Pular para o conteúdo principal

Cota de 100% para doidos

Gostei tanto deste post do Paulo Moreira Leite em seu blog (http://colunas.epoca.globo.com/paulomoreiraleite) que quis dividir com vocês:

Cota de 100% para doidos

Qui, 30/04/09
por Paulo Moreira Leite |
categoria Geral


Precisei ler duas vezes para acreditar: a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara acaba de aprovar um projeto que reserva 10% das vagas em instituições públicas de ensino médio e superior para deficientes físicos.

Minha mãe passou os últimos de sua vida numa cadeira de rodas. Pude conhecer de perto as dificuldades dessa condição. Mas não é disso que estamos falando.

Bernardo Mello Franco, de O Globo, fez a conta. Somando os 50% de vagas que o Senado pretende reservar para alunos de escolas públicas, em breve apenas 40% das vagas de nossas universidades públicas poderão ser disputadas por estudantes que não se enquadram em nenhuma das categorias anteriores.

Aquilo que se chama de mérito, critério que envolve o premio aos mais preparados e mais capazes, só irá vigorar para 4 em cada 10 vagas.

Isso é mais do que absurdo. Não faz sentido educativo, nem social.

Não importa: o que se pretende é criar uma reserva de mercado eleitoral. Sem entrar no mérito particular de cada uma dessas iniciativas, o projeto é criar um eleitor cativo, que nunca vai abandonar o parlamentar que arrumou um atalho para colocá-lo na universidade.

Lembra aqueles coronéis que davam um pé de sapato e só entregavam o outro depois de conferir o voto? É disso que estamos falando.

É tão delirante que acho que o Michel Temer deveria recuar do recuo do recuo das passagens aéreas e reestabelecer as mordomias para suas excelencias — agora
em vôos de primeira classe, com estadia paga.

Dessa forma, eles poderiam ficar longe do plenário e evitariam prejudicar o país com medidas delirantes como esta.

__________

Bom, não resisti e deixei o seguinte comentário lá:

"Tenho 34 anos, me formei em Turismo em 96, em uma universidade estadual e, 10 anos depois, passei em um vestibular na mesma instituição.

Conto isso apenas para dizer que fico aliviada por já ter feito os dois cursos porque com tantas restrições para quem simplesmente vai fazer uma prova sem se valer de vantagem pela sua cor ou escola onde estudou até o Ensino Médio. Provavelmente não ser negra e nem ter nota de ENEM podaria muitas das minhas chances!

Não entendo porque quem estuda em escola particular precisa ser punido pela educação que muitas vezes teve às custas de esforço árduo dos pais (assim foi comigo e com outros 2 dos meus irmãos). Não são apenas filhinhos de papai que estudam em escolas particulares. De que vale para um aluno sair do Colégio São Bento, o bicampeão na avaliação do ENEM se um aluno que vier de uma escola pública qualquer terá mais chances do que ele de cursar uma boa faculdade?!

Como me envergonho da educação cada vez mais deficiente deste país!"

Comentários

  1. Menina adorei seu post, concordo 100% com você. Fico uma fera com essas loucuras. Eu já passei por tudo isso, mas fico pensando em relação ao meu filho. Branquinho, estudante de escola partiular... vai se danar para estudar em uma boa universidade. As facilidades não deveriam ser assim. E sim se proporcionar um excelente ensino para todos desde a 1ª serie. E não tentar arrumar as coisas no final. bjs

    ResponderExcluir
  2. Pois é Ana,

    Eu fico fula com esse assunto de cotas pra isso, cotas pr'aquilo! Não creio que você pague a escola do seu filho sem qualquer esforço como sei que muuuuuuuita gente faz! Então, é punir o aluno pela possibilidade que ele teve?!

    Jamais aceitarei qualquer tipo de cotas para o ensino superior!

    Anyways, beijocas e delicioso feriadão pra você e a família :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é um "scammer"?

Eu fico tanto tempo sem escrever que, quando volto, fico com vergonha, pode?
Em minha defesa quero dizer que andei muito ocupada e sem nada de interessante pra escrever e que ando visitando os blogs que curto mas NÃO CONSIGO comentar há semanas! Sempre dá erro.
Mas, vamos ao que me motivou voltar a escrever um post. E senta confortável porque a história é longa mas muito séria e importante de ser conhecida.
Vocês já ouviram falar em scammer ou scam?
Scam, traduzindo meia-boca do original inglês, é um golpe, trambique, cambalacho. Scammer é quem o pratica. Na internet os scams mais conhecidos são aqueles golpes que com certeza vocês já conhecem de receber um email dizendo que tem um dinheiro em um banco africano e que você foi escolhido pra ficar com aqueles milhões. Já não recebeu um desses emails?
Mas existe mais um tipo de scam que tem se alastrado e que eu conheci este final de semana, da forma mais dolorosa: quase sendo vítima dele. É o scam romântico.
Se por um lado eu me enverg…

As calcinhas no varal

Hoje lavei minha roupa e, ao estendê-la no varal, fiquei chocada com a "qualidade" de boa parte das calcinhas que ali estavam.

As mulheres que têm entre 30 e 35 anos provavelmente cresceram ouvindo suas mães dizerem para cuidar com a roupa de baixo que usa porque se desmaiar na rua todos verão a calcinha velha, o sutiã com alça encardida - nem é o tema do post, mas quero avisá-las que é verdade! Um ex-colega de faculdade, bombeiro, diz que sim, eles reparam, mesmo nos momentos mais complicados de socorro, se as "moçoilas" estão com calcinha feia! - e falarão que a dona da lingerie é uma porquinha!

Daí hoje, olhando as calcinhas no varal, eu fiquei pensando que ali estavam aquelas calcinhas que normalmente eu usaria só pra dormir. Mas eu não só durmo! Ou seja, eu saí com boa parte delas!!

"Analisando" o varal, lembrei de que eu sempre tentei ser caprichosa com o que vestia por baixo da roupa. Mesmo quando era casada tentava usar lingerie arrumadinha e depois,…

25 em 2013 - Livro 5: Sua resposta vale um bilhão

Eu sinto tanto só agora escrever sobre Sua resposta vale um bilhão que li em fevereiro! Principalmente porque vou deixar muita coisa bacana do livro de fora. Mas gostei tanto que, mesmo assim, vale a pena.
Minha história com o livro é longa. Sou apaixonada pelo filme Quem quer ser um milionário - sobre o qual comentei efusivamente aqui, há 4 anos. Naquela época eu já tinha me interessado pelo livro, primeiro do autor - um diplomata indiano - mesmo correndo o risco de me decepcionar com o filme depois de lê-lo.
Namorei o livro longamente até que encontrei na Estante Virtual - um site que reúne sebos do Brasil inteiro - no comecinho do ano. Paguei R$ 4- sim, quatro reais! - por uma edição praticamente nova.
Quanto à história, muita coisa é diferente do filme - e necessário, se pensarmos na impossibilidade de adaptar um livro inteiro pra 2h de película. Escrevendo isso, o que me vem à cabeça é que, na verdade, o filme é inspirado na idéia central, do menino pobre, criado no mundo e que ganh…