29 dezembro 2009

50 coisas que me fizeram feliz na década (4/5)

(Lipe, Gabi, Lilo e Gu, em Estreito)

31- Meryl Streep: As horas (2002), Terapia do amor (2005), O diabo veste Prada (2006), Mamma Mia! (2008), Dúvida (2008)... Dos 19 filmes que constam da filmografia da Meryl Streep nesta décado, só vi esses - tá, na contagem tá Julie & Julia que recém estreou no Brasil e quero muito ver! - e foi o suficiente pra continuar fã dela! Eu a acho perfeita em qualquer papel: tava vendo ontem O diabo veste Prada - acho muito inferior ao livro - e pensei como ela estava linda, elegantérrima ali... e como era uma freira tão circunspecta em Dúvida - maravilhoso!! Além de uma atriz incrível, ela sempre me passa a impressão de uma mulher muito decente, casada há 30 anos com o mesmo homem - raro em Hollywood, né? Aliás, em qualquer parte atualmente! rsrs -, simpática e "normal" sempre nas entrevistas. Adoro!!

32- Listas do Yahoo!: Cinema Fantástico e Lista Brasileira do A-ha. São as minhas listas do coração no Yahoo! Pra quem não sabe como são essas listas, são endereços que reúnem pessoas em torno de um assunto - no caso, cinema e... sim, sim, A-ha - e onde trocamos emails. Tô há mais tempo na do A-ha e todo mundo tá em polvorosa com os shows ano que vem, gurias comentando que vão pra Oslo, piás fazendo campanha pra levar a banda pra tocar no Nordeste... No show em São Paulo em março passado tinha um monte de gente da Lista lá! Pena que cheguei tarde e me desencontrei deles... Já a Cinema Fantástico reúne um monte de gente interessante que curte tudo quanto é tipo de filme! O querido Rubens que comenta por aqui eu conheço de lá - segundo alguns, é o mais inteligente da Lista! rsrs - e tem muito mais gente bacana. Tá, tem uns malinhas também, mas eu aprendo tanto com esse pessoal! Tem época que são trocados mais de 100 emails por dia, muitos não relacionados a cinema - como futebol, comentado pela maioria masculina -, mas é muito, muito legal!

33- Viagem à Estreito: Foi especial porque foi meu retorno ao Nordeste depois de 19 anos. E também foi especial porque vi como parte amada da minha família está bem e feliz lá. Amei os sucos diferentes, os rios, os passeios todos... Adorei rever amigos que não via alguns há mais de 20 anos! E foi bom sair de Foz antes de cair de cabeça na loucura que foi a feitura da monografia.

34- Sobrinhos: A ecografia do Gu foi especial, mas os quatro sobrinhos que ganhei entre 2001 e 2004 - pois é, um por ano... rsrs - também são muito especiais! Com cada um tenho uma relação única: o Murilo, de 8 anos foi o primeiro e por isso a novidade. Também é com quem mais tive contato de estarmos só os dois juntos, seja indo de ônibus pra casa da minha mãe - quando todos morávamos aqui em Foz - seja ele dormindo na minha casa. Com o Gabriel, de 7, demorou pra acontecer uma ligação, porque... sei lá, mas hoje nos amamos muito. Com o Gustavo, 6, ... o Gu é o dengoso, o beijoqueiro, o que dorme grudado comigo! O que eu mexo dizendo que nasceu muito feio e que depois ficou lindo - é verdade! hahaha. E o Felipe, 5, é o mais palhaço, debochado, o que me pergunta o que é "fióte de cuiz-quedo" quando o chamo de "filhote de cruz-credo". Eles me divertem muito, gosto de estar com eles.

35- Hemonúcleo: Já falei aqui desse assunto que me é muito caro. Há mais de 10 anos sou doadora de sangue, sempre fui doadora de órgãos, e há usn 5 sou de medula óssea também. É curioso mas, de verdade, ir ao hemonúcleo de Foz me deixa feliz, saio de lá leve, me sentindo mais cidadã, mais humana. Já respondo o questionário meio "no automático", lancho papeando com a copeira e vou pra sala de doação sossegada, jogando mais conversa fora com as auxiliares de enfermagem e vendo tevê. Bem tranquilo tudo por lá! Este ano não pude ir porque fiz a tatuagem e durante doze meses não posso doar, mas assim que terminar a quarentena, volto lá! Já pensaram em ser doadores, por falar no assunto??

36- Clint Eastwood: Ele ficou na mesma parte que a Meryl Streep? Legal, porque é dele, com ela, o filme romântico mais lindo do universo e que, só de pensar dele, me dá vontade de chorar: As pontes de Madison! Mas este é da década passada. Desta tem os meus adorados Menina de ouro (2004), o filme que me fez, junto com Mar adentro, do mesmo ano, pensar com menos intransigência na questão da eutanásia... e chorar litros e litros de lágrimas com o drama da maravilhosa Hillary Swank!, e Gran Torino (2008), um filme igualmente incrível e que me mostrou que até o Clint Eastwood fica velho - ele tem 79 anos. A coisa que mais se ouve à respeito dele, e que eu acho mais interessante também, é que ninguém imaginaria um ator de filmes policiais e bang-bang como um delicado diretor. E ele mostrou que é! Absurdamente ainda não vi Cartas de Iwo-Jima e A Conquista da Honra (ambos de 2006) onde ele mostra a Segunda Guerra Mundial pela visão dos japoneses - dizem que é o melhor filme - e dos estadunidenses, mas quero corrigir esta falta logo. Qual filme dele eu recomendo? Qualquer um; ou melhor, todos!!

37- Cannot Hide: Na minha opinião, demorou 7 álbuns e 17 anos pro A-ha soar sexy! Sim, os "meninos" ainda são lindos agora que beiram os 50 anos, eram mais ainda aos 30, mas eu nunca os ouvi como algo sexy. Cannot hide, do álbum Lifelines, de 2002, é sexy. Deliciosamente sexy, como o Morten nunca soou cantando as letras do Mags - ele sussurrando "'cos you can do me right" é de matar! hahaha. Uma das músicas deles que mais ouvi nos últimos 10 anos. Querem conferir Cannot hide? Eis um vídeo com imagens deles na passagem pelo Brasil embalados pela canção.

38- Piscina da Flávia: Quem falou comigo hoje, ou nos últimos dias, sabe que eu estou rabujenta, louca por praia... ou até por piscina. Na da minha irmã, na casa que moravam até o começo do ano, foi onde mais me diverti nos últimos anos. A piscina era uma boa desculpa pra festas ali na casa e foi onde passei Natal dentro da água, aniversários, tardes escaldantes do verão infernal iguaçuense... E onde tomei sol, tentando queimar aquelas partes que parece que nunca bronzeiam - porque joelho fica preto em 2 segundos e barriga não fica nem em 2 dias?! Saudades da piscina da casa antiga...

39- Khaled Hosseini: Com O caçador de pipas (2005) e A cidade do sol (2007) Khaled Hosseini foi o autor que mais me emocionou nestes anos. Médico de formação, afegão exilado nos EUA desde adolescente, eu sempre acho que tem um tonzinho biográfico em O caçador de pipas, na parte que conta da chegada das personagens, ricos em seu país e agora pobres do outro lado do mundo. Foi por Hosseini que eu travei contato com a realidade cruel, brutal do Afeganistão na época do Talibã e, tristemente, agora também; brutal em especial, como sempre, para as crianças e as mulheres. Tão cedo não esquecerei das histórias contadas em seus livros e nem de suas personagens.

40- Victor e Léo: Então... eu gosto. Muito! Não tem muito a ver com meu gosto musical geral - lembram, eu falei de brit pop no post anterior! rsrs -, mas gosto muito deles. Tem umas letras que são da trilha-sonora da minha vida - as mais chorosas, infelizmente - mas tem umas que me deixam sorrindo pensando nelas. E gosto deles, dos mocinhos, acho-os engraçados, divertidos nas entrevistas. Perdi um show deles no começo do mês porque foi bem quando estive em Buenos Aires, mas sei que outros shows virão - mesmo que quem já foi diga que é show pra casal...

3 comentários:

  1. Vou doar sangue amanha, gata! :) qdo decidi, lembrei de vc!

    ResponderExcluir
  2. Oi Lanny, que legal! Como foi lá? Quero ir semana que vem porque aí já dão 365 dias! rsrs

    Bjks.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sheila.. conto tudo la no blog.. nao foi desta vez, viu? mas ano que vem farei a doação, com certeza! Beijos!!

    ResponderExcluir