10 junho 2010

Como dizer não?


A Renata, ou Rê, como a chamo, é uma amiga muito querida de quem já falei aqui e que mora em Itumbiara, no interior de Goiás. Pelo menos até sábado, quando se mudará para Catalão, no mesmo estado. A nossa amizade já é interessante por um fato um tanto quanto curioso: nós nunca nos encontramos pessoalmente! Pois é, nos conhecemos pela net e logo nos tornamos amigas. Já consolamos choros uma da outra, sabemos dos amores, das alegrias, sabemos das famílias, dos amigos que cada uma tem ao seu lado... A Rê sempre tem uma palavra sensata e querida pra dizer.

E minha amiga agora vai casar. Acompanho desde o comecinho a história dela e do noivo, o Ricardo, e fiquei super-feliz com o casório que completará uma história linda de amor - só pra vocês terem uma idéia: é outra história que começou na internet, na época o Ricardo fazia mestrado na Alemanha! Se encontraram algumas vezes, aqui e lá e ano passado ele voltou pro Brasil... direto pra casa da Rê.

Fui convidada pra ser madrinha. Claro que um convite desses deixa a gente feliz, né? É demonstração de carinho, de consideração. Mesmo depois d'eu lembrá-la que meu casamento não deu certo e muito menos os dois nos quais fui madrinha, ela continuou me querendo ao lado deles - tragicômico, gente! hahaha. Tá, é brincadeira, não acredito em azar ou sorte, pra começar, não fui eu a culpada pelo fim dos casamentos que amadrinhei.

Primeiramente pensei que ainda tô pagando duas viagens deste ano e fiquei muito na dúvida. Mas como dizer não? Fui atrás de passagens e encontrei bilhetes muito baratos e, depois de pensar bastantinho e conversar com a Angelice e minha mãe - e a Vikki, que desde o começo disse que eu deveria ir porque me faria bem me divertir e conhecer gente nova -, percebi o quanto é importante celebrar com minha amiga tão querida um momento especial e único na vida dela.

O "enlace" é no final de julho e devo ficar uns cinco dias por lá - pra não parecer magro que come e vai embora! Esquentarei banco esperando conexões em Curitiba e São Paulo na ida e em Belzonte e Rio na volta mas, e daí?

Já tô vendo vestido, pensando no presente, até porque, quando a gente vê, já taí o dia de viajar!

Fiquei feliz por decidi ir. Acho que já deu pra perceber que tô empolgada com a viagem :)

(Verdade, Cris, eu sou muito batedora de perna! rsrs)

Um comentário:

  1. Emocionadissima com essa historia de amizade, amor, casamento e viagemmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
    Tudo de bom Sheila, essas são as oportunidades que a vida nos oferece e demoramos a pega-lá, fez muito bem apoiadissima, vá bater perna, vá conhecer gente nova, esquente o banco dos aeroportos....VIVA e Feliz já !
    Bjus

    ResponderExcluir