04 agosto 2009

Por baixo dos panos - Martha Medeiros

Eu tava aqui no trabalho, tentando escolher só três crônicas da Martha Medeiros pra citar na minha monografia e encontrei um que gosto muito e que é tragicômico!

No final dele contarei uma experiência minha nessa situação de lingerie.
***


"O underwear feminino segue sendo uma das peças-fetiche do sexo. Volta e meia as revistas fazem enquetes com os homens para saber qual o tipo de lingerie que os faz subir pelas paredes: vermelha, dourada, com renda, sem renda, tigrada, zebrada, transparente. As mulheres, por elas, comprariam apenas as branquinhas de algodão, bem confortáveis, e não se falaria mais nisso, mas nos exigem uma postura mais agressiva: temos que dar nosso recado através da roupa de baixo. Tudo bem, não custa nada realizar as fantasias alheias e as nossas próprias, faz parte dos jogos do amor. Mal sabem eles que nosso problema com calcinhas e sutiãs é bem outro.

Ela estava no médico. Uma quinta-feira à tarde. Consulta no dermatologista. Uma manchinha branca entre os dedos a estava angustiando, e resolveu consultar um especialista para descobrir se era uma micose ou coisa mais grave. Conversaram um pouco. Ela mostrou a mão para o doutor. Ele perguntou se haviam outras manchas como aquela em outras partes do corpo. Ela disse: 'Não que eu tenha percebido'. Danou-se. 'Por favor, passe para aquela sala e tire a roupa que vou examiná-la'.

Toda mulher já passou por essa situação. Esquecer que tinha médico agendado, esquecer da possibilidade de ter que tirar a roupa, esquecer de colocar uma calcinha decente. Você estará com aquela calcinha puída que comprou quatro anos atrás, numa época em que conseguia distinguir se ela era amarela, branca ou bege. Ela mesma, sua adorada calcinha de estimação, que você só veste quando seu marido está viajando para não haver testemunha desta sua inclinação pela pré-história do pret-à-porter. Mas você esqueceu da droga do médico. Que, além de perebenta, acaba de descobrir que você é uma relaxada.

Como todos sabem, não há nada tão ruim que não possa piorar. Você está novamente no médico, foi lá apenas para que ele observe seu couro cabeludo, pois está perdendo os cachos a cada lavagem. De repente, ele percebe que você está com uma coceira estranha na perna e ordena que você de dispa. Sim, você. Você que tem um encontro marcado com um clone do Rodrigo Santoro logo mais à noite e está vestindo aquela calcinha preta tamanho extra-small, sabor morango, com um fecho na frente e a frase Sou tua, Tigrão bordada na bunda. O que fazer neste momento? Chame o doutor para um cafezinho e confesse que seu codinome é Kátia Flávia.

Todos os homens merecem ser surpreendidos por nossa lingerie. Mas não nosso médico. Nem mesmo o legista. Ao acordar de manhã, avalie bem o que está usando. Nunca se sabe o que o dia nos reserva."

***

Eu, que já paguei muito, mas muito mico na minha vida, tive uma experiência inesquecível - no péssimo sentido! - com um médico. Era uma dessas clínicas de emagrecimento onde você passa por trocentos médicos mas eu pensei que só ia falar com a nutricionista. Bom, papeei com ela e aí ela disse que me passaria pro Dr. Fulano. Tudo bem; mais papinho, né? Nops! O médico me levou pra uma salinha e pediu pr'eu me despir pra ver onde eu tinha mais baconzitos.

Olha, eu JURO POR DEUS que nunca me importei tão pouco com os baconzitos! Por quê? Porque eu estava usando uma calcinha pavorosa: uma tanguinha fio-dental de 5ª, já derrubadinha, que só estava em mim porque foi a primeira peça que encontrei de manhã, no friozão de inverno! Isso sem falar na depilação!

O médico foi super-profissional, não esboçou nenhum choque - bom, mas eu esperava que ele me dissesse algo tipo: "Calcinha feia, hein, filha?"?!- vendo o que nem meu marido na época via mais!

Preciso dizer que a peça foi pro lixo assim que cheguei em casa?

E que não voltei mais no médico?!

Já falei sobre o perigo da calcinha velha aqui no blog, mas hoje de manhã, quando estendia roupa e via uma calcinha que amo de paixão por ser extremamente confortável e que minha mãe comprou de dúzia no Paraguai - é verdade! Pra ela, pra mim, pra minha irmã e pra minha cunhada! - mas que já passou da validade, pensei que ainda arrisco muito!

9 comentários:

  1. Sheila, amei seu blog! Vou segui-lo ja! Cara, sobre calcinhas, eh uma luta pra gente jogar aquela queridinha (mas que ja ta acabada) fora.. pq ehe taaaao confortavel!! Tenho que praticar o desapego sempre que vejo um rasgadinho... mas eh dificil!! Beijos!! Lanny (poeumbatonzinho.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  2. Oi Lanny,

    Eu também amei o seu blog!

    Calcinha querida é coisa séria... mas muito perigosa, né? rsrs

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  3. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Eu ri demais, Sheila, com esse post. Menina, mas que atire a primeira pedra quem nuncaaaaaaaa faz essas "atrocidades" consigo mesma...rs rs rs
    Adorei! O melhor foi "Chame o doutor para um cafezinho e confesse que seu codinome é Kátia Flávia."
    Eu bem que precisava rir assim em frente ao PC...
    Cheiro grande e boa tarde!

    ResponderExcluir
  4. Querida, acho que o dia foi feito pra eu rir, me acabei com seu post....eu adoro lingeries, e lembro smepre de um conselho da minha vovozinha que já se foi, snif, mais o conselho eu tento seguir sempre...ela dizia: que tinhamos sempre que manter a pia em ordem, jamais ir dormir deixando louça suja na pia, pq não sabemos o que pode acontecer na madrugada e vai que alguém precise aparecer e preparar algo na nossa cozinha( iria achar um relaxo se encontrasse pia bagunçada e louça suja), e qto a calcinha sempre usar calcinhas em ordem(principalmente pra dormir) pois nunca sabemos o que pode acontecer, rsrsrs coisas de vó , mas tem coerência, né?!
    Bjus

    ResponderExcluir
  5. Oi Dora,

    Pois é, guria, atire a primeira pedra que nunca cometou uma atrocidade dessas consigo mesma! rsrs

    Que bom que precisava rir e riu na frente do post :)

    ____

    Cris,

    Menina! Tudo isso que sua avó dizia minha mãe diz! Dá uma olhada no post que tá linkado neste post e você entenderá tudo e ainda saberá a opinião de um bombeiro que atende ocorrências na rua!

    ____

    Beijocas e boa tarde pra vocês.

    ResponderExcluir
  6. Guria! Temos muito do que imaginamos em comum, hein!?
    Olhe eu não conhecia Martha Medeiros até conhecer seu blog, daí li uma reportagem dela na revista UMA, e comprei um livro dela "Doidas e Santas", depois digo o que achei da leitura, pois dela já gostei.
    E acho que vou presentear meu filho no aniver dele em fevereiro com um dog.
    Bjus

    ResponderExcluir
  7. Cris,

    A Marta Medeiros é bárbara! "Doidas e santas" eu ganhei de aniversário da Angelice em abril e, provavelmente, a crônica que deu nome ao livro é uma das que usarei no TC. O livro é MARAVILHOSO!!

    Em fevereiro?! Tá muito longe, mãe!! rsrs

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  8. Sheila!
    Faz meia hora que não paro de rir!!! (Brincadeira, na verdade foram 2 minutos! mas 2 minutos é muuuito tempo quando a gente ri sem parar!!!!kkk)
    Só você pra contar essas coisas!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Oi Sandra!

    (rsrs)

    Como disse a Dora, atire a primeira pedra quem nunca faz essas atrocidades!

    Beijocas.

    ResponderExcluir