Pular para o conteúdo principal

Buenos Aires (7): Comendo e bebendo

(segundo post do dia 25)

A coisa que mais se ouve de Buenos Aires, como um dos seus pontos positivos, é que se come bem e barato na cidade.

Bom, se come muito bem; mas isso tem um preço. E pros meus padrões iguaçuenses, não é um preço tão bom já que Foz é uma cidade com bons e baratos restaurantes. E os argentinos têm um agravante: os pratos raramente vêm com acompanhamentos: então tem que pedir a massa, o molho - sim, sim! -, a carne, a salada...

Tomamos muito capuccino, chocolate e coisinhas assim porque saíam mais baratas.

Também comemos em restaurantes gostosos. Um em La Boca tinha uma comiga gostosa, apesar do arroz duro - eles praticamente não comem arroz, o comum na Argentina é batata e carne de vaca - foi onde mais morremos de raiva pelo valor final que, aos R$ 13 mais ou menos de cada prato, somou-se R$ 10 de serviços, mais R$ 10 por uma cerveja, mais não sei o quê. Saímos todos indignados... e mais pobres, deixando lá moedinhas não desejadas. rsrs

Empanadas, os pastéis argentinos - na verdade têm em todo sul da América do Sul - são maravilhosos e comemos uns especialíssimos na estrada. E por R$ 0,80 cada!

Comemos em restaurante chinês também. E, por conta de uma carne picante feita com curry - amo curry mas nunca soube que ele podia arder tanto! - meus olhos e meu nariz não paravam de escorrer!

Comemos também no Burger King. Preço um pouco menos caro que os McDonald's da vida - e lanches muito mais saborosos - e olha que sou fã do Mc!

Ah, curiosidade: a gente só encontra doces recheados com doce de leite! Uma moça turca que ficou na minha casa há uns 2 anos tinha comentado isso, encantada com a variedade de doces que fazemos no Brasil - nossa, e isso na panificadora apenas boazinha que tem perto da minha casa! - e confirmei que realmente na Argentina só dá doce de leite: nos alfajores, nas media-lunas - croissants doces - nos sorvetes... Mas é gostoso... pros formiguinhas.

O lugar mais trash onde comemos foi na volta em que escolhemos não pensar como a comida estava sendo feita porque já era tarde e não encontrávamos nada aberto. Mas pelo menos a milanesa e os ovos fritos estavam muito gostosos.

Nenhum de nós bebia demais - felizmente! não tenho paciência com gente que bebe! Tirando a cerveja de ouro de La Boca, tomávamos muito refri e, na noite de sábado, pedimos vinho no restaurante melhorzinho que fomos. Muito gostoso! Não sou grande conhecedora e nem consumidora, por vários motivos, dentre eles o mais patético: depois da primeira taça, tudo parece cômico pra mim e fico dando gargalhadas sem parar - que boba, né? Agora, um aviso importante: bebida mais simples - água, refri, cerveja - são bem carinhas na Argentina! Sempre veja o preço antes de pedir!

Então, concluindo, realmente se come bem em Buenos Aires, principalmente se a pessoa adora carne - o/. Mas o pessoal de lugares menos caros que capitais, não esperem gastar muito pouco nas refeições. No entanto, também não esperem comer mal: se é empanada ou se é uma milanesa que seu bolso comporta, é quase certo que você vai terminar o prato muito satisfeito.
____
Foto: tomando café no nosso último dia lá, o domingo. Depois da janta com vinho do dia anterior, perdemos a hora. Adoro nossas caras de sono e as bochechas rosadas do friozinho! Pra quem não nos conhece: Angelice, eu, Fer e Márcio ;)

Comentários

  1. Sheila, se eu trago esse povo aqui pra Minas eles tão perdido, aqui se faz doce de tudo e tem doce pra vender pra todo lado...hehe

    ResponderExcluir
  2. Aff, menino, pois é! Por isso que meu pai, mineiro, é a pessoa mais formiguinha que conheço! (rsrs) E olha que ele é de um canto mais pobre, onde a fartura não é a mesma do sul de Minas!

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  3. Sheila...
    e coisa cara também foi o "cindor", haha famoso "todinho" de 8 pesos :s aiii tomei com tanto gosto também, afinal estávamos muito chiques no café Tortoni. haha
    Adoreeeeeeeei aquela comida... hmmmmm aquele nhoc e tudo que tinha lá hmmmmmm
    rs.

    ResponderExcluir
  4. Aff, verdade, o chocomilk mais caro já tomado! rsrs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é um "scammer"?

Eu fico tanto tempo sem escrever que, quando volto, fico com vergonha, pode?
Em minha defesa quero dizer que andei muito ocupada e sem nada de interessante pra escrever e que ando visitando os blogs que curto mas NÃO CONSIGO comentar há semanas! Sempre dá erro.
Mas, vamos ao que me motivou voltar a escrever um post. E senta confortável porque a história é longa mas muito séria e importante de ser conhecida.
Vocês já ouviram falar em scammer ou scam?
Scam, traduzindo meia-boca do original inglês, é um golpe, trambique, cambalacho. Scammer é quem o pratica. Na internet os scams mais conhecidos são aqueles golpes que com certeza vocês já conhecem de receber um email dizendo que tem um dinheiro em um banco africano e que você foi escolhido pra ficar com aqueles milhões. Já não recebeu um desses emails?
Mas existe mais um tipo de scam que tem se alastrado e que eu conheci este final de semana, da forma mais dolorosa: quase sendo vítima dele. É o scam romântico.
Se por um lado eu me enverg…

As calcinhas no varal

Hoje lavei minha roupa e, ao estendê-la no varal, fiquei chocada com a "qualidade" de boa parte das calcinhas que ali estavam.

As mulheres que têm entre 30 e 35 anos provavelmente cresceram ouvindo suas mães dizerem para cuidar com a roupa de baixo que usa porque se desmaiar na rua todos verão a calcinha velha, o sutiã com alça encardida - nem é o tema do post, mas quero avisá-las que é verdade! Um ex-colega de faculdade, bombeiro, diz que sim, eles reparam, mesmo nos momentos mais complicados de socorro, se as "moçoilas" estão com calcinha feia! - e falarão que a dona da lingerie é uma porquinha!

Daí hoje, olhando as calcinhas no varal, eu fiquei pensando que ali estavam aquelas calcinhas que normalmente eu usaria só pra dormir. Mas eu não só durmo! Ou seja, eu saí com boa parte delas!!

"Analisando" o varal, lembrei de que eu sempre tentei ser caprichosa com o que vestia por baixo da roupa. Mesmo quando era casada tentava usar lingerie arrumadinha e depois,…

25 em 2013 - Livro 5: Sua resposta vale um bilhão

Eu sinto tanto só agora escrever sobre Sua resposta vale um bilhão que li em fevereiro! Principalmente porque vou deixar muita coisa bacana do livro de fora. Mas gostei tanto que, mesmo assim, vale a pena.
Minha história com o livro é longa. Sou apaixonada pelo filme Quem quer ser um milionário - sobre o qual comentei efusivamente aqui, há 4 anos. Naquela época eu já tinha me interessado pelo livro, primeiro do autor - um diplomata indiano - mesmo correndo o risco de me decepcionar com o filme depois de lê-lo.
Namorei o livro longamente até que encontrei na Estante Virtual - um site que reúne sebos do Brasil inteiro - no comecinho do ano. Paguei R$ 4- sim, quatro reais! - por uma edição praticamente nova.
Quanto à história, muita coisa é diferente do filme - e necessário, se pensarmos na impossibilidade de adaptar um livro inteiro pra 2h de película. Escrevendo isso, o que me vem à cabeça é que, na verdade, o filme é inspirado na idéia central, do menino pobre, criado no mundo e que ganh…