Pular para o conteúdo principal

O tal do "licença, por favor"

Eu sou uma pessoa chata. E também sou, muitas vezes, estúpida, grossa. São coisas que tento mudar em mim porque sei que não são legais; e que magoam as pessoas, principalmente as que mais amo.

Mas tem uma coisa que eu sou, em gigante parte do tempo: eu uso sempre as palavrinhas mágicas! Já falei disso em um post anterior e hoje eu queria contar umas coisas que me aconteceram e que acabaram me incomodando o suficiente pra escrever sobre o assunto.

Vou começar pela gota d'água: tô eu hoje adiantando uma comprinha antes do meu irmão chegar pra almoçar comigo no restaurante do mercado. Uma funcionária de lá bloqueava um lado da prateleira das rações de gatos e aí dei a volta e fui escolher um pacote. Lá é um lado bem bagunçado do mercado, com tudo meio amontoado, um espaço bem apertado. Mas tô lá eu, olhando os preços - coisinha cara que é ração de gato! - quando a moça que me fez dar a volta para não incomodá-la, simplesmente passa praticamente me empurrando pro lado da prateleira. E, o que realmente me irritou, sem um simplezinho "licença" que fosse!

O mais fox é que em uma outra ocasião, quando meu irmão mais velho tava aqui no começo do mês, fomos ao mesmo mercado e, umas três vezes em menos de 1h, aconteceu a mesma coisa: pessoas passando na minha frente, pessoas passando espremidas perto de mim, pessoas cortando caminho pelo caixa que eu estava... sem um "licencinha" sequer! Um dos casos: uma guriazinha de uns 10 anos passou assim e, quando veio voltando, eu, propositadamente, ocupei todo o espaço do caixa. E vocês acreditam que ela não pediu licença?? Tentou passar se espremendo!! Aí eu falei, com cara feia, "conhece alguma palavrinha mágica?". A guria me olhou com cara surpresa e eu mesma respondi: "dá licença, por favor." Não, ela não repetiu o que eu acabara de falar; ainda me olhou com cara de surpresa e aí eu tive que sair de qualquer jeito.

Ah, gente, o que acontece?? Como uma expressãozinha tão "boba" anda esquecida? Será que é só por onde ando? Será que é local isso?

Umas amigas da minha Casa Espírita foram há alguns anos pra Paris e contaram que acharam graça do modo como os franceses andavam trombando nas pessoas nas ruas, mas sempre dizendo um "pardon". Eu preciso o "pardon trombado" do que o espremido sem um "licença" que seja!

Tenho amigos que riem quando chamo essas palavrinhas de mágicas, porque parece coisa de criança, mas elas realmente são mágicas porque fazem você desculpar o empurrão. Eu sou dona de pisar em pés alheios nos ônibus, por exemplo, ou esbarrar nas pessoas; mas juro que nunca encontrei uma cara feia depois que me virei pra pessoa e pedi desculpas! Nunca! E não consigo ficar brava também com quem diz uma palavra gentil depois de um pequeno acidente.

Todo mundo gosta de educação. De receber gentileza - o tal do gentileza gera gentileza... Por que não nos policiarmos e fazermos uso dela?

Então, pessoal, cultivem o hábito de dizer sempre, não só o "licença", mas também "por favor", "obrigada", "bom dia", "boa tarde", "boa noite"... E ensinem isso aos filhos, aos sobrinhos, os irmãos mais novos - e os mais velhos também, por que não? ... Puxem a orelha dos amigos com quem têm liberdade... É tão simplesinho. Custa tão pouco. E faz tanto!

E se um dia eu pisar na bola, me chamem a atenção também, por favor :)

___
Ilustração: www.cruzadadomenor.org.br

Comentários

  1. Nossa, Sheila, nem me fala.... Supermercado em véspera de feriado é um exemplo de lugar de onde se deve fugir correndo...

    É um gesto tão pequeno e gera um efeito tão grande, né, pedir licença! Gentileza gera gentileza...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Sheila, também chamo essas palavrinhas de mágicas e acredito que são mesmo.....
    E isso é a pura verdade GENTILEZA TEM QUE GERAR GENTILEZA!!!!!!!
    Temos sim que ser educados em qualquer situação, e um sorriso no rosto também muda muita coisa!
    Bjus e linda semana!

    ResponderExcluir
  3. O "pardon" que eu uso no metro e no RER é mais um "sai da frente" do que outra coisa.
    Mas uma coisa é certa.
    Resulta melhor do que tentar placar as 127 mil pessoas que encontro entre o lugar aonde viajo compactado e a porta.

    ResponderExcluir
  4. Oi Lu,

    Gesto pequeno mas, infelizmente, esquecido, né?
    ____

    Cris,

    O sorriso no rosto muda tudo! Ainda mais associado às tais palavrinhas... :)
    ___

    Luís,

    O que é RER??
    ___

    Bjks e boa semana pra vocês.

    ResponderExcluir
  5. É a rede de transportes ferroviários que serve os arredores de Paris (http://pt.wikipedia.org/wiki/RER)

    ResponderExcluir
  6. Aaaaaahhhhnnn...

    Eu podia ter simplesmente ao Google procurar, né? rsrs

    Mudando de saco pra mala: LINDAS as fotos do Gui! Tô apaixonada!!

    Bjks.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é um "scammer"?

Eu fico tanto tempo sem escrever que, quando volto, fico com vergonha, pode?
Em minha defesa quero dizer que andei muito ocupada e sem nada de interessante pra escrever e que ando visitando os blogs que curto mas NÃO CONSIGO comentar há semanas! Sempre dá erro.
Mas, vamos ao que me motivou voltar a escrever um post. E senta confortável porque a história é longa mas muito séria e importante de ser conhecida.
Vocês já ouviram falar em scammer ou scam?
Scam, traduzindo meia-boca do original inglês, é um golpe, trambique, cambalacho. Scammer é quem o pratica. Na internet os scams mais conhecidos são aqueles golpes que com certeza vocês já conhecem de receber um email dizendo que tem um dinheiro em um banco africano e que você foi escolhido pra ficar com aqueles milhões. Já não recebeu um desses emails?
Mas existe mais um tipo de scam que tem se alastrado e que eu conheci este final de semana, da forma mais dolorosa: quase sendo vítima dele. É o scam romântico.
Se por um lado eu me enverg…

As calcinhas no varal

Hoje lavei minha roupa e, ao estendê-la no varal, fiquei chocada com a "qualidade" de boa parte das calcinhas que ali estavam.

As mulheres que têm entre 30 e 35 anos provavelmente cresceram ouvindo suas mães dizerem para cuidar com a roupa de baixo que usa porque se desmaiar na rua todos verão a calcinha velha, o sutiã com alça encardida - nem é o tema do post, mas quero avisá-las que é verdade! Um ex-colega de faculdade, bombeiro, diz que sim, eles reparam, mesmo nos momentos mais complicados de socorro, se as "moçoilas" estão com calcinha feia! - e falarão que a dona da lingerie é uma porquinha!

Daí hoje, olhando as calcinhas no varal, eu fiquei pensando que ali estavam aquelas calcinhas que normalmente eu usaria só pra dormir. Mas eu não só durmo! Ou seja, eu saí com boa parte delas!!

"Analisando" o varal, lembrei de que eu sempre tentei ser caprichosa com o que vestia por baixo da roupa. Mesmo quando era casada tentava usar lingerie arrumadinha e depois,…

25 em 2013 - Livro 5: Sua resposta vale um bilhão

Eu sinto tanto só agora escrever sobre Sua resposta vale um bilhão que li em fevereiro! Principalmente porque vou deixar muita coisa bacana do livro de fora. Mas gostei tanto que, mesmo assim, vale a pena.
Minha história com o livro é longa. Sou apaixonada pelo filme Quem quer ser um milionário - sobre o qual comentei efusivamente aqui, há 4 anos. Naquela época eu já tinha me interessado pelo livro, primeiro do autor - um diplomata indiano - mesmo correndo o risco de me decepcionar com o filme depois de lê-lo.
Namorei o livro longamente até que encontrei na Estante Virtual - um site que reúne sebos do Brasil inteiro - no comecinho do ano. Paguei R$ 4- sim, quatro reais! - por uma edição praticamente nova.
Quanto à história, muita coisa é diferente do filme - e necessário, se pensarmos na impossibilidade de adaptar um livro inteiro pra 2h de película. Escrevendo isso, o que me vem à cabeça é que, na verdade, o filme é inspirado na idéia central, do menino pobre, criado no mundo e que ganh…