Pular para o conteúdo principal

Infelizmente preconceito não é coisa do passado...

Escolhi uma figura engraçadinha para ilustrar uma situação, na realidade, muito triste e vergonhosa.

Uma das minhas colegas da faculdade é atriz de teatro, tem um grupo com dois outros atores. Eles são ótimos! Muitas das peças do grupo são escritas por eles mesmos e uma delas, Romeu e Julieta Acústico, é uma das coisas mais divertidas que já vi!

Pois bem, a Cláudia, essa colega, foi convidada, junto com outros atores da região, para fazerem um teste para atuarem em uma série/minissérie/seriado - não sei ao certo - da GLOBO. Ela não estava muito empolgada porque seu negócio é teatro, mas, com insistência de amigos e do pessoal da produção, foi. Achou que não passaria, mas foi chamada, semana passada, para fazer o teste de figurino.

O tal teste foi marcado para às 16h em um hotel 4 estrelas da cidade. Todos os atores selecionados tiveram que esperar a diretora até às... 22h(!). A diretora é uma sobrinha do Chico Anysio, mãe de uma atriz que na novela das 8 - que passa às 9 - é a irmã esquisita de um mocinho de olhos claros, muito lindinho, galã. Ela já foi casada com um diretor de novelas da mesma emissora. Não darei nomes, mas não é coisa difícil de se descobrir.

Bom, mas voltando ao teste, a diretora chegou às 22h e pediu, ali na recepção do hotel mesmo, para saber quem tinha sido escalado pra cada papel. Quando chegou na minha colega, uma das produtoras disse pra ela:

- Eles farão o casal que briga no apartamento do hotel.
- Não, não pode! - disse a diretora - não dá! Eles são negros. Ninguém vai acreditar que são hóspedes de hotel! Ele... ele pode até ser, mas ela tem cara de pobre; vão achar que ela é empregada do hotel. - ela então apontou pra uma moça, "egressa" de uma escola de modelos da cidade, alta, clarinha, e continuou: - pra hóspede tem que ser alguém assim. Aí vão acreditar que é hóspede! - voltou-se para a minha colega e disse: - nada pessoal, tá querida?

A Clau, não sei como, ainda sem chorar, disse pra ela:

- Olha, eu não vou te responder porque aí vai ficar f***!

E saiu do hotel arrasada.

Um monte de coisa me chocou nisso tudo!

Como pode uma diretora de um canal tão conceituado, que tem tantos programas que tocam nessa questão do preconceito racial, agir assim?

Como pode um ser-humano humilhar tanto outro assim?

Como assim negro não tem cara de hóspede de hotel? Em que país essa mulher vive? Aliás, em que planeta?! Porque em qualquer país há brancos, negros, amarelos se hospedando diariamente em hotéis!

A Clau ficou muito, mas muito mal! No dia que me contou isso, saiu várias vezes da sala de aula pra chorar. Várias pessoas pediram pra ela tomar uma pedida legal e ela ainda estuda o que fazer.

Eu quis contar aqui essa história para que outras pessoas soubessem como essa senhora tratou uma atriz maravilhosa... mas que não tem a cor certa na opinião da digníssima diretora. Minha esperança é que esse tipo de coisa um dia, definitivamente, pare de existir!

E Clau, o azar é do programa, não seu!

Comentários

  1. preconceito é sempre assim, uma idiotice sem tamanho, já conheci muita gente legal que não chegaria nem perto se eu mantivesse todos os preconceitos que já tive...

    mas diga para a Clau ignorar, provavelmente um dia ela vai ser diretora no lugar da moçoila, e a preconceituosa vai estar no retiro dos artistas =D

    ResponderExcluir
  2. Pois é. Pena que nem todos se toquem do quão idiota é, né?

    A Clau não vai querer ser diretora de tevê. Seu grupo indo longe, continuando as participações em festivais e sendo aplaudido, já a deixará muito feliz :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é um "scammer"?

Eu fico tanto tempo sem escrever que, quando volto, fico com vergonha, pode?
Em minha defesa quero dizer que andei muito ocupada e sem nada de interessante pra escrever e que ando visitando os blogs que curto mas NÃO CONSIGO comentar há semanas! Sempre dá erro.
Mas, vamos ao que me motivou voltar a escrever um post. E senta confortável porque a história é longa mas muito séria e importante de ser conhecida.
Vocês já ouviram falar em scammer ou scam?
Scam, traduzindo meia-boca do original inglês, é um golpe, trambique, cambalacho. Scammer é quem o pratica. Na internet os scams mais conhecidos são aqueles golpes que com certeza vocês já conhecem de receber um email dizendo que tem um dinheiro em um banco africano e que você foi escolhido pra ficar com aqueles milhões. Já não recebeu um desses emails?
Mas existe mais um tipo de scam que tem se alastrado e que eu conheci este final de semana, da forma mais dolorosa: quase sendo vítima dele. É o scam romântico.
Se por um lado eu me enverg…

As calcinhas no varal

Hoje lavei minha roupa e, ao estendê-la no varal, fiquei chocada com a "qualidade" de boa parte das calcinhas que ali estavam.

As mulheres que têm entre 30 e 35 anos provavelmente cresceram ouvindo suas mães dizerem para cuidar com a roupa de baixo que usa porque se desmaiar na rua todos verão a calcinha velha, o sutiã com alça encardida - nem é o tema do post, mas quero avisá-las que é verdade! Um ex-colega de faculdade, bombeiro, diz que sim, eles reparam, mesmo nos momentos mais complicados de socorro, se as "moçoilas" estão com calcinha feia! - e falarão que a dona da lingerie é uma porquinha!

Daí hoje, olhando as calcinhas no varal, eu fiquei pensando que ali estavam aquelas calcinhas que normalmente eu usaria só pra dormir. Mas eu não só durmo! Ou seja, eu saí com boa parte delas!!

"Analisando" o varal, lembrei de que eu sempre tentei ser caprichosa com o que vestia por baixo da roupa. Mesmo quando era casada tentava usar lingerie arrumadinha e depois,…

25 em 2013 - Livro 5: Sua resposta vale um bilhão

Eu sinto tanto só agora escrever sobre Sua resposta vale um bilhão que li em fevereiro! Principalmente porque vou deixar muita coisa bacana do livro de fora. Mas gostei tanto que, mesmo assim, vale a pena.
Minha história com o livro é longa. Sou apaixonada pelo filme Quem quer ser um milionário - sobre o qual comentei efusivamente aqui, há 4 anos. Naquela época eu já tinha me interessado pelo livro, primeiro do autor - um diplomata indiano - mesmo correndo o risco de me decepcionar com o filme depois de lê-lo.
Namorei o livro longamente até que encontrei na Estante Virtual - um site que reúne sebos do Brasil inteiro - no comecinho do ano. Paguei R$ 4- sim, quatro reais! - por uma edição praticamente nova.
Quanto à história, muita coisa é diferente do filme - e necessário, se pensarmos na impossibilidade de adaptar um livro inteiro pra 2h de película. Escrevendo isso, o que me vem à cabeça é que, na verdade, o filme é inspirado na idéia central, do menino pobre, criado no mundo e que ganh…