Pular para o conteúdo principal

Breve guia do bom hóspede


Quase todo mundo vai concordar que viajar é tudo de bom! Melhor ainda quando a gente pode aproveitar a viagem pra rever gente querida e ainda economizar na hospedagem, ficando na casa de amigos ou parentes que farão o possível para fazermos nos sentir em casa.

Nesta semana pós-feriadão resolvi dar uma dicas que, ao longo do tempo, fui aprendendo nas minhas viagens mas que, na maioria, aprendi em casa mesmo, com a minha mãe. Fiquei pensando se sou "qualificada" pra isso e aí, deixando a modéstia de lado, decidi que sim. Por quê? Porque viajo razoavelmente bastantinho e porque o retorno sempre foi positivo. Vou tentar dar as dicas que acho mais importantes em um email só e espero que vocês gostem ;)

1ª dica: Avise com antecedência a pessoa que vai hospedá-lo. Ligue várias semanas antes, pergunte se tudo bem ficar na casa dela. Claro que para isso precisa haver certa intimidade com quem vai te hospedar, o que nos leva pra...

2ª dica: Não force hospedagem na casa de conhecido de conhecido de conhecido... Por morar em cidade turística e fronteiriça com o maravilhoso comércio do Paraguai, acontece, vez pro outra, de gente que a gente nem conhece pedir hospedagem. Recentemente uma amiga da segunda esposa do padrinho de um dos meus irmãos - esposa que minha mãe só tinha visto uma vez na vida! - pediu hospedagem aqui em casa porque estavam vindo pro Paraguai. O pessoal chegou às 23h, quando a gente nem os esperava mais, e passou o dia inteiro em Ciudad del Este. Dormiram duas noites aqui e ainda tentaram cantar hospedagem pra mais compras no Paraguai para alguns meses depois. E o Simancol??

3ª dica: Depois da primeira ligação/primeiro contato, avisando que está indo, não deixe de continuar mantendo contato e explicar direitinho quando chega. Assim a pessoa poderá se programar para ir te buscar ou explicar como podem fazer para se encontrarem. Ah, e avise horários certinhos. Um primo nosso que veio nos visitar mês passado, disse que chegaria às 9h30. Disse depois que ligamos um dia antes pra saber se ele viria ou não, já que há 2 semanas não dava notícias ou confirmava que estava vindo. Minha mãe foi de manhã ao aeroporto e ele não chegou no vôo. Ligamos pra esposa dele em MG e aí ela explicou que não era 9h30, era 21h30... E o aeroporto fica distante uns 30km daqui de casa...

4ª dica: Por favor, leve o seu sabonete, o seu xampu, a sua pasta de dente, a sua toalha de banho... Parece óbvio? Garanto que não é! Aliás, sobre toalha, se estiver viajando com mais gente, é bom perguntar se precisa levar travesseiro também porque as pessoas não são obrigadas a terem travesseiros para 6 cabeças sobressalentes em casa.

5ª dica: Arrume sua cama. Sempre! Mesmo que não faça isso em sua própria casa.

6ª dica: Seja prestativo. Ajude na cozinha com a louça, ou no preparo das refeições. No casamento da minha amiga Rê ano passado, em Catalão, GO, apenas os amigos mais próximos de longe - dois padrinhos e eu - fomos convidados pra ficar na casa dela. Achei muito fofo quando meu par no casório, um excelente cozinheiro, se ofereceu para preparar o jantar um dia.

7ª dica: Se o pessoal que te hospeda te acompanhar em algum passeio, é gentil pagar a entrada deles quando esta é cobrada. É uma forma de agradecer por estarem te acompanhando.

8ª dica: Se a a sua $ituação for boa, é legal pagar a pizza que comeram fora, ou os chopes... No mínimo tem que dividir a conta, né?

9ª dica: É muito gentil presentear quem te hospedará. Leve uma lembrancinha que seja, ou compre algo na cidade onde visita para presentear na saída. Nunca deixo de levar algo! Os primos do meu pai, que nos visitaram no feriadão, trouxeram um perfume delicioso pra minha mãe lá do Paraguai. O pessoal do Couch Surfing que costumava ficar na minha casa - quando eu morava sozinha - sempre trazia um ímã de geladeira, um docinho ou algum artesanato do seu país ou, ainda, compravam flores no último dia que estavam aqui. Achava isso de uma delicadeza sem tamanho!

10ª dica: Aproveite a casa, aproveite as pessoas! O mais bacana de ficar na casa de alguém conhecido é poder contar com carinho e gentileza durante uma viagem. Eu tenho certeza que quando a gente é querido como hóspede as pessoas lembrarão da gente com carinho e estarão sempre dispostas a nos hospedar!

Devo ter deixado algumas coisinhas pra trás mas acho que, o básico do básico é isso que escrevi acima.

Tô pensando em escrever também o Breve guia de quem bem hospeda - mas este será mais baseado na observação do que em mim mesma já que minha mãe e minha irmã dão um baile em mim neste quesito!

Comentários

  1. Achei muito legal suas dicas. Sigo todas, graças a deus! Tem que ter simancol, né?
    Outra coisa que acho importante é o hóspede relaxar, digo, se a gente quer oferecer a casa, é porque gosta daquela pessoa. Recebi uma moça lá em casa que tava vindo pra um congresso na minha cidade, que ela pedia desculpas por tudo, achava que tava sempre incomodando, tinha que pedir até pra ir no banheiro! Isso cansava também. Eu já tinha deixado a moça super à vontade, realmente porque eu não queria muito me preocupar com ela, queria que a coisa fosse natural, sabe? Acho que existe uma linha tênue entre o simancol e a perseguição! :D Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi Lanny,

    Acho que todo mundo tem que relaxar, né? Quem recebe e quem chega. Porque também é chato você lidar com dono de casa que fica te cercando demais - que nem em loja com vendedora grudenta! rsrs. Claro que a intenção é a melhor, mas não dá :S

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  3. Falou e disse... acho que é o mínimo que temos que fazer quando nos hospedamos na casa de alguém. Beijos

    ResponderExcluir
  4. Mas como tem gente que não faz nem esse mínimo, Fabi...

    Beijocas, bom fds.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é um "scammer"?

Eu fico tanto tempo sem escrever que, quando volto, fico com vergonha, pode?
Em minha defesa quero dizer que andei muito ocupada e sem nada de interessante pra escrever e que ando visitando os blogs que curto mas NÃO CONSIGO comentar há semanas! Sempre dá erro.
Mas, vamos ao que me motivou voltar a escrever um post. E senta confortável porque a história é longa mas muito séria e importante de ser conhecida.
Vocês já ouviram falar em scammer ou scam?
Scam, traduzindo meia-boca do original inglês, é um golpe, trambique, cambalacho. Scammer é quem o pratica. Na internet os scams mais conhecidos são aqueles golpes que com certeza vocês já conhecem de receber um email dizendo que tem um dinheiro em um banco africano e que você foi escolhido pra ficar com aqueles milhões. Já não recebeu um desses emails?
Mas existe mais um tipo de scam que tem se alastrado e que eu conheci este final de semana, da forma mais dolorosa: quase sendo vítima dele. É o scam romântico.
Se por um lado eu me enverg…

As calcinhas no varal

Hoje lavei minha roupa e, ao estendê-la no varal, fiquei chocada com a "qualidade" de boa parte das calcinhas que ali estavam.

As mulheres que têm entre 30 e 35 anos provavelmente cresceram ouvindo suas mães dizerem para cuidar com a roupa de baixo que usa porque se desmaiar na rua todos verão a calcinha velha, o sutiã com alça encardida - nem é o tema do post, mas quero avisá-las que é verdade! Um ex-colega de faculdade, bombeiro, diz que sim, eles reparam, mesmo nos momentos mais complicados de socorro, se as "moçoilas" estão com calcinha feia! - e falarão que a dona da lingerie é uma porquinha!

Daí hoje, olhando as calcinhas no varal, eu fiquei pensando que ali estavam aquelas calcinhas que normalmente eu usaria só pra dormir. Mas eu não só durmo! Ou seja, eu saí com boa parte delas!!

"Analisando" o varal, lembrei de que eu sempre tentei ser caprichosa com o que vestia por baixo da roupa. Mesmo quando era casada tentava usar lingerie arrumadinha e depois,…

25 em 2013 - Livro 5: Sua resposta vale um bilhão

Eu sinto tanto só agora escrever sobre Sua resposta vale um bilhão que li em fevereiro! Principalmente porque vou deixar muita coisa bacana do livro de fora. Mas gostei tanto que, mesmo assim, vale a pena.
Minha história com o livro é longa. Sou apaixonada pelo filme Quem quer ser um milionário - sobre o qual comentei efusivamente aqui, há 4 anos. Naquela época eu já tinha me interessado pelo livro, primeiro do autor - um diplomata indiano - mesmo correndo o risco de me decepcionar com o filme depois de lê-lo.
Namorei o livro longamente até que encontrei na Estante Virtual - um site que reúne sebos do Brasil inteiro - no comecinho do ano. Paguei R$ 4- sim, quatro reais! - por uma edição praticamente nova.
Quanto à história, muita coisa é diferente do filme - e necessário, se pensarmos na impossibilidade de adaptar um livro inteiro pra 2h de película. Escrevendo isso, o que me vem à cabeça é que, na verdade, o filme é inspirado na idéia central, do menino pobre, criado no mundo e que ganh…