04 maio 2011

Sobre a morte de Osama Bin Laden

Nunca pensei que quando descobrissem onde o Bin Laden se escondia eu acabaria escrevendo um post sobre isso simplesmente porque não achava que seria algo que importasse pra mim particularmente, ou que, como acabou acontecendo, me incomodasse tanto.

Incômodo, primeiro, por ver as pessoas nas ruas comemorando a morte de alguém, por pior que esta pessoa fosse.

Incômodo pela forma que aconteceu. Sinceramente, não consigo entender quem no Universo deu direito aos EUA de decidirem o que é melhor e mais correto pro mundo! Não entendo como alguém reage contra armas sem estar armado - isso depois de terem dito que a ordem era matá-lo e não prendê-lo. E se reagiu mesmo, comassim atirar na cabeça e não, sei lá, na perna?

Não tô dizendo que não deveriam prender o Bin Laden, lógico que não! Mas ele deveria ter sido preso, ter sido julgado por um tribunal internacional, ter tido direto a advogado e tudo mais a que qualquer criminoso, por pior que seja, tem direito.

Além de Deus no coração das pessoas, não tenho solução imediata pros horrores do mundo, infelizmente, mas não acho que vingança, assassinatos ou arbitrariedades nos ajudarão muito. Pelo contrário, aliás!

E, por falar em Deus, encontrei uma matéria muito bacana no Yahoo! com o título Cardeal francês pede oração pela alma de Bin Laden na qual este cardeal, Albert Vanhoye diz que apenas está fazendo o que ensina o Evangelho. Falas do religioso - que tem 87 anos e é considerado um dos maiores especialistas na Bíblia -, retiradas da matéria: "é preciso orar pela alma de Osama Bin Laden, assim como por todas as vítimas do 11 de setembro. São os ensinamentos de Jesus.(...) Jesus nos obriga a perdoar nossos inimigos. Nosso Pai, àquele a quem oramos todos os dias, nos impõe. Não pedimos por acaso para perdoar nossas ofensas como perdoamos a quem nos tem ofendido? Não se pode recitar esta oração conservando rancor e cultivando ódio para nossos inimigos. (...) Os americanos, em sua maioria cristãos, manifestaram um compreensivo júbilo após o anúncio da morte do terrorista mais procurado do mundo. Mas não manifestaram em nada um sentimento de perdão. Alguns muçulmanos do sector mais islamita juraram vinganças contra os cruzados, os americanos e seus aliados acusados de terem assassinado um de seus heróis".

Assino embaixo de tudo que este senhorzinho diz!

Por fim, não quero que todo mundo pense como eu. Mas também não gostaria de pensar que estou só...

3 comentários:

  1. Não Sheila, você não está só!

    Também penso como você. Também não fiquei feliz em saber da morte dele! Como comemorar a morte de uma pessoa mesmo que essa pessoa seja um terrorista, um assassino?

    Não acho que foi "feita justiça" como o próprio Obama falou. Matar um assassino é praticar justiça?

    Que justiça? a do dente por dente, olho por olho? Jesus veio para nos ensinar o contrário!

    Concordo com o que o Cardeal francês falou. Eu mesma já tive que perdoar várias pessoas para poder rezar o Pai Nosso verdadeiramente. Os ensinamentos de Jesus são realmente muito difíceis de serem seguidos. Mas me esforço todos os dias para obedecer.

    Já me coloquei várias vezes na pele daquelas pessoas que estavam naquele edifício e também de seus familiares. É tudo muito doloroso. Assim como são todos os atentados, assim como foi também o da escola em Realengo.

    Lembro da entrevista dada pelo pai daquelas duas garotas mortas no interior de São Paulo. Ele disse que perdoava o assassino das filhas. Eu chorei naquela entrevista. Eu o admirei imensamente. Mas, confesso que eu ainda não conseguiria reagir assim se fosse com um dos meus filhos.

    Não acho também que o mundo ficou "um lugar mais seguro" pela morte dele. Pelo contrário...acho que acontecerão muitas retaliações.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. A morte desse homem, se é que ela realmente aconteceu, foi pura vingança. Os americanos nunca deixaram de "se vingar" de seus inimigos, sempre foi assim....eles acham que saõ os donos do mundo, aí vira um ciclo vicioso, "vc não é o dono do mundo e nós vamos provar.", aí vem a vingança e assim sucessivamente....
    Sinceramente não sei se sou perfeita o suficiente para perdoar se fosse comigo, mas tenho certeza que matar não é a saída. Isso só aumenta a desvalorização da vida!
    Quanto vale uma vida hj em dia? Um par de tênis, uma bicicleta, R$10,00, uma vingança, um bulling na infância?
    O mundo está com os valores invertidos....
    Aí qdo o cara entra na escola matando a molecada, o povo fica chocado! Está na televisão ( nos jornais, nas novelas): olho por olho, dente por dente!
    Deus é sim a única saída, mas como desmistificar o "In God We trust" com esses exemplos?

    bj

    ResponderExcluir
  3. Sandra querida,

    Seu comentário me emocionou a primeira vez que li no começo da noite e agora, ao relê-lo, me emociono de novo.

    Admiro muito o pai das meninas assassinadas e eu não sei como agiria se fossem minhas irmãs, minhas sobrinhas. Mas, por isso mesmo, mais o admiro, porque tenho certeza que é uma pessoa de um coração gigantemente cristão para já conseguir perdoar asssim.

    Acho que, o mais importante, é a gente conhecer as dificuldades que ainda temos e trabalharmos para que elas logo virem virtudes.
    ____

    Fernanda,

    Eu concordo com você: a questão parece ser sempre mostrar o quanto são poderosos e como não podem ser desafiados. Tão triste!

    Eu só espero que meus sobrinhos e sua filhota gatinha possam viver em um mundo com menos ódio quando tiverem a nossa idade...
    _____

    Beijocas, gurias. Tranquila quinta-feira pra vocês.
    ____

    ResponderExcluir