22 abril 2009

Li: Sheila Levine está morta e vivendo em Nova York

Mulher de trinta e poucos anos conta suas desventuras para encontrar um namorado, um emprego decente e ainda perder peso.

Já leu esse livro antes?! Pois é, eu também. Mas, surpresa: este aqui é o precursor de todos os livros dos anos 90/2000 que abordam o assunto. Sim, sim, antes de Bridget Jones, de Becky Bloom, antes das heroínas de Marian Keys, Gail Parent apresentou, nos anos 70, Sheila Levine. Moça judia que, passando dos 30 anos, ainda solteira e fora dos padrões de beleza que considera "propícios" ao casório, resolve se suicidar. O livro é o longo bilhete de despedida de Sheila.

Desses livros mais recentes, os únicos que consegui ler são os que contam a saga de Bridget Jones já que os outros sempre achei meio cópia dele - mas nem sei qual a ordem cronológica dessas obras. Na verdade, Sheila Levine é a precursora dessas personagens divertidas e com as quais muitas vezes nos identificamos. Muda-se o país, passam-se 30 anos, mas ainda é muito fácil encontrar mulheres que deveriam ser bem-resolvidas preocupadas porque não encontraram um marido, preocupadas porque a irmã mais nova casou e já tem filhos, preocupada com quem as cuidará na velhice...

Assim como minhas amigas que já leram o livro, me identifiquei muitas vezes com a minha xará e ri de suas histórias. Claro que nem sempre o tom é de comédia já que é uma suicida quem conta a história, mas mesmo quando conta coisas mais pesadas pelas quais passou, como um aborto, Sheila é divertida, irônica e impagável!

Quem sabe um dia ser solteira, com mais de 30, sem nenhum casamento ou filho no currículo, possa ser considerado algo normal no mundo?

Título original: Sheila Levine is dead and living in New York
Autor: Gail Parent
Editora: Bertrand Brasil
1972/2006

2 comentários:

  1. Esse eu não li, mas li os outros que lhe seguiram. Muito bom saber, fiquei interessada. bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana!

    Guria, tenho certeza que vai gostar, pode ler!

    Bjks.

    ResponderExcluir