30 janeiro 2010

Vi (1/2): La mala educación

Vou parecer metida, mas deixarei aqui o título original espanhol mesmo porque sempre foi assim que conheci o filme e acho o brasileiro Má educação feinho.

Mas, vamos ao filme, que ontem eu vi dois legais!

Bom, La mala educación (Espanha, 2004) é um filme do Pedro Almodóvar. Eu acredito que, diante das obras do diretor e roteirista é impossível alguém indireferente. Eu gosto dele, mas ainda tenho alguma dificuldade com esse bem-querer, porque não é fácil digerir o que ele filme.

Olhem como é La mala educación: um ator - Gael García Bernal - procura um cineasta - Fele Martínez - que passa por um bloqueio criativo. Ele diz que é um antigo colega de escola - de padres - dele e lhe apresenta um roteiro que escreveu e que se chama A visita. Ele diz que a parte da infância da personagem principal é a história dos dois no colégio e depois, segue a história de Ignácio, que se torna a travesti Zahara, quando adulto. Enrique, o cineasta, decide fazer o filme, depois de visitar a mãe de Ignácio, o amigo que escreveu o roteiro.

Mas... as coisas não são quase nada que parecem ser. E e aí que o filme se torna muito interessante!

Primeiro, não tem como ter algum resquício homofóbico e ver o filme. Se você se chocou/ofendeu/teve nojinho do que viu em O segredo de Brokeback Mountain, fuja deste filme aqui! Tem acusações de pedofilia por parte de padres, cenas insinuando sexo homossexual, beijo na boca, bumbum de fora... Bom, nada que talvez você não tenha visto se já viu outras coisas "almodovarianas".

Mas é um filme bem legal, porque é diferente, porque é a cara do diretor, porque tem atuações óóóótemas, principalmente do Bernal, mexicano, fazendo biquinho pra falar com sotaque espanhol, muito fofo. E corajosérrimo, porque não é um atorzinho desconhecido e, mesmo assim, se arrisca em um papel que considero hardcore.

Recomendo, pros menos preconceituosos e mais corajosos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário