01 setembro 2009

Volverán las oscuras golondrinas - G. A. Bécquer


Tô eu aqui preparando minhas primeiras aulas de Espanhol - que darei amanhã cedo - quando me deparei com um poema muito lindo! Como ele é complicadinho pra entender - até pra mim foi - logo abaixo do original, tem a tradução.

O autor é Gustavo Adolfo Bécquer, poeta espanhol, do século XIX, da fase romântica, e que morreu com a minha idade, 34 anos - novinho... -, em 1870.

Este poema aqui foi retirado do livro Rimas, é o poema LIII.

Volverán las oscuras golondrinas
en tu balcón sus nidos a colgar,
y otra vez con el ala a sus cristales,
jugando llamarán;

pero aquellas que el vuelo
refrenaban tu hermosura y mi dicha al contemplar;
aquellas que aprendieron nuestros nombres,
esas... ¡no volverán!

Volverán las tupidas madreselvas
de tu jardín las tapias a escalar,
y otra vez a la tarde, aun más hermosas,
sus flores abrirán;

pero aquellas cuajadas de rocío,
cuyas gotas mirábamos temblar
y caer, como lágrimas del día...
esas... ¡no volverán!

Volverán del amor en tus oídos
las palabras ardientes a sonar;
tu corazón, de su profundo sueño
tal vez despertará;

pero mudo y absorto y de rodillas
como se adora a Dios ante su altar,
como yo te he querido... desengáñate,
¡así no te querrán!

Voltarão as escuras andorinhas
em teu balcão seus ninhos a pendurar,
e outra vez com a asa em seus cristais
brincando chamarão;

Mas aquelas que o vôo refreavam
tua formosura e minha felicidade ao contemplar,
aquelas que aprenderam nossos nomes...
Essas... não voltarão!

Voltarão as densas madressilvas
de teu jardim os muros a escalar,
e outra vez na tarde, ainda mais formosas,
suas flores se abrirão;

porém aquelas, coalhadas de orvalho

cujas gotas olhávamos tremer e cair,
como lágrimas do dia...
Essas... não voltarão!

Voltarão do amor em teus ouvidos
as palavras ardentes a soar;

teu coração de seu profundo sono
talvez despertará;


porém mudo e absorto e de joelhos,
como se adora a Deus ante seu altar,
como eu te quis... desengana-te,
assim não te quererão!



Eu nem sei dizer o quanto achei lindo, principalmente a última estrofe! Aqueles amores que sentimos e nós, e a pessoa amada, sabemos que serão únicos.

Espero que tenham gostado do Bécquer. Eu adorei conhecê-lo e espero que os alunos amanhã saibam apreciar pelo menos um tiquinho da sua poesia :)

Ah, a tradução é de Zélia N. T. Zamora.
(é só comigo ou com vocês o Blogger também tá um cocô na hora de formatar???)
_____
Foto: Love by cinawar.

11 comentários:

  1. Oiii Sheila =)
    Deu um problema aqui e nao sei se o meu comentário foi...mas vim falar o que eu disse no comentário anterior...
    Desejo muita sorte pra ti amanhã com as aulas ^^
    vai ser sucesso!!
    Esse poema é tão bonito...
    Lindo dia
    Beijos estrelares

    ResponderExcluir
  2. Oie! Está tendo um sorteio lá no blog. Quando puder dê uma passadinha por lá!

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sheila!

    Ainda bem que você traduziu... é muito linda mesmo. Adoro ler poemas que nos tranquilizam como esse.

    Suas fotinhas e história com as makes sai amanhã pela manhã no dona perfeitinha, tá? Eu estou pensando no seu caso sobre os balms, mas acho que te daria trabalho demais. Vamos ver. Muito obrigada, tá?

    Beijos,
    Talita.

    ResponderExcluir
  4. Oi Chris,

    Esse Blogger tá muito malcriado! rsrs

    Hoje correu tudo bem. Claaaro que eu esperava que melhor do que foi, mas tudo bem. Ainda tenho 26h com a molecada!

    Que bom que gostou do poema :D
    _____

    Oi Débora,

    Vou lá ver.
    _____

    Talita querida,

    Lindo, né? Pena que hoje acabei dando outra aula :(

    Ai, que delícia!! Vou ver na faculdade, ou então quando chegar em casa na hora do almoço! Do balm, façamos assim: espera passar a correria que tão meus dias, e te mando uns, tá? Não custa nada, de jeito nenhum - aliás, custa, mas sem problemas :)
    _____

    Beijocas e boa sexta pra vocês, gurias.

    ResponderExcluir
  5. Lindo poema amiga!
    E olha os alunos apaixonados vão adorar, rsrsrsrs
    Bjus e boa aula!

    ResponderExcluir
  6. Então, Sheila, eu não sabia que o Bepantol era usado pelo pessoal que faz tatuagem. Não é a toa que ele faz milagres pra renegerar a pele, né? Bora usar, então!!!!

    Sheila, não esqueci do teu selinho de cartão vermelho não, viu... assim que puder eu posto, ando postando só coisas rascunhadas porque o tempo tá complicado.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Super bonito!

    E se comprar o colar, quero ver as fotos, hein? :)
    Não vejo a hora de usar os meus!

    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Lindo!!!!!
    Você fez uma ótima escolha, esse amor que se entrega sem medo de ser ridiculo,amei!
    Quanto o cartão vou pereparar a minha lista e botar a boca no trombone!!! rs
    Bjs minha linda

    ResponderExcluir
  9. Cris querida,

    Lindo mesmo, né?

    Não rolou a aula com o poema :S Depois lhe conto minha saga toda. rsrs
    ___

    Então Lu,

    Usa-se depois da tattoo, muito bom! Aliás, tô naquela lista das que acham Bepantol tdb pra tudo mesmo!

    Do meme, no worries :) Eu entendo, com certeza! rsrs
    ____

    Carol,

    Hoje voltei à loja, não tinha o que eu tinha amado e aí acabei não comprando, mas dei de presente pra uma tia que foi comigo lá e quando quiser usar, já sei onde encontrar... rsrs
    ___

    Oi Gê!

    Mas amar é ser ridículo, perder o orgulho... se entregar de verdade. Senão não tem graça! rsrs

    Quero ver o seu meme, com certeza vai ser ótimo!
    ___

    Beijocas e super fds prolongado pra vocês.

    ResponderExcluir
  10. Foi esta música que me levou a procurar as golondrinas de becquer:

    http://www.youtube.com/watch?v=wpTE8Ir5Wg4

    Obrigada pela tradução da poesia :)

    ResponderExcluir
  11. A beleza deste poema fazina ate as pessoas de coração rancoroso

    ResponderExcluir