Pular para o conteúdo principal

Colação de grau - A caneta

Ontem foi minha colação de grau. Parafraseando um certo senhor de língua presa, nunca antes na história da Unioeste - minha faculdade - uma colação demorou tanto! Tava marcada pras 19h, começou às 21h e saímos de lá, depois das comemorações com a turma, à meia-noite.

Mas foi muito emocionante e a homenagem mais linda que recebemos, em minha opinião, foi da professora que escolhemos como nome de turma.

Quando chegamos em nossas cadeiras encontramos um rolinho de papel pink - as meninas - e verde - os meninos, com nossos nomes escritos neles. Depois de muita especulação e de muito amassarmos o dito-cujo tentando descobrir o quê e de quem era, uma colega do meu lado abriu e descobrimos uma caneta com nosso nome gravado e a carta que segue abaixo:

"A caneta

O que é uma caneta? Um objeto simples, feito apenas pra registrar palavras e símbolos, que, através dos tempos, vem se aperfeiçoando e apaixonando alguns 'doidos' (como eu) que chegam ao cúmulo de mandar imprimir, neste objeto, nomes de pessoas queridas e amadas... Mas que também, injustamente, tem sido substituído pelos meios eletrônicos (haja vista este texto não ser escrito a caneta, né? rs)... Fazer o quê? Temos que acompanhar a evolução do mundo.

Mas, não deixem de valorizar aquela que deu uma boa ajuda para vocês chegarem até aqui, depois de quatro longos (ou curtos?) anos... Aqui, neste lugar e momento. Aquela que preencheu tantos cadernos (tá, alguns de vocês nem tiveram tantos cadernos, assim...) com anotações preciosas que não podiam ser decoradas; que realizou, ao comando das suas mãos, tantas provas e trabalhos; que assinou tantas solicitações de segunda chamada, de revisões de nota, formulários de matrícula... E que ainda vai acompanhá-los por uma longa caminhada de mais documentos e provas (ah, provas essas que, a partir de agora, não serão mais realizadas, mas corrigidas por vocês!!!!! hahahaha)

Bom, parafraseando a bíblia, 'uns gostam de carros, outros de cavalos e, alguns poucos gostam de canetas...' Eu sou uma dessas... Eu gosto de canetas e queria, por meio desta simples caneta, expressar o carinho que sinto por cada um de vocês, agradecer a paciência e o sono dispensados em cada aula de Linguística, de Morfossintaxe, de Variação Linguística e Preconceito e de GramáticaS (no plural, tá? hehe). Obrigada por terem me feito aprender mais sobre os assuntos de que mais gosto, por terem me feito usar muitas canetas!

Que Deus os abençoe SEMPRE!

Maridelma
Primavera de 2009"

E vocês têm uma chance pra adivinhar quem chorou ao terminar de ler essa carta linda e agora segura as lágrimas! rsrs

Comentários

  1. Sheila,

    Quem lê esta linda cartinha e não se emocionar..não tem coração, nem um pingo de sensibilidade! rsrsr

    Cerimônia de colação de grau já é emocionante (eu pelo mesmo acho! e terei que levar um lençol para a colação das minhas filhas! rsrsrs)imagina quando vem acompanhada com um presente deste tipo! Lindo!

    Parabéns mais uma vez!
    Parabéns pela escolha desta Professora!

    ResponderExcluir
  2. Sheila, que carta espetacular! Linda de ler!
    E eu neste momento sensível, já estou chorando, nÉ?
    Um lindo fim de semana pra vc!
    E mais uma vez parabéns pela colação !
    Bjus

    ResponderExcluir
  3. Sandra,

    Pois é, mas acredita que uma colega não se mostrou nada emocionada? Fiquei chocada.

    Ah, é emocionante sim, mesmo que cansativo demais.

    Obrigada. E obrigada :)
    _____

    Cris!

    Muito linda mesmo a carta! Sua manteiga-derretida! hahaha Parece eu!

    Um restinho de domingo maravilhoso pra você.
    _____

    Beijocas, gurias.

    ResponderExcluir
  4. Muito lindo esse presenta, e com certeza vocês merecem.
    Parabéns por mais uma conquista, e espero que tenha muitas outras, você merece.
    Sheila você está em meu coração. beeeiijjooss...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é um "scammer"?

Eu fico tanto tempo sem escrever que, quando volto, fico com vergonha, pode?
Em minha defesa quero dizer que andei muito ocupada e sem nada de interessante pra escrever e que ando visitando os blogs que curto mas NÃO CONSIGO comentar há semanas! Sempre dá erro.
Mas, vamos ao que me motivou voltar a escrever um post. E senta confortável porque a história é longa mas muito séria e importante de ser conhecida.
Vocês já ouviram falar em scammer ou scam?
Scam, traduzindo meia-boca do original inglês, é um golpe, trambique, cambalacho. Scammer é quem o pratica. Na internet os scams mais conhecidos são aqueles golpes que com certeza vocês já conhecem de receber um email dizendo que tem um dinheiro em um banco africano e que você foi escolhido pra ficar com aqueles milhões. Já não recebeu um desses emails?
Mas existe mais um tipo de scam que tem se alastrado e que eu conheci este final de semana, da forma mais dolorosa: quase sendo vítima dele. É o scam romântico.
Se por um lado eu me enverg…

As calcinhas no varal

Hoje lavei minha roupa e, ao estendê-la no varal, fiquei chocada com a "qualidade" de boa parte das calcinhas que ali estavam.

As mulheres que têm entre 30 e 35 anos provavelmente cresceram ouvindo suas mães dizerem para cuidar com a roupa de baixo que usa porque se desmaiar na rua todos verão a calcinha velha, o sutiã com alça encardida - nem é o tema do post, mas quero avisá-las que é verdade! Um ex-colega de faculdade, bombeiro, diz que sim, eles reparam, mesmo nos momentos mais complicados de socorro, se as "moçoilas" estão com calcinha feia! - e falarão que a dona da lingerie é uma porquinha!

Daí hoje, olhando as calcinhas no varal, eu fiquei pensando que ali estavam aquelas calcinhas que normalmente eu usaria só pra dormir. Mas eu não só durmo! Ou seja, eu saí com boa parte delas!!

"Analisando" o varal, lembrei de que eu sempre tentei ser caprichosa com o que vestia por baixo da roupa. Mesmo quando era casada tentava usar lingerie arrumadinha e depois,…

25 em 2013 - Livro 5: Sua resposta vale um bilhão

Eu sinto tanto só agora escrever sobre Sua resposta vale um bilhão que li em fevereiro! Principalmente porque vou deixar muita coisa bacana do livro de fora. Mas gostei tanto que, mesmo assim, vale a pena.
Minha história com o livro é longa. Sou apaixonada pelo filme Quem quer ser um milionário - sobre o qual comentei efusivamente aqui, há 4 anos. Naquela época eu já tinha me interessado pelo livro, primeiro do autor - um diplomata indiano - mesmo correndo o risco de me decepcionar com o filme depois de lê-lo.
Namorei o livro longamente até que encontrei na Estante Virtual - um site que reúne sebos do Brasil inteiro - no comecinho do ano. Paguei R$ 4- sim, quatro reais! - por uma edição praticamente nova.
Quanto à história, muita coisa é diferente do filme - e necessário, se pensarmos na impossibilidade de adaptar um livro inteiro pra 2h de película. Escrevendo isso, o que me vem à cabeça é que, na verdade, o filme é inspirado na idéia central, do menino pobre, criado no mundo e que ganh…