10 janeiro 2011

Segunda sem carne


Bom, depois das férias de blog - porque eu ando passeando com sobrinhos, trabalhando, estudando pra concurso e tentando preparar palestra pro Centro - resolvi dar uma aparecida propositalmente hoje, segunda-feira, pra falar da campanha Segunda Sem Carne.

Eu sou extremamente carnívora! Adoooro carne! Acho churrasco tudo de bom, costumava ficar emburrada quando tinha que comer ovo frito - aliás, não gosto de ovo frito com comida ainda - mas também sempre me senti incomodada, angustiada, ao pensar no sofrimento dos animais na hora do abate - tenho horror de cruzar em estradas com aqueles caminhões carregando bois, vacas, galinhas e porquinhos pra abate!

Aí, há alguns meses, no grupo de estudo no Centro, lemos em um livro do André Luiz - se não me engano Libertação - ele comentando o nosso hábito humano de comer outros animais, do mal que isso acaba fazendo, do sofrimento que impingimos a estas criaturas que o Espiritismo acredita e trata como irmãos menores nossos.

Bom, aquilo foi a gota d'água pra mim. Me fez sentir mais culpada ainda em minha situação paradoxal: comassim tenho dó mas continuo comendo? Resolvi então fazer alguma coisa, começar a fazer alguma coisa e aderi à campanha Segunda Sem Carne. O nome diz tudo: na segunda-feira, não entra carne no meu cardápio. O pequeno problema é que eu comecei a perceber como é difícil algo que não tenha carne de alguma espécie, mesmo em restaurantes - que, aliás, eu evito nesses dias pra não cair em tentação.

Tá, e aí alguém pode comentar: "grande coisa ficar um dia sem comer carne...". E eu digo que, pra mim, é sim. Primeiro que eu vi que sobrevivo sem carne - e posso tentar outros dias, mais adiante, sem carne também - e segundo que é a minha parte, que nem a história da pombinha no incêndio da floresta. É pequeno, mas me faz bem, como, por exemplo, me faz bem doar sangue e ser doadora de medula óssea - minúsculas coisinhas que faço por outras criaturas.

Não vou botar terror e "intimar" ninguém a aderir a campanha mas, quem sabe, se você se sente como eu, ficar um dia sem carne não é um começo pra mudança de hábitos? Principalmente quando a gente descobre que nem é tão difícil assim.

8 comentários:

  1. Aqui em casa, há anos, não comemos carne na sexta-feira...
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Sheila!

    Realmente se privar de algo que gostamos é muito difícil!

    Mas, como somos seres extramamente adaptáveis... rsrsrs além disso segunda-feira é um ótimo dia para começar!

    Eu decidi não comer carne (de bicho nenhum!nada que se mexe). Faz onze anos que não como carne nem de vaca, nem de peixe, nem aves, nem frutos do mar. E não me faz nenhuma falta!

    Eu não tive nenhum motivo para deixar de comer carnes, simplesmente decidi! E não me arrependo.

    Aqui em casa todos são carnívoros, especialmente a Isa! Ela dá prejuízo ao dono da churrascaria quando vai comer rodízio! rssrs

    Vc. já provou soja? Ela supre a necessidade de proteína e fica deliciosa. Eu faço como se faz carne moída.

    Bjs. e boa semana!

    ResponderExcluir
  3. Oi, sou espírita e não como carne,mas atualmente nem é devido ao que acredito e sigo e sim porque a carne já não faz parte da minha vida, hoje esqueço de fazer(meu marido e filho são carnívoros) e de que ela existe. Mas no início foi difícil já que sou filha de portugues e que carne para eles é tudo. Aos poucos você se acostuma!!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Helo,

    Que legal! Durante um bom tempo na casa dos meus pais também não comíamos carne nas sextas.
    ____

    Sandra querida,

    Que decisão! Mas não acha complicado cozinhar pra família o que você não come? Eu não gosto quando me pedem pra preparar algo que não como...

    "Carne" de soja já tentei preparar uma vez e ficou muito, mas muito ruim. Preciso tentar de novo.
    _____

    Oi Ana,

    Que bacana como já se adaptou a vida sem carne. Sim, espero me acostumar aos poucos em ter bichinhos cada vez menos no meu prato.
    _____

    Beijos, gurias. Deliciosa semana!

    ResponderExcluir
  5. Olá,td bem?
    Sabe, já me falaram a respeito disso e quando lembro realmente a vontade de comer carne passa, só preciso me lembrar mais vezes dissso.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Oi, linda! Meu marido é vegetariano e eu deixei aos poucos de comer carne vermelha e frango (como peixe as vezes). Vi que não era dificil, é questão de prestar atenção aos alimentos que normalmente a gente não olharia: torta de palmito, de legumes, muitas massas não tem carne: quatro quejos, sugo, pizzas maguerita, guacamole, risotos de tomate seco e rucula, de ricota e espinafre, sopa de legumes (jantar). Muitos feijões (menos feijoadas) em restaurantes não levam carne (pra economizar) ... Mas acho que dependendendo da região do Brasil será mais difcíl comer em restaurantes. Acho uma boa proposta, não só pelos animais, mas pra abrir a cabeça pra outros sabores. Eu mesma aprendi a fazer várias coisas com legumes e com soja que acabaram ficando deliciosas. beijos!

    ResponderExcluir
  7. Li seu comentário sobre a soja que ficou ruim. Uma dica: tenta preparar soja como se fosse carne, como todos os temperos que tem direito. Deixa ela bastante no molho que você fez pra ela pegar o gosto. Eu gosto muito de fazer macarrão a bolonhesa usando soja. Beijos de novo!

    ResponderExcluir
  8. Oi Cris,

    Obrigada por estar seguindo o blog :)

    Pois é, acho que a gente só precisa mesmo pensar em parar, seriamente. Mas não é fácil, viu?
    ___

    Oi Lanny,

    Hmmm... deu água na boca sua sugestões vegetarianas! Aqui no sul a "coisa da carne" é muito forte, difícil encontrar muitas opções, mas claro que não procurei o suficiente, né?

    Obrigada pela dica da soja. Eu fiz aquela em pedaços e acho que isso ajudou a ficar parecendo um pedaço de borracha. Claro que minha inaptidão ajudou, porque já comi bife de soja pensando que era carne!
    ____

    Beijocas, gurias. Linda quarta-feira!

    ResponderExcluir