19 junho 2011

"Divã" - fragmentos (3)

"Tenho um cérebro masculino, como lhe disse, mas isso não interfere na minha sexualidade, que é bem ortodoxa. Já o coração sempre foi gelatinoso, me deixa com as pernas frouxas diante de qualquer um que me convide para um chope. Faz eu dizer tudo ao contrário do que penso: nessas horas não sei aonde vão parar minhas idéias viris. Afino a voz, uso cinta-liga, faço strip-tease. Basta me segurar pela nunca e eu derreto, viro pão com manteiga, sirva-se."

Do livro Divã, da Martha Medeiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário