29 dezembro 2009

Vi: Avatar

(Segundo post do dia)

Avatar ( Avatar, 2009, EUA) gerou enormes discussões no Cinema Fantástico, minha lista de cinemas do Yahoo! Teve gente defendendo o filme, e teve gente chamando-o de Avatargh - ótimo! hahah - e dizendo que é só mais um filme para entreter.

Concordo, mas pra que é o cinema senão pra entreter? O meu irmão Taciano tem - ou tinha, pelo menos - a mania de, ao nos ver emocionados em um filme, dizer: "É só um filme, é mentirinha, não chora não". E é por aí. Avatar é pra divertir.

E como diverte! Vendo as cenas maravilhosamente criadas do planeta Pandora, eu fiquei imaginando como tudo aquilo deveria ser incrível em 3D!

Mas, peraí, deixa eu contar uma sinopsezinha do filme: no futuro, o pessoal aqui da Terra está interessado em um mineral existente no planeta Pandora, bem debaixo de onde vive um povo com aparência esquisita mas humanóide. Um fuzileiro naval paraplégico - Sam Worthinghton, não o conhecia - é escolhido para substituir o irmão cientista recém-assassinado no projeto dos avatares, criaturas feitas à imagem dos moradores de Pandora - caramba, esqueci o nome do povo! rsrs - mas controlados mentalmente por humanos. Acontece que ele é recrutado pelo exército mercenário para conhecer melhor os "pandorenses" - tá, não é esse o nome... -, e daí... aí acontece o filme.

Eu fiquei pensando nas invasões estadunidenses no Iraque, no Afeganistão... mas já sabia de antemão que o roteiro foi escrito pelo James Cameron, o mesmo de Titanic, há uns 20 anos. E, mais uma vez, eu fiquei extasiada com a capacidade humana de "criar" coisas tão lindas!

Mas me incomodei com a aparência dos pandorenses: são muito estranhos e falam e agem como povos africanos/aborígenes, sei lá! Achei a atriz que interpreta a mocinha esquisitérrima... Uma coisa meio forçada - tá, mas eles são extra-terrestres, né? O E.T. da nossa infância também não era esquisitinho??

Por outro lado, dos humanos, tem a Sigourney Weaver que eu adoro, e tem a Michelle Rodriguez, linda, mesmo de piloto de helicóptero - quase! - nada feminina. E tem o Sam Worthinghton, que não é um Leonardo di Caprio na interpretação, mas dá conta do recado... Caso alguém vá ver um filme desses pensando em atuações - o que não creio.
É pra entreter sim, mas isso não desmerece em momento algum. Pelo contrário já que as quase 3h de filme voam! E no final, dá vontade de aplaudir.

2 comentários:

  1. Nossa filhote de cruz credo( heheheh) li e fiquei com mais vontade ainda de assistir ao filme,mas desculpa tá eu irrei assistir em 3D aqui em asuncion,o povo se chama Navi,e vc tem razao pelo trailler ja da pra ver que nao podemos reparar na atuaçao deles,quase todas as cenas usaram aquelas roupas que deve ser super chatas de usar..

    bjoss minha amiga do coraçao,e parabens cada dia melhor seu blog

    ResponderExcluir
  2. Ah, meu amigo querido que não aprende pra que serve a vírgula... hahah

    Achei que você já tinha ido ver em 3D. Fica demorando e o filme vai sair de cartaz!

    Obrigada por dizer o nome do povo. Tão facinho e não me lembrava mesmo!

    Bjks.

    ResponderExcluir