Pular para o conteúdo principal

Sexo e drogas

Caso 1- Há algumas semanas, quando uma participante do BBB saiu do programa, foi divulgado um vídeo feito pelo celular do seu então noivo - e que depois virou marido - onde ela aparecia fazendo sexo oral nele. Foi um bafafá gigante e, curiosa, procurei o tal vídeo pra ver o que de tão incrível tinha ali. A resposta? NADA. Era um casal, com uma relação estável, em um momento gostoso de intimidade.

Mas aí, li e ouvi de tudo à respeito disso. O que mais me surpreendeu foi um outro ex-BBB, desafeto da moça, dizer que ela posava de santinha, mas fazia isso.

Não entendi o "fazia isso". Sexo oral? Que casal normal não o faz? E, caso não faça, acho que tem algum problema nessa relação.

Ou ele se referia ao fato de terem filmado? Também não vejo nada demais. Quantas pessoas não filmam, não fotografam seus momentos mais íntimos? O problema é quando isso se torna público, através de um ex vingativo, cafajeste - no caso da moça em questão, o celular teria sido roubado depois da filmagem.

Caso 2- Uma colega minha de faculdade, de seus 23 anos, veio contar entre risadinhas, que um outro colega ficou sabendo por um ex-namorado de uma professora, que ela gostava de DP - ele contou depois que foi encontrado um vibrador em seu lixo e quis fugir da supeita de homossexualidade.

Até que ela contasse que o cara não sabia que nosso colega era aluno dela, eu o achava a pessoa mais nojenta do mundo, por contar algo tão íntimo de uma namorada!

Caso 3- A mesma colega que contou da professora, achou graça, pouquíssimos minutos depois, quando uma outra menina, novinha, contava sua experiência com lança-perfume. A rodinha de meninas de seus 20 e poucos anos falava daquilo tudo como se fosse muito natural.

E eu me senti muito constrangida! Deslocada naquela mesa, naquele momento.

***

Não vejo problema em nada feito por um casal, em sua intimidade, contanto que os dois estejam querendo - o que descarta, obviamente, qualquer tipo de humilhação não-consentida, pedofilia e outras coisas. Não me acho extremamente liberal nem nada! De longe não acho legal ir pra cama com um desconhecido, por exemplo. Mas, com namorado, com marido, com um affair... tudo pode ser gostoso.

Mas a banalização do uso de qualquer entorpecente, não consigo ver como algo natural! Tá, eu sei que cada um faz o que quer com a sua vida, com seus neurônios, com seu nariz, com qualquer partezinha do seu corpo... Mas pensar assim é ser muito simplista!!

Se drogas são proibidas, onde se compra maconha? Quem é o vendedor? Como ele consegue isso? De onde vem?

Por razões morais e também religiosas - e não por dogmas, porque, felizmente, faço parte de uma religião que não os tem; mas pelo que sei que me acontece - não curto drogas, raramente bebo... E me incomoda ver o quanto fumar maconha é banalizado hoje em dia, como se fosse a mesma coisa de fumar um cigarro comum.

Vejam bem: não defendo um em detrimento do outro! Mas, infelizmente, um deles tem sua venda legalizada.

E, no entanto, as pessosas riem e se chocam, com sexo entre um casal... Achando natural fumar ou cheirar alguma droga ilícita, traficada por bandidos.

Sad world...
__________

Foto: Dave Barstow.

Comentários

  1. Isso ai menina. Infelizmente o povo perdeu a noção das coisas.São gente que, como minha mãe dizia, o sujo falando do mal lavado. bjs

    ResponderExcluir
  2. É difícil conciliar tantas opiniões diferentes. Muita coisa é relativa. As pessoas não sabem respeitar as opiniões das outras em sua maioria. Acho que cada caso é único e não pode ser avaliado de maneira igual
    Um cheiro grande.

    ResponderExcluir
  3. Ana,

    Pois é. Eu fiquei pensando nisso depois que li um post recente seu. É tão esquisito ver o que parece uma perda de noção do que é "normal" e do que é "comum"...

    ________

    Dora,

    Algumas coisas são relativas mesmo, mas nem tudo. E acho que a gente tem se esquecido disso... :(

    Bjks nas duas!

    ResponderExcluir
  4. Olá Maurizio!

    Ando aparecendo... e vc? rsrs

    Bjks.

    ResponderExcluir
  5. Sheila, um tempão sem passar aqui. Desculpe! Aquela correria de sempre... Nem tenho postado muito.
    Você só esqueceu de falar desse BBB: é foda ver que 90% da população assiste à um programa desses. Aí eu realmente não sei pra onde o mundo está indo!
    Beijão.

    ResponderExcluir
  6. hahaha

    Sabe o q é, Tainá? Eu faço parte dos 90% que assistem! Todo ano digo que não vou perder tempo com isso mas, quando vejo, lá estou eu, dia sim, outro não, vendo o que anda acontecendo...

    Shame on me! hahaha

    Bjks.

    P.S. Não ando postando como gostaria também. Quem não vive na correria, né? Só espero que você esteja SUPER-bem!! :)

    ResponderExcluir
  7. Vai entender...
    Eu tb acho que entre 4 paredes vale tudo e isso não é da conta de mais ninguém.
    Mas por outro lado sou tão careta que nunca fumei nem fiquei bebada (porque não bebo). Não vou nem dizer que acho sobre essas meninas que banalizam a maconha e afins, apenas me mantenho longe delas...

    ResponderExcluir
  8. A forma como eu entendo, e meu principal motivo pra ser contra as drogas, é que o uso delas é ilegal.

    Já sexo com o namorado ou "similar", não é ilegal... Pelo menos quando os dois têm mais de 18, e é desses que falo aqui! rsrs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é um "scammer"?

Eu fico tanto tempo sem escrever que, quando volto, fico com vergonha, pode?
Em minha defesa quero dizer que andei muito ocupada e sem nada de interessante pra escrever e que ando visitando os blogs que curto mas NÃO CONSIGO comentar há semanas! Sempre dá erro.
Mas, vamos ao que me motivou voltar a escrever um post. E senta confortável porque a história é longa mas muito séria e importante de ser conhecida.
Vocês já ouviram falar em scammer ou scam?
Scam, traduzindo meia-boca do original inglês, é um golpe, trambique, cambalacho. Scammer é quem o pratica. Na internet os scams mais conhecidos são aqueles golpes que com certeza vocês já conhecem de receber um email dizendo que tem um dinheiro em um banco africano e que você foi escolhido pra ficar com aqueles milhões. Já não recebeu um desses emails?
Mas existe mais um tipo de scam que tem se alastrado e que eu conheci este final de semana, da forma mais dolorosa: quase sendo vítima dele. É o scam romântico.
Se por um lado eu me enverg…

As calcinhas no varal

Hoje lavei minha roupa e, ao estendê-la no varal, fiquei chocada com a "qualidade" de boa parte das calcinhas que ali estavam.

As mulheres que têm entre 30 e 35 anos provavelmente cresceram ouvindo suas mães dizerem para cuidar com a roupa de baixo que usa porque se desmaiar na rua todos verão a calcinha velha, o sutiã com alça encardida - nem é o tema do post, mas quero avisá-las que é verdade! Um ex-colega de faculdade, bombeiro, diz que sim, eles reparam, mesmo nos momentos mais complicados de socorro, se as "moçoilas" estão com calcinha feia! - e falarão que a dona da lingerie é uma porquinha!

Daí hoje, olhando as calcinhas no varal, eu fiquei pensando que ali estavam aquelas calcinhas que normalmente eu usaria só pra dormir. Mas eu não só durmo! Ou seja, eu saí com boa parte delas!!

"Analisando" o varal, lembrei de que eu sempre tentei ser caprichosa com o que vestia por baixo da roupa. Mesmo quando era casada tentava usar lingerie arrumadinha e depois,…

25 em 2013 - Livro 5: Sua resposta vale um bilhão

Eu sinto tanto só agora escrever sobre Sua resposta vale um bilhão que li em fevereiro! Principalmente porque vou deixar muita coisa bacana do livro de fora. Mas gostei tanto que, mesmo assim, vale a pena.
Minha história com o livro é longa. Sou apaixonada pelo filme Quem quer ser um milionário - sobre o qual comentei efusivamente aqui, há 4 anos. Naquela época eu já tinha me interessado pelo livro, primeiro do autor - um diplomata indiano - mesmo correndo o risco de me decepcionar com o filme depois de lê-lo.
Namorei o livro longamente até que encontrei na Estante Virtual - um site que reúne sebos do Brasil inteiro - no comecinho do ano. Paguei R$ 4- sim, quatro reais! - por uma edição praticamente nova.
Quanto à história, muita coisa é diferente do filme - e necessário, se pensarmos na impossibilidade de adaptar um livro inteiro pra 2h de película. Escrevendo isso, o que me vem à cabeça é que, na verdade, o filme é inspirado na idéia central, do menino pobre, criado no mundo e que ganh…