolada - ah, desculpa, não tem como não pensar! rsrs;
6) O parto próximo da Kitty, que tá gigante, pobrezinha - e já foi avisada que é a primeira e última vez que namora e engravida!!
7) Na necessidade URGENTE de perder váááários kilos!!


Sete blogs que não saem da minha cabeça e para os quais passo o selo:

1) As flores do jardim de AA, da Sandra;
2) Jardim da Cris, da Cris;
3) Script Manent, da Branca;
4) Mel's, da Mel;
5) Um tripeiro na Cidade-luz, do Luís;
6) Dona Perfeitinha, da Talita;
7) More to love, um blog islandês... :O

Gurias e piá, não vou avisar nos blogs de vocês não. Tô correndinho aqui e só vim mesmo pra responder! rsrs

Beijocas e mais adiante falo da viagem - cheguei ontem, tudo bem, tirando a saudade...

25 setembro 2009

Rio das Pedras

Essa cachoeira fica em um lugar liiiindo, o mais lindo que visitamos por aqui: o Rio das Pedras. É uma área particular onde se pode tomar banho de rio, de cachoeira - tem diferença uma coisa da outra, né? - e também fazer um churrasquinho. Fomos para o almoço e ficamos até o finalzinho da tarde. Uma delícia!! A cachoeira descobrimos - o Lucas descobriu - depois de subir o rio, uns 200 m, por um caminho igualmente lindo.

Uma pena é que, muita gente, não sabe se comportar em um lugar desses e deixa latas de cerveja, garrafas pet, restos de lixo e até capinhas de barbeador e embalagens de sabonete - juro! - pelo caminho!!

O triste da história é que essa região maravilhosa está condenada a acabar: o lago da barragem onde meu pai e meu irmão trabalham alagará toda essa área! Pois é, é o preço que a natureza paga para que tenhamos energia elétrica para nossos pequenos luxos cotidianos :(

Mas é isso. Eu tentei postar antes mas, gente, aqui é a treva em termos de telecomunicação: a net da casa - e todas da região! - são via rádio, ou seja, leeeeenta de doer! Além do mais, ontem ficamos sem telefone e sem internet porque não tinha sinal da torre da TIM. Além de não ouvir passarinhos com a intensidade que ouço em casa, acho que esse "isolamento comunicativo" foi o que mais estranhei por aqui.

Pra quem quer ver mais fotos tiradas até agora, depois de uma madrugada baixando fotos, consegui colocá-las no orkut: dêem uma olhada.
Agora deixa eu voltar pra análise de crônicas pra monografia que tô tentando fazer desde de manhã, entre almoço com novos amigos, sobrinhos beijoqueiros, gargalhadas com o irmão palhaço e olhadas no email.

22 setembro 2009

Enquanto isso, no Maranhão...

Quase uma semana sem postar nada, mas sei que serei "escusada" por conta da correria que quem acompanha o blog deve imaginar que tô vivendo. Mas correria positiva!

Não tenho entrado muito na net, porque não dá tempo e não tenho vontade, por razões beeem óbvias, né? rsrs

Tá tudo bem por aqui, tirando uns percalços que não gostaria de levar pra sempre na minha vida - a incapacidade de amar algumas pessoas - e uma unha que descolei ao abrir o portão no dia que cheguei. Gente do Céu! Que dor é aquela?! A B S U R D A!! Achei que fosse desmaiar, de verdade! Continuo com a unha que começou a arroxear no dia seguinte - o dia do casório - mas não sei a cor dela hoje porque tá pintada de vermelho. Acho que vou perdê-la, já que estou com o dedo bem inchado e cuidando pra infecção e a dor não piorarem - Nebacetin, banho de salmoura, antinflamatório... Sei que homem nenhum entende a tristeza por perder uma unha - poxa, ainda mais a do dedo médio da minha mão esquerda, minha mão "preferida" já que sou canhota-, mas sei também que a maioria das mulheres entenderá bem o meu "sofrimento antecipado" rsrs.

Talvez daqui ainda eu escreva um post mais longo e com fotos. Ainda não consegui postar nada no orkut nem aqui mas tem umas bem legais já tiradas. Quero falar do calor - saudades do meu inverno querido...-, das diferenças entre aqui e lá, das pessoas que conheci, das que revi... Hoje só queria dividir com vocês uma saudade doída que senti ontem vendo um dvd do Victor e Leo. Alguns sentimentos parecem que nunca sumirão... :'(

17 setembro 2009

De malas prontas! (... ou quase...) ... y otras cositas (7)


As semanas passaram e já viajo amanhã. Tudo pronto por aqui. Quer dizer, encaminhado. Hoje o dia vai ser corrido com depilação, manicure, pegar vestido da noiva com a mãe dela que foi quem fez - uma costureira da mão cheia a Sônia, sogra do meu irmão! -, pegar corretivo que encomendei e ver se, finalmente, encontro uma coisica dessas que acerte em mim e eu com ela, imprimir um material do TC e ir no grupo de estudo do Centro Espírita!

Por falar em TC, algumas coisas - as últimas - terei que mandar de lá pra minha orientadora. E aí ontem no banho fiquei pensando que mão na roda é a internet na nossa vida, né? Senão, só poderia me comunicar com ela por telefone e sem chance de mandar qualquer coisa pelo Correio, ainda mais com greve agora! Mas, sem problemas, tô tranquila mesmo quanto a isso. Mesmo que tenha anteontem recebido uma dica de livro de um professor que está fora fazendo doutorado e pra quem pedi ajuda há mais de um mês! rsrs

Do estágio tô mais preocupada porque o de Espanhol dançou no IFPR e agora minha orientadora - que disse que pra mim que era 100% certo lá - tá tentando acertar com a professora com quem eu estava no colégio estadual. Dedos cruzados, pessoal, please!! Tenho que fazer esse estágio logo porque o relatório dele tem que ser escrito em Espanhol, o que é mais complicado do que em Português por motivos óbvios.

Voltando a falar da viagem - porque esse assunto é TUDO DE BOM! - acho que consegui não ultrapassar os 23 kg na mala que será despachada e 5 kg na bagagem de mão. Até porque 23 kg é muita coisa, né?? Mas eu sou muito ruim com idéia de peso e de distância... :S

Só tô preocupada com meus bichinhos aqui. Meu cunhado vai dar comida pra eles - e eles andam muuuuito esfomeados ultimamente, um horror! - e ligará pra Vanessa caso haja alguma emergência. Emergência tipo o quê? Tipo a Kitty, minha bebê safadinha, entrar em trabalho de parto prematuramente. Pois é, a gente cuida, dá amor, dá atenção, explica as coisas... e a menina engravida em um cio que começou, literalmente, da noite pro dia! Ela tá super-pançudinha mas, pelas minhas contas, só vai parir no começo de outubro - espero!! E vou ter que esconder os travesseiros porque eles são o alvo preferido pro xixi do meu filho rebelde - Milo - quando eu fico muito tempo fora de casa.

Ah, deixa só contar uma coisa que viagem de avião ultimamente me lembra! No começo do ano, quando meu pai foi embora lá pra Estreito - pra onde vou agora -, fui com minha mãe levar ele no aeroporto e aí a moça perguntou se tinha algum objeto cortante, faca, blá, blá, blá... e ele disse que não, claro. Bom, nos afastamos do balcão, ele só com sua bolsa de mão e aí ele disse: "Olha, eu acho que tô sim com coisa de cortar aqui dentro, melhor deixar com vocês, né?". Claro. E achamos que fosse um cortador de unha, coisinha simples. Bom, encostamos no balcão da Receita Federal, meu pai abriu a bolsa e tirou o cortador de unha... e um estilete... e o aparelho de barbear... e uma faca!! Juro pra vocês! Minha mãe e eu morríamos de rir! Nem ele sabia porque carregava uma faquinha de mesa na bolsa! Se fosse nos EUA, moreno, facilmente confundido com árabe, meu pai tinha sido mandado pra Guantánamo! hahaha

E é isso. E agora, de volta pro Antonio Candido e pro Massaud Moisés, meus melhores amigos do dia!

15 setembro 2009

Patrick Swayse (1952 - 2009)



Em homenagem a ele primeiro pensei em postar um vídeo de Dirty Dancing, provavelmente meu filme preferido de dança - logo meu, que só sei dançar que nem o Coisinha de Jesus! - mas aí escolhi essa cena de Ghost, um dos filmes mais românticos, mais lindos e com a uma das canções mais marcantes que já assisti!

Deus lhe abençoe, Patrick.


13 setembro 2009

Vi: O menino do pijama listrado


Em janeiro eu li o livro O menino do pijama listrado - leia aqui o que escrevi na ocasião - e me apaixonei pela história!

Na verdade, eu gosto muito de livros e filmes que tratam da Segunda Guerra Mundial. Não me perguntem porquê! Eu simplesmente gosto muito. Acho que há vários ângulos a serem mostrados e acredito que eles sempre podem ser tocantes.

Assim é com O menino do pijama listrado - The boy in the striped pyjamas, EUA, 2008 - que conta a história de Bruno - o lindinho Asa Butterfield -, um menino de 8 anos, filho de um oficial alemão que vai morar próximo ao campo de concentração onde o pai trabalha - no livro sabemos que é Auschwitz, no filme não é dito em qual - e que acaba conhecendo Shmuel - Jack Scanlon, lindo com enormes e tristes olhos castanhos! - uma das crianças , menininho que tem a mesma idade que ele e que é judeu, ou seja, está preso no campo.

Nenhuma das duas crianças consegue entender direito o que acontece e, apesar de ter lido uma crítica na VEJA dizendo ser impossível que os alemães comuns não soubessem o que acontecia na guerra, eu acho completamente plausível. E nessa "ignorância" das crianças é que está o tom de diferença do filme. E também sua maior beleza.

Durante o filme lembrei algumas vezes de algumas situações de O caçador de pipas, em como as crianças são tão cruelmente vitimizadas em conflitos entre povos que não conseguem se entender, ou porque professam diferentes religiões, ou porque são de etnias distintas, ou porque, simplesmente, como canta o George Michael em uma música que me fugiu o nome agora: "It's hard to love, there's so much to hate" - "é difícil amar, há tanto para odiar".

Como li o livro e vi o filme, mais uma vez sou propensa a ficar com a versão do livro, mas, mesmo tentada, não vou dizer isso, até porque estou tentando aprender a aceitar que uma adaptação não é a mesma coisa de um livro filmado - e a maioria dos filmes são BASEADOS em livros, "só" isso. Além do mais, o filme trata bastante da relação do Bruno com a família, o que não acontece no livro, e que achei bem bacana! No filme o pai dele - David Thewlis - aparece muito mais do que no livro e sua mãe - Vera Farmiga, a cara da minha ex-médica!! - parece mais real.

Vendo os extras d'O menino do pijama listrado, ouvi de algumas pessoas envolvidas na produção algo no qual pensei durante o filme: as próximas gerações não saberão do Holocausto e de outras barbaridades cometidas pelo homem se deixarmos pra trás. Ao final do filme, muito emocionada, me perguntei como pode haver tanta crueldade no ser humano ainda; porque se foi há mais de 60 anos que os nazistas matavam irmãos em câmaras de gás e depois os queimavam, é muito atual a situação de diversas etnias africanas que são massacradas diariamente sem que tomemos conhecimento...

Mas encerrando sobre O menino do pijama listrado, vale a pena vê-lo. Pelo elenco afinado, pela reconstituição de época perfeita... mas principalmente por sua maravilhosa história!

11 setembro 2009

Momento Espírita: O amor que fica


Foi num hospital do câncer que a lição foi dada. A menina tinha 11 anos e lutava, desde os 9, contra a insidiosa doença.

Nunca fraquejou. Chorava, sim, mas não fraquejava. Tinha medo em seus olhos, mas entregava o braço à enfermeira e com uma lágrima, dizia:

Faça, tia, é preciso! E havia confiança e determinação no gesto e na fala.

Um dia, quando o médico a foi visitar no quarto do hospital, ela estava sozinha. Perguntou pela mãe. E ouviu a resposta que, diz ele, até hoje guarda, com profunda emoção:

Tio, às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondido nos corredores.

Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade de mim. Mas eu não tenho medo de morrer. Eu não nasci para esta vida!

Pensando no que a morte representa para crianças que assistem seus heróis morrerem e ressuscitarem nos seriados e filmes, indagou o médico:

E o que a morte representa para você, minha querida?

Olha, tio, quando a gente é pequena, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e, no outro dia, acordamos no nosso quarto, em nossa própria cama, não é?

É isso mesmo, concordou ele, lembrando o que fazia com suas filhas de 2 e 6 anos.

Vou explicar o que acontece, continuou ela. Quando dormimos, nosso pai vem e nos leva nos braços para o nosso quarto. Eu não nasci para esta vida! Um dia eu vou dormir e o Meu Pai vem me buscar. Vou acordar na casa dEle, na minha vida verdadeira.

Que bela imagem! Que extraordinária lição desse Espírito encerrado num corpo tão jovem e sofrido.

O médico estava boquiaberto, não sabia o que dizer, ante tanta sabedoria.

Mas a menina não terminara ainda.

Minha mãe vai ficar com muitas saudades minhas, emendou ela.

Com um travo na garganta, contendo uma lágrima e um soluço, o médico perguntou:

E o que saudade significa para você, minha querida?

Não sabe não, tio? Saudade é o amor que fica.

* * *

A menina já se foi, há longos anos. Ainda hoje, quando o médico experimentado olha o céu e vê uma linda estrela, imagina ser ela, a sua pequena paciente, na sua nova e fulgurante casa. A casa do Pai.

* * *

Toda vez que a morte vier com seus braços frios e levar um dos nossos amores, pensemos que é o Pai que o envolve com ternura e o está levando para Sua casa.

O Pai que, com carinho, o vem buscar para estar com Ele, pois o ama muito.

E pensemos que logo mais poderemos ir também, pois todos os que nos encontramos na Terra seremos levados pelo Pai ao mundo espiritual.

Enquanto isso, cultivemos a doçura da saudade, em nosso coração.

A saudade... O amor dos nossos amores que ficou...

Redação do Momento Espírita, a partir de crônica que circula

pela internet, atribuída ao Dr. Rogério Brandão, médico

oncologista clínico de Recife, Pernambuco.

08 setembro 2009

Notícias do auto-exílio (3) ...y otras cositas (6)

Correria! Infelizmente não tenho a dedicação de só fazer o que deveria fazer, daí vejo um filminho em dvd – vide Sete vidas – e vejo também os últimos capítulos de Caminho das Índias. Não acompanho a novela, mas mesmo assim percebo que consigo saber de tudo que acontece e, agora, tô interessada no final da Maya e do Raj, e da Surya, quero ver como o Opash vai descobrir que é filho do Shankar...

***

Da faculdade: Então, comecei o estágio lá na escola estadual. Dei 6 aulas semana passada, 2 sem a professora que faltou no dia, e confirmei que, se com a profe os alunos são meia-boca na atenção, com uma estagiária eles não estão nem azul! Não tive problemas sérios de grosserias, de me desrespeitarem, mas chegou próximo disso. Felizmente foi também um exercício de paciência porque eu, bravamente, consegui não gritar, me manter praticamente zen na frente dos monstrinhos.

Mas... cheguei na fac quinta-feira e encontrei minha orientadora e comentei por cima de como estava sendo. Ela então perguntou se eu não quero dar aulas em um projeto do PTI – Parque Tecnológico Itaipu – junto com o IFPR - Instituto Federal do Paraná – para dar aulas de português e espanhol em turmas deste projeto. Topei. Amanhã teremos reunião com o pessoal do IFPR e já começaremos as aulas. Sim, eu pensei que era chato com a escola estadual mas, felizmente eu não tinha assinado ainda os papéis com eles e neste projeto tenho a possibilidade de continuar, não mais como estagiária, no ano que vem.

A monografia vai bem, obrigada. Ontem e hoje tô escrevendo bem. Tô mandando o que escrevo pra profe-orientadora ir dando uma olhada... tá pertinho do prazo final!

Aliás, por falar na minha orientadora... o nome dela é Nildicéia e ela é muito, mas muito bacana! Tem mostrado confiar em mim, na minha capacidade e é super-compreensiva além de excelente professora! Ela nos dá aula de Literatura Espanhola e Hispano-americana e sabem o professor Keating, personagem do Robin Williams em Sociedade dos poetas mortos? Ela é que nem ele! Faz a gente mergulhar nas poesias e não tem um aluno que não a adore!

***

Da viagem: Pertinho!! Domingo minha mãe ligou e falou que está muito feliz de irmos pra lá. E senti isso na voz dela. Claro, é compreensível já que não é fácil reunirmos a família inteira assim já que não vivemos mais na mesma cidade, sequer no mesmo estado!

Já temos passeios programados para Tocantins no domingo seguinte ao enlace, pernoite em um sítio lindo – já vi fotos do rio – de amigos deles, passeio a Imperatriz...

Nem comecei a arrumar a(s) mala(s) mas metade dela já está cheia de encomendas da minha mãe e presentes de casamento. E olha que o meu nem ta lá dentro ainda!! Consegui escapar de levar um skate pro Murilo de aniversário e um quadro pintado pela sogra do meu irmão – ufa!!

No mais, preciso agendar aquelas “cositas” femininas de sempre: depilação – vai ter banho de rio!! Quem sabe banho de sol também! – manicure... E arrumar a mala de verdade; com coisas minhas agora.

***

Em outros blogs: Semana passada, a fofa da Talita fez um post bem bacana perguntando onde algumas de suas leitoras guardavam sua maquiagem, um xodó neste quesito e sua relação com a mesma. Eu tô lá.

A Talita é sempre muito querida – sempre! – e tem umas idéias bacanas pro seu blog.

***

De expressões: O que vocês acham daquele negócio de chamar as pessoas de “pessoas”? Assim: “Oi pessoas!”. Eu acho tão... ai, tão “nada a ver”! Acho que piorou depois que vi que uma criatura muito pouco simpática – pra mim – e que trabalha lá na Secretaria cumprimenta assim o povo. Não gosto.

***

Na tevê: Então, tô vendo Caminho das Índias e não queria – juro!” – mas tô vendo No limite. Gente, o que é aquela Sandi?! Eu teria medo daquela mulher de topasse com ela sozinha na rua! Ela é muito maquiavélica! Eu gostava tanto do Gilson – era o meu preferido pra ser o campeão – e essa mulher tanto fez que conseguiu manipular os outros pra votarem nele. O que, de qualquer forma, não deixa de ser mérito dela.

***

Choquei!: Ah, quase esquecia!! Há umas duas semanas eu mandei um email pra Martha Medeiros - \o/ - pedindo, se possível, a bibliografia dela pra monografia. Como eu sigo o blog dela e sei que ela nem sempre consegue responder a todos os emails, fiquei passada quando vi a resposta dela lá na minha caixinha de emails! Ela foi muito gentil, mandou uma mini-biografia e bibliografia e agradeceu por eu tê-la escolhido como tema pro TC. Agora sou mais fã ainda!!

***

E é isso. Saudades de ser “diária” aqui, mas tô fazendo o possível pra não ser muito relapsa. Acho que foi no blog da Lu que li que a gente tem uma obrigação com quem decide acompanhar nosso blog. E é verdade!

Semana linda pra vocês todos. Bisous.

06 setembro 2009

Vi: Sete vidas

Eu gosto muito do Will Smith, mas tô falando da pessoa, do "cara". Acho ele divertido, sempre se mostra gentil nas entrevistas, tem uma família bonita... Mas eu não gosto de filmes de ação - ok, uns raros se salvam, nenhum com o Will Smith - e nem de comédias muito bobas. Não vi ainda Em busca da felicidade, nem Ali e gosto dele, que me lembre, apenas em Hitch.

Aí hoje, depois do almoço, quis ver um filme. Encontrei o dvd de Entre dois amores entre os dos meus pais que preciso levar pra eles quando for pra lá e decidi vê-lo, mesmo com as hoooras que são de filme e já sabendo que ia chorar muito - Meryl Streep e Robert Redford de casal romântico, na savana africana... ai, ai... suspiros...

Só que topei com Sete vidas (Seven pounds, EUA, 2008) dentro do aparelho de dvd e como já tinha lido algo gentil sobre ele, apertei o play.

Não posso contar muito do enredo porque corro o risco de contar algo que só será descoberto ao longo do filme, mas é o seguinte: Ben Thomas, um funcionário da Receita Federal estadunidense se dispõe a ajudar sete pessoas. Por quê? Pois é, por quê? Ben é um homem taciturno, que carrega uma tristeza no olhar de cortar o coração e que usa sempre palavras economicamente.

Uma das pessoas que ele conhece é Emily - a liiiiiinda Rosario Dawson -, uma moça que sofre de uma grave cardiopatia e com quem acaba se envolvendo - mesmo que ele não revele muito para ela, que tenta lhe fazer várias perguntas.

Eu li uma resenha do filme criticando inverossimilhanças. Bom, como acho que já comentei aqui ao falar de outros filmes, realidade eu tenho na minha vida, não acho isso essencial nos filmes que vejo por isso não fico procurando o que "não cola" durante a película.

O filme toca em um tema que me é muito caro e acho que, por isso, me tocou tanto.

Vale a pena ver, Pelo elenco, pelas imagens do mar da Califórnia e, principalmente, pela linda história.

P.S. - Se alguém já viu Sete vidas pode, por favor me contar - sem revelar nada do filme! - quais são as sete pessoas, que ele "salva" porque só consegui contar seis :S

04 setembro 2009

O Murilo José

Dando uma pausinha na monografia - escrevendo o capítulo sobre literatura de autoria feminina - fui ler as postagens recentes dos blogs que acompanho e li um post muito lindo da Elaine, pessoa que aprendi a admirar pela sua firmeza de opinião e pela transparência que tá ali no Um pouco de mim pra quem quiser ver.

Ela contou da primeira vez que pegou sua sobrinha mais velha nos braços e, ao comentar, eu lembrei que amanhã - dia 05, sábado - é aniversário do Murilo, meu sobrinho mais velho. Ele, claro, é esse gatinho da foto aí em cima, filho do meu irmão que se casará dia 19.

Eu soube do Murilo antes do pai dele, antes dos avós, antes de quase todo mundo. Foi pra mim que minha cunhada, então com recém-completados 15 anos, contou que estava grávida, ainda no hospital, onde foi passando mal com uma tia. Meu irmão tinha 17 anos e foi aquele choque! Avó chorando de um lado, outra avó hipertensa quase passando mal do outro... Todo mundo surpreso, assustado, mas certo de que a única decisão a tomar era acompanhar o casal e esperar o bebê.

O Murilo é a cara do meu irmão! Muito parecido mesmo, desde que nasceu! E antes dele nascer eu sonhei com ele bebezinho, com a mesma carinha que tinha quando fui visitá-lo no hospital, assim que nasceu. Quem me conhece bem sabe que não sou de achar recém-nascido bonito - muuuito pelo contrário! -, mas o Murilo era lindo de viver! Um narizinho lindo - herança do pai - cabelinho ralo clarinho - herança materna. E ganhou um segundo nome, José, em homenagem ao avô paterno - o Painha!

Eu não consigo descrever o quanto o amo. Eu amo todos os meus sobrinhos, mas de forma diferente. Com o Murilo e o Gustavo - irmão de 6 anos dele - eu tenho mais afinidade, parece que consigo lidar com eles de forma muito leve, muito tranquila.

Mas o Murilo foi o primeiro. A descoberta do que é ser tia. A diversão de nos meus dias de folga pegá-lo em casa - no mesmo condomínio que eu morava - e trazê-lo pra casa da minha mãe - nessa aqui onde tô morando agora. Levá-lo pra dormir em casa. Ver filmes com ele. Ser chamada de mãe quando ele começou a falar - tá, ele chamava todas as mulheres com as quais convivia de mãe, não foi privilégio meu... rsrs

Ele tem uma carinha de anjo mas tem uma personalidade forte e já demonstra algumas características que precisarão ser moldadas com o tempo. Mas é amoroso, beijoqueiro, inteligente, espirituoso e muito engraçado!

E tá fazendo 8 anos. É clichê, mas como o tempo voa!

Meus desejos para o Murilo e os meus outros sobrinhos são permanentes, não apenas votos de aniversário: eu desejo que o Murilo seja, acima de tudo, uma pessoa de bem, que seja honesto, compassivo, curioso com o que importa, que não perca nunca o olhar manso e o sorriso lindo - e nem o queixinho parecido com o do Obama! - que continue me beijando e que não tenha vergonha quando ficar maior de andar grudadinho em mim como faz agora - quando estamos juntos, pelo menos.

E eu desejo que amor, que saúde, que paz, que alegrias, que sucesso sejam ingredientes diários na vida dele, um dos maiores amores da minha vida.

03 setembro 2009

Para derreter os corações mais insensíveis... - se é que tem alguém de coração insensível que passe por aqui!

A chimpanzé Anjana não se cansa de dar carinho à sua mais nova filhote adotiva, uma puma fêmea chamada Sierra. A primata, que vive em um centro de animais ameaçados, o The Institute of Greatly Endangered and Rare Species Preserve, na Carolina do Sul, Estados Unidos, é experiente em cuidar de “bebês” de outras espécies. Ela já se passou por mãe de uma dupla de tigres brancos, um leopardo e quatro leões– inclusive alimentando-os com o auxílio de uma mamadeira, tal como tem feito com Sierra.

Por sorte, a pequena puma, de apenas nove semanas, também está se dando muito bem com a nova mãe, que a cobre de abraços e não descuida de sua alimentação. “Anjana é uma grande assistente”, afirma o doutor Bhagavan Antle, diretor do centro.

(Mariana - do site do Globo Rural - clique aqui e veja a matéria original e mais fotos!)

01 setembro 2009

Volverán las oscuras golondrinas - G. A. Bécquer


Tô eu aqui preparando minhas primeiras aulas de Espanhol - que darei amanhã cedo - quando me deparei com um poema muito lindo! Como ele é complicadinho pra entender - até pra mim foi - logo abaixo do original, tem a tradução.

O autor é Gustavo Adolfo Bécquer, poeta espanhol, do século XIX, da fase romântica, e que morreu com a minha idade, 34 anos - novinho... -, em 1870.

Este poema aqui foi retirado do livro Rimas, é o poema LIII.

Volverán las oscuras golondrinas
en tu balcón sus nidos a colgar,
y otra vez con el ala a sus cristales,
jugando llamarán;

pero aquellas que el vuelo
refrenaban tu hermosura y mi dicha al contemplar;
aquellas que aprendieron nuestros nombres,
esas... ¡no volverán!

Volverán las tupidas madreselvas
de tu jardín las tapias a escalar,
y otra vez a la tarde, aun más hermosas,
sus flores abrirán;

pero aquellas cuajadas de rocío,
cuyas gotas mirábamos temblar
y caer, como lágrimas del día...
esas... ¡no volverán!

Volverán del amor en tus oídos
las palabras ardientes a sonar;
tu corazón, de su profundo sueño
tal vez despertará;

pero mudo y absorto y de rodillas
como se adora a Dios ante su altar,
como yo te he querido... desengáñate,
¡así no te querrán!

Voltarão as escuras andorinhas
em teu balcão seus ninhos a pendurar,
e outra vez com a asa em seus cristais
brincando chamarão;

Mas aquelas que o vôo refreavam
tua formosura e minha felicidade ao contemplar,
aquelas que aprenderam nossos nomes...
Essas... não voltarão!

Voltarão as densas madressilvas
de teu jardim os muros a escalar,
e outra vez na tarde, ainda mais formosas,
suas flores se abrirão;

porém aquelas, coalhadas de orvalho

cujas gotas olhávamos tremer e cair,
como lágrimas do dia...
Essas... não voltarão!

Voltarão do amor em teus ouvidos
as palavras ardentes a soar;

teu coração de seu profundo sono
talvez despertará;


porém mudo e absorto e de joelhos,
como se adora a Deus ante seu altar,
como eu te quis... desengana-te,
assim não te quererão!



Eu nem sei dizer o quanto achei lindo, principalmente a última estrofe! Aqueles amores que sentimos e nós, e a pessoa amada, sabemos que serão únicos.

Espero que tenham gostado do Bécquer. Eu adorei conhecê-lo e espero que os alunos amanhã saibam apreciar pelo menos um tiquinho da sua poesia :)

Ah, a tradução é de Zélia N. T. Zamora.
(é só comigo ou com vocês o Blogger também tá um cocô na hora de formatar???)
_____
Foto: Love by cinawar.