11 setembro 2009

Momento Espírita: O amor que fica


Foi num hospital do câncer que a lição foi dada. A menina tinha 11 anos e lutava, desde os 9, contra a insidiosa doença.

Nunca fraquejou. Chorava, sim, mas não fraquejava. Tinha medo em seus olhos, mas entregava o braço à enfermeira e com uma lágrima, dizia:

Faça, tia, é preciso! E havia confiança e determinação no gesto e na fala.

Um dia, quando o médico a foi visitar no quarto do hospital, ela estava sozinha. Perguntou pela mãe. E ouviu a resposta que, diz ele, até hoje guarda, com profunda emoção:

Tio, às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondido nos corredores.

Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade de mim. Mas eu não tenho medo de morrer. Eu não nasci para esta vida!

Pensando no que a morte representa para crianças que assistem seus heróis morrerem e ressuscitarem nos seriados e filmes, indagou o médico:

E o que a morte representa para você, minha querida?

Olha, tio, quando a gente é pequena, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e, no outro dia, acordamos no nosso quarto, em nossa própria cama, não é?

É isso mesmo, concordou ele, lembrando o que fazia com suas filhas de 2 e 6 anos.

Vou explicar o que acontece, continuou ela. Quando dormimos, nosso pai vem e nos leva nos braços para o nosso quarto. Eu não nasci para esta vida! Um dia eu vou dormir e o Meu Pai vem me buscar. Vou acordar na casa dEle, na minha vida verdadeira.

Que bela imagem! Que extraordinária lição desse Espírito encerrado num corpo tão jovem e sofrido.

O médico estava boquiaberto, não sabia o que dizer, ante tanta sabedoria.

Mas a menina não terminara ainda.

Minha mãe vai ficar com muitas saudades minhas, emendou ela.

Com um travo na garganta, contendo uma lágrima e um soluço, o médico perguntou:

E o que saudade significa para você, minha querida?

Não sabe não, tio? Saudade é o amor que fica.

* * *

A menina já se foi, há longos anos. Ainda hoje, quando o médico experimentado olha o céu e vê uma linda estrela, imagina ser ela, a sua pequena paciente, na sua nova e fulgurante casa. A casa do Pai.

* * *

Toda vez que a morte vier com seus braços frios e levar um dos nossos amores, pensemos que é o Pai que o envolve com ternura e o está levando para Sua casa.

O Pai que, com carinho, o vem buscar para estar com Ele, pois o ama muito.

E pensemos que logo mais poderemos ir também, pois todos os que nos encontramos na Terra seremos levados pelo Pai ao mundo espiritual.

Enquanto isso, cultivemos a doçura da saudade, em nosso coração.

A saudade... O amor dos nossos amores que ficou...

Redação do Momento Espírita, a partir de crônica que circula

pela internet, atribuída ao Dr. Rogério Brandão, médico

oncologista clínico de Recife, Pernambuco.

4 comentários:

  1. Sabe, eu oro contantemente para aqueles que ainda não acreditam na força da energia espitual.
    Aprendemos a cuidar dos nossos filhos e damos a vida a eles,mas esquecemos de ensina-los a morrer.
    O maior tabu da humanidade é a morte, não falar dela é um alivio momentanêo,mas um dia estaremos cara a cara com ela,e ai?
    Amar não é só cuidar muito bem materialmente, dar amor e segurança, mas ensinar os mistérios da vida, a sua criação, o seu meio e o seu fim.
    Bjs minha linda
    Gemária Sampaio

    ResponderExcluir
  2. Linda reflexão!

    Que coisa, acabei de postar uma frase sobre saudade no twitter, fechei e vi que tinha essa sua atualização e fui ler... emocionei ao ler o conceito da garotinha sobre saudade...

    Nada é por acaso...

    ResponderExcluir
  3. Oi Gê,

    Eu consigo entender quem não fala da morte porque não a entende. Como explicar o que você mesmo não sabe o que é?

    Por isso a tranquilidade que o Espiritismo deveria dar aos que o seguem de terem a certeza de que só estamos aqui de passagem.
    ____
    Oi Rubens!

    "Saudade é o amor que fica". Quando recebi o email com a mensagem fiquei emocionada também. É a melhor definição que já encontrei de saudade :)

    E não senhor, nada é por acaso. Até porque ele nem existe, viu? rsrs
    ____

    Beijocas e delicioso fds pra vocês.

    ResponderExcluir
  4. A pessoa nasce pra isso, mas ninguém sabe lidar direito com a morte...
    Um cheiro bem grande.

    ResponderExcluir