17 junho 2012

Meu Bandeira preferido: Pneumotórax


Rua com nome do poeta pernambucano no Porto, Portugal (acervo pessoal)


Febre, hemoptise, dispnéia e suores noturnos.
A vida inteira que podia ter sido e que não foi.
Tosse, tosse, tosse.

Mandou chamar o médico:
- Diga trinta e três.
- Trinta e três... trinta e três... trinta e três...
- Respire.

- O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado.
- Então, doutor, não é possível tentar o pneumotórax?
- Não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino.

***

Manuel Bandeira não tinha 20 anos quando descobriu ter tuberculose. 

Esperando a sina dos tuberculosos da época - comecinho do século XX - achou que morreria cedo. Morreu com mais de 80 anos!

"A vida inteira que podia ter sido e que não foi" é um verso que sempre me leva a pensar na vida dele que foi, praticamente inteira, esperando a morte, que tardou bastante a chegar. Quantas coisas Bandeira não deve ter deixado de viver com medo de não ter tempo para aproveitar? Quantas coisas não deixou de começar temendo não ter tempo de concluir?

"A vida inteira que podia ter sido e que não foi" é um verso recorrente na minha vida. Um dos meus maiores temores é me arrepender, tarde demais, do que deixei passar. 



2 comentários:

  1. Sheilaaaaaaaaaaaaaaaa, não se arrependa e faça!
    QQ coisa amiga tó aqui pro colo necessário !
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris querida, sempre fofa!

      É no geral, nem tô falando de uma coisa específica de hoje. É atitude que a gente deve ter na vida, né?

      Beijão, ÓTIMA semana pra você.

      Excluir